1 de out de 2015

SE EU SOUBESSE ...

(imagem retirada da internet - desconheço autoria)


  
Se eu soubesse onde está enraizada, dentro de mim, a planta chamada sentimento, talvez a cortasse, com gosto, eliminando qualquer possibilidade de seu renascimento em outra estação.  Passaria a ser mais uma das estátuas que por aí caminham, vazias e desligadas de qualquer questão que envolva sensibilidade. Não sofrem, de nada abrem mão em prol de outrem, desconhecem o que é necessidade, angústia, fome... e nunca foram ao chão. Pisam sobre todos sem dó nem piedade, sem respeito, sem a mínima consideração. Vivem no mundo do toma-lá-dá-cá, restrito, situado no topo da pirâmide, onde nós, reles mortais, infelizmente os colocamos. E gostaram tanto que passaram a nos ver como propriedades suas, meros brinquedos, distanciando-se de nós, abusivamente, de forma a não serem alcançados. A realidade deles é a que criam, com ajuda de seus pares... um condomínio de favorecimentos mútuos,  do qual somos os excluídos.

Cansei de ser masoquista. Será  que a cidadania me impõe acompanhar os atos deles, mesmo sabendo que não vão mudar? Gastam, gastam, aumentam os próprios salários sem nos ouvir, fazem uso de todos os benefícios, possíveis e imaginários, e quando percebem que o cofre está sem fundos, não se preocupam. Os reles mortais farão impostas economias, para os ajudar, mesmo sem ter mais do que abrir mão.

Agora, chegaram à conclusão que os remédios não merecem descontos, principalmente aqueles que beneficiam a população de baixa renda, a sofrer de males incuráveis, de controle diário. Essa diferença, que os auxiliava, faz falta lá no cofre deles. Economia é uma palavra que só existe para imposição a quem não tem mais de onde tirar seu sustento. No topo da pirâmide, fica tudo igual, sem cortes.

Tá danado!!!!!!!

Vou ver o mar e ignorar a existência deles, por uma semana, enquanto posso. E que ninguém me conte o que andam fazendo!


                                                        Marilene




22 comentários:

  1. Olá, querida Marilene
    Nem me fale de cortes e economias... só Deus sabe coo todos estamos na tangente de tudo... com salários defasados...
    Sentimentos enterrados por não poder expressá-los... convenientemente!
    Enterrados vivos fomos 'todos' brasileiros...
    Mas a esperança é verde e amarela... confiar sempre!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  2. É mesmo isso, Marilene. Por aqui também, embora no Brasil com tanta população, as pessoas afectadas são muitas mais e as grandes diferenças sociais, mesmo assim, muito mais visíveis.
    Também aqui os cortes atingem quem menos tem. Quem antes poderia contar aqui com isenção de taxas moderadoras na saúde, por ser pobre, agora terá de ser miserável. E é como dizes, no topo da pirâmide, tudo fica na mesma, ou cada vez melhor.
    Desisti de acreditar nos políticos, e irei votar nas eleições do próximo domingo. Em quem?... Ainda não sei!... Mas tenho uma ideia muito vaga...talvez num pequeno partido que nunca teve assento parlamentar!
    Bela reflexão, Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  3. Bem, o povo foi traído por aqueles em quem erradamente confiou. Mas desta vez, a traição foi ainda mais covarde, pois foram traídos pelo PT - Partido dos Trabalhadores. Mas deveriam ter desconfiado de um Partido dos Trabalhadores onde o candidato à Presidência não trabalhava...
    Abraços, Marilene.

    ResponderExcluir
  4. Nem me fala em tá danado!! Credo!!! Belo post e tuas indignações justas! bjs, chica

    ResponderExcluir
  5. Indignações muito justas, Marilene!

    ResponderExcluir
  6. Marilene, aqui no retângulo, mais a ocidente da Europa, bem posso subscrever a tua charla. Embora vá haver eleições parlamentares, todos apelaram ao voto. É quando dizem que o povo é que mais ordena. Depois que se sentarem à mesa do banquete, é para melhor escolherem o modo de sobrecarregar quem os elegeu, E não para os governar bem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Marilene,
    Às vezes dá vontade mesmo de alienar-se de tudo,
    e viver insensível a toda essa confusão e roubalheira
    que acontece em nosso país.
    Pena que isso não resolveria os problemas.
    Quero acreditar que este ciclo difícil,
    (que já dura tanto tempo),
    será pelo menos amenizado algum dia...

    P.S.: O mar é um ótimo lugar para
    recarregar as energias,
    e renovar a esperança! Aprovete Marilene \o/
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  8. Olá, Marilene, como vai? É mesmo absurdo perceber que o tempo passa, as coisas pioram e nos sentimos de mãos atadas para mudar algo cujo poder nos tiraram das mãos. Faz bem em se desligar de tudo o que é ruim. Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Querida, Marilene, seu texto nos mostra claramente a realidade na qual estamos inseridos. A sensibilidade deu lugar a outros sentimentos, nada nobres e, que nos fazem ficarmos piores por conta de tanta indiferença. Todos sofremos de alguma forma e por algo que nos conduz ao descrédito. Penso que, ainda há pessoas que vivem para fazer o bem e, como nós têm, um pouco de esperança . Desejo a você que as ondas do mar lhe tragam muita energia e que você possa nos passar um pouco dela, através de seus textos. Obrigada!Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Um bom texto que infelizmente espelha esta maldita realidade o mundo está mesmo na mão de meia dúzia de avarentos.
    Um bom Domingo.

