3 de nov de 2015

ILUSÓRIOS ARTIFÍCIOS DA NOITE

(arquivo pessoal)

                                                     

A noite abraçou o dia delicadamente, sussurrando-lhe em um pedido especial, que tardasse a alvorada. Deixaria acesas as luzes do universo para encantamento dos apaixonados que, ainda cansados, adormeciam uns nos braços dos outros, desmentindo a finitude do amor.

                                      .....................


A noite acordou o dia, antes da hora, para que sua claridade secasse as lágrimas dos insones, envolvidos em dores e sofrimento. Veriam nela as cores da esperança, calçando-se de flores para o despertar de novos caminhos, aqueles que não mais comportariam as sombras que por horas intermináveis os cobriram.

                                      ......................

A noite igualou os diferentes, os abandonados, os solitários, os enfermos ... fornecendo a todos o elixir do sonho, o transporte para um lugar sem correntes e sem medo, onde seus espíritos podiam cantar a liberdade e dançar a felicidade.

                                       .....................

A noite libertou os anjos, que distribuíram sementes de afeto aos que carregavam mágoas, despindo-os  de cicatrizes e colocando sobre seus corpos os véus iluminados do perdão.

                                        .....................


A noite aprisionou o dia e impediu que se mostrasse. Escondeu a lua e as estrelas, deixando que os caminhos fossem iluminados apenas pela esperança. Não era um ato de insubordinação às leis da natureza. Desejava, tão somente, que os olhos vigilantes das fronteiras adormecessem profundamente, permitindo que seus limites fossem ultrapassados pelos pés cansados, pelas mentes angustiadas, pelos corpos debilitados e sedentos de paz.

                                         .....................


                                     Mas o sonho ignora o prazer que proporciona e o despertar é inevitável. Os homens voltam a fugir dos espelhos e da memória, a se sentirem os donos do mundo e a correrem em busca de seus ilusórios ideais. Preferem deixar desmaiados em seus corações o encantamento do amor e da solidariedade. Não se libertam do fogo do poder, das palavras mortas de sentimento, das falsas portas que acreditam ser capazes de os levar à felicidade ... individualmente.


                                                                Marilene



15 comentários:

  1. Querida Marilene. a imaginação e o sonho leva-nos a desejar o impossível.
    Mas enquanto o escrevemos e sonhamos, acreditamos por um momento que a vida é perfeita. Que existe amor, paz, solidariedade e esperança.
    Um belo e comovente momento minha sensível amiga.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Quanta sensibilidade, mana!
    Belíssimos pensamentos poéticos.
    Ainda que ilusórios, alguns artifícios da noite trazem alento para muitos corações sofridos. Porém, não há como retardar o dia, que sempre chega, seja para renovar esperanças, seja para reacender a luz de uma realidade sofrida e desumana para muitos.

    A noite, com esta maravilhosa lua, lhe trouxe lindíssimas inspirações.(Bem romântica a primeira).

    Linda a foto.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Amei divagar com você Marilene.
    A noite enluarada, mergulhada no aquário estrelas, sempre nos encanta e atiça ainda mais o rmantismo, gostei muito.
    Um abraço e felizes e românticas noites.

    ResponderExcluir
  4. Oi Marilene,
    A beleza explícita da lua, fascina...
    Muito bonito teus versos. Um tributo a noite
    que sempre inspira os poetas e apaixonados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, querida Marilene
    Insisto em dizer que ainda bem que existe o acordar... o egoísmo toma conta das noites internas...
    Vc escreve com a alma e brinca com as palavras de uma forma muito profunda...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  6. Um encadeamento de reflexões sobre a lua, e especialmente sobre a noite, apresentada não só como lugar dos amantes, mas como possibilidade única de ilusão e de sonho, do encontro de cada um consigo mesmo e com os outros numa ausência de fronteiras, fronteiras essas que o dia sempre faz renascer, a par da individualidade e do egoísmo.
    Parece que na noite todos acabamos por sonhar o que dia acaba por dizer-nos ser impossível.
    Uma reflexão tão maravilhosamente poética, com a qual me identifico. Teus textos têm tanta qualidade que se torna difícil comentá-los como merecem. Alias excelentemente forma e conteúdo.
    Belíssima a foto, também!
    xx

    ResponderExcluir
  7. Marilene, que bela reflexão: um sonho numa série de pensamentos humanísticos. Por fim o acordar na obscuridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Um belo texto minha amiga e noite mais clara não pode haver.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  9. Muito inspirador seu texto. Gosto da noite, que me permite o descanso ao corpo . Mas adoro ver o dia nascer,trazendo a claridade e acordando os pássaros à minha volta.
    Um abraço, Sônia.

    ResponderExcluir
  10. belíssimo texto. adorei ler.

    beijo

    ResponderExcluir
  11. Querida Marilene,

    Fiquei fascinada...
    Para mim, parece belos apontamentos poéticos filosóficos,
    numa excelência textual e a estrutura estética numa originalidade,
    assim como a rotação da lua, surge cada apontamento de
    luminosidade poética e finalizando com a reflexão filosófica:
    o homem na sua inconsciência e egocentrismo escurece
    o caminho da simplicidade e felicidade coletiva...

    Bravo!!
    Beijos.l

    ResponderExcluir
  12. Olá Marilene.
    Aí estão seis pensamentos provocando a nossa reflexão. Gostei (e vou refletir).
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Ganhe dinheiro com seu blog trabalhando no conforto do seu lar. Você faz seu horário. Cadastre-se grátis!!! Não precisa indicar ninguém para ganhar. Você ganha com seu trabalho! Mesmo trabalho que foi feito com o SuperParceria. Saiba como em:
    www.homemoney.com.br

    ResponderExcluir
  14. Linda prosa poética, Marilene! A noite propicia sonhos; o dia a realidade. Entre tantos sonhos, lembrei de saída na noite de natal! E esse teu texto lembrou-me de saída os excluídos, dos abandonados numa noite de natal! Que pesadelo...não tem como sonhar. Fiz uma outra abordagem, é que vou pensando, pensando...

    ResponderExcluir
  15. Muito criativa esta abordagem à noite, sobretudo a nível estrutural:breves trechos narrativos mas muito poéticos, abordando, cada segmento, um aspeto relevante da noite para vários atores, assim como a sua significância. No final - a eterna dicotomia: sonho/realidade ou ousadia/medo...
    Parabéns, amiga. Bjo

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...