12 de jul de 2013

OPÇÃO PROFISSIONAL






(by Glenn Robinson)

                                               
A faxineira passava roupas, na área de serviço, o que costuma fazer ouvindo música. Quando fui à cozinha percebi que ela estava atenta a um outro programa. Pareceu-me algo de cunho religioso porque um homem falava sobre sua vida. Discorria sobre sua luta para manter a família e educar o filho. Afirmou ter aberto mão de muitas coisas em favor deles e que o garoto não lhe trouxera problemas, sendo estudioso e aplicado, o que o tornava feliz.

Entretanto, agora, aos dezoito anos, optara por cursar publicidade, o que o enfurecera. Em seu entendimento, essa não era uma profissão. Já o tinha imaginado cursando odontologia ou medicina, enquanto ele, o pai, montava, aos poucos e com carinho, seu consultório. Estava tão bravo que, quando o filho se insurgiu contra seus interesses, gritara com ele, afirmando que o sustentava e que, enquanto morasse naquela casa, haveria que fazer o que lhe fosse determinado. A mãe defendeu o filho e ambos não estavam, sequer, conversando com ele.  A situação no lar, antes prazerosa, tinha ficado insustentável. Entendia, porém, estar correto seu modo de agir.

Eu me aproximei da faxineira e demonstrei minha irresignação com a atitude dele. Esse pai está transferindo para o filho os seus frustrados desejos. Provavelmente, os cursos que impõe a ele já constituíram seus próprios sonhos.

Ela me contou, então, que seu filho mais novo queria estudar educação física, o que, em princípio, não lhe pareceu ser boa ideia. Mas que a realização dele estava em primeiro lugar e nada questionou. Tempos depois, mais próximo do vestibular, o garoto mudou seus planos e optou por um outro curso.

Todas as profissões são dignas, independente de, em certas épocas, o mercado estar mais favorável a uma que a outras. A maioria dos adolescentes, nessa fase da vida, oscilam entre várias, sem definição clara do que desejam. Chegam a começar uma faculdade e depois desistirem por não se sentirem realizados, mudando de área.Temos encontrado muitos profissionais insatisfeitos e incompetentes, por abraçarem atividades que nada têm a ver com suas habilidades . Educar e preparar para a vida não se coaduna com a imposição de caminhos. A orientação deve levar em conta as naturais aptidões dos filhos.

Não ouvi a resposta que foi dada àquele homem.  Pareceu-me, por sua postura, que estava procurando apoio e não um posicionamento contrário ao seu. Não estava aberto a qualquer fundamentação divergente da sua. Lamentei por seu filho estar sendo punido e até humilhado por não acatar a determinação paterna. Mas admirei sua postura. Com o apoio da mãe e sua determinação, provavelmente lutará por seus interesses, eis que já começou a fazê-lo ao manifestar sua escolha, sem se importar com a que o pai fizera por ele. Um jovem que não diz amém ao que não lhe convém já tem personalidade formada e não se queda facilmente.

                                                                      Marilene


16 comentários:

  1. Bom dia, Marilene!!!

    É muito triste quando os pais querem impor sua vontade ao filho...temos que educa-los para serem independentes! Querer viver através dos filhos só causa frustração e afastamento...
    Belo texto e quantas reflexões nos instiga!!!
    Beijos, amiga querida!!!
    *Espero que tudo tenha corrido muito bem!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Marilene :)
    Só pais frustrados agem dessa maneira.
    Pessoas bem resolvidas sempre vão apoiar as decisões profissionais dos filhos.
    (Ainda bem que meus pais sempre estiveram em concordância,
    com o que eu quis estudar).
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. É difícil. Pais frustrados querem a realização por intermédio de seus filhos. Há muitos anos, o máximo do desejo dos pais era ter um filho padre ou médico. Lembro muitas mães que ficavam muito alegres quando o filho fazia concurso para o Banco do Brasil! 'Era um moço bom e trabalhador...'
    Deixem as criaturas serem o que querem, que coisa! É a tal de interferência que só prejudica. Essa atitude dos jovens trocarem de faculdade, é compreensível: são ainda jovens para a escolha. Quem, com 18, 19 anos está maduro para escolher sua profissão? Só pode dar no equívoco...

    Beijos, Marilene!

    ResponderExcluir


  4. Hoje agradeço sua amizade elogio seu post
    e desejo um bom final de semana
    Bjuss com uma bela frase
    Rita!!!!

    . . . ✿•*¨`*•.¸(¯`v´¯)¸.•´*¨`*•✿ . . .
    "Não importa se teu mundo tá caindo aos pedaços. Quando você começa a ter mais fé, de alguma maneira linda a vida dá um jeito de ficar melhor."

    - Caio Fernando Abreu.

    ResponderExcluir
  5. É uma pena que tantos pais queiram impor suas vontades para os filhos, Marilene. Isso é comum e, infelizmente, dificilmente se extinguirá. Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Marilene! escolher uma profissão é bem difícil... quando a pessoa tem uma vocação natural, na qual a profissão a escolhe, é bem melhor. na verdade, acredito que todo mundo tem. Mas descobrir essa vocação é complicado.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Marilene

    A interferência dos pais ou alguém na carreiras pretendias é erro. Ao aluno deve ser dada a liberdade de escolha do que quer seguir,
    O TOTSCRET OLAVO, tem novo capítulo´.
    Beijos

    ResponderExcluir

  8. Olá mana,

    No geral, os pais que escolhem profissão para os filhos procuram se realizar através deles ou entendem que a profissão por eles escolhidas não os levarão a um razoável status de vida, com ganhos financeiros satisfatórios. Considero egoísmo, pois cabe aos jovens escolherem os caminhos que lhes trarão realização profissional. Ainda que no princípio eles se submetam à imposição dos pais, logo mudarão de rumo, demorando mais tempo para se encontrarem ou se estabelecerem. Ou então, serão eternos frustrados, jogando nas costas dos pais a culpa por uma vida sem entusiasmo.
    Fez bem o filho de sua faxineira em rebelar-se e buscar a realização do seu sonho.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Oi Marilene!Isso de um pai achar que tem o direito de determinar o que o filho vai ser na vida é inaceitável,o filho é outra pessoa e tem direito de fazer suas próprias escolhas.Ainda acontece hoje em dia,mas acho que é mais coisa do século passado,né?Obrigada pela dica dos carros da GM,realmente são muito bons e de boa qualidade.Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Marlene, estou passando para matar minhas saudades
    também desejar uma semana abençoada paz e luz.
    Beijos no coração,Evanir.

    ResponderExcluir
  11. Adorei o texto,Marilene.

    Os filhos não são nossa cópia e têm o direito de optar por qual profissão têm mais inclinação.

    Se não for assim,serão péssimos profissionais.

    Beijos e lindo finalzinho de domingo

    Donetzka

    ResponderExcluir
  12. Infelizmente muito pais ainda educam egoisticamente um filho...
    Temos que nos conscientizar de que os filhos são seres humanos independentes e devem seguir como tal...Cabe a nós somente orientá-los!

    Bjussssss

    ResponderExcluir
  13. Marilene, esse texto tem haver com a realidade de muitas famílias.
    Muitos pais por não ter conseguido se realizar profissionalmente, tenta passar essa responsabilidade para os filhos, para se próprio realizar. Acho que é um egoísmo sem tamanho. Todos têm o direito de escolher o que querem ser, o querem fazer. Na minha família tem um caso assim, a pessoa já fez duas faculdades mais ainda não é a a profissão que pretende exercer. A interferência do pai está sendo ruim na escolha que ela quer ser. Ela quer ser Bióloga mais o pai não apoia. Acho que muitos não leva a profissão a sério devido a escolhas errada.
    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
  14. Em cada um de nós existe o que chamamos de dom que deve ser respeitado e muito bem apurado antes por nós mesmos.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  15. Querida amiga vim agradecer
    A sua presença carinhosa no meu cantinho
    Me dando força para seguir meu caminho
    Com serenidade paz e alegria.
    Tenha uma linda semana, coberta de muita paz e amor!
    Com carinho
    Abraço amigo!
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  16. Deus nos dá talentos e dons e diante disso devemos seguir aquela profissão que nos completa como seres humanos.
    Gostei do texto, Marilene.
    Parabéns!
    Grande abraço querida.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...