    ResponderExcluir
  11. Marilene, como vai querida amiga?
    Há muito não venho aqui me embriagar de uma bela leitura, que faz bem à nossa consciência.

    Que incrível desabafo, não só você mas todos nós também ficamos indignados e absolutamente consternados com essa nova (" ação" ) dos nossos "vulgos representantes" em retirar a assistência ao remédio de quem mais precisa... Isso só pode ser mesmo para torturar o nosso povo, já totalmente dilapidado de tudo...
    A saúde já tão restrita ficará ainda pior.. O que será dessas pessoas??? Mal possuem verbas para comer?

    Agora, economizar em outras frentes, eles nem se dão ao trabalho não é? E as verbas de gabinete? Os aluguéis de apartamentos gigantes e caríssimos que desfrutam, além dos inúmeros auxílios que recebem! Tanta coisa para cortar pela raiz, mas primeiro preferem cortar a alma do povo necessitado...
    Realmente, como muito bem mencionou, dá vontade de não ouvir mais nada, se alienar de tudo para não saber o que estarão preparando para nos afundar ainda mais...
    Mas o pior de tudo isso é a gente tem sentimentos... a gente sofre junto... mas eles não...

    Marilene, você é sempre maravilhosa amiga!
    Perdoe-me mais uma vez pela ausência.. Estou em águas bem paradas agora...rsrs
    Mas sei que quando aqui venho me revigoro!!
    Beijos e uma semana!
    Adorei estar aqui! ♥

    ResponderExcluir
  12. um excelente e oportuno texto.- assenta na perfeição a esta nossa "democracia" em que poder económico é rei e senhor e não o voto dos cidadãos.

    beijo

    ResponderExcluir
  13. Báh, Marilene, acho que o Brasil inteiro conjuga o verbo da indignação com você!
    Quero que essas criaturas explodam! Pobre povo. Só acho que a coisa anda devagar...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Oi mana,

    Entendo sua indignação, que é a de todos nós.
    É triste assistir à derrocada no nosso País, nas mãos de políticos inescrupulosos, gananciosos e insensíveis ao bem estar de seu povo. É triste pagar a conta por tanta roubalheira. Não tenho ideia de como as coisas ficarão, pois a cada dia a situação se agrava, mas procuro não perder a esperança numa reviravolta. #Oremos!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. A sua indignação é também a minha cara amiga.
    Estou muito triste e preocupada com toda esta estupidez para com o povo, espero que tudo seja resolvido e que possamos dormir em paz.
    Também iremos esta semana ver o mar e não quero saber de npotícias também.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  16. Cara amiga, eu já me indignei tanto que hoje, confesso, estou dando um tempo...Desde as últimas eleições eu me recuso a ver TV aberta, principalmente noticiário... Não quero me identificar com esse ódio que está espalhado por aí... Entreguei pra Deus e só espero justiça por parte dele de mais ninguém!
    Minhas amigas continuam falando de política TODOS os santos dias...Eu desisti!!! Mas isto não quer dizer que perdi as esperanças...Não!!! Continuo crendo que na hora certa tudo vai se ajeitar, por, tudo nessa vida tem um fim...até a sacanagem deles...Amém!!!!

    ResponderExcluir
  17. Amiga como a gente se surpreende com tudo
    não é mesmo, ficamos sem ação diante de fatos que
    nos deixa de boca aberta de tantos erros, concordo com vc

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  18. Feliz segunda-feira!
    Agradeço pela visita ao Perseverança; seja sempre bem vinda, esteja a vontade para comentar sobre o que achou das postagens e deixe sempre o endereço de seus links.
    Grande abraço
    Nicinha Fernandes

    ResponderExcluir
  19. Olá Marilene.
    Gostei muito de sua crônica. Para mim, a sua posição é a mais correta: se as coisas não andam direito é colocar a boca no trombone. Não podemos viver na base da resignação. A crítica é uma das armas que temos contra quem abusa de nossa paciência.
    Uma boa semana.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  20. Minha querida amiga,
    A planta do sentimento mesmo que não queiramos, floresce sempre nas almas sensíveis e atentas ao que se passa no mundo.
    Infelizmente essas estátuas é que dominam, muitas por culpa nossa, mas ainda temos uma arma, a revolta e a denúncia.
    Parabéns Marilene por este texto que me tocou profundamente.

    Um beijinho com amizade


    ResponderExcluir
  21. Quanto mais leio por aqui mais me surpreendo querida Marilene, surpresa boa, quer dizer, o texto é ótimo, trás junto minha indignação com nossos gestores, os homens que votamos para administrar o bem público, e acontece isso que estamos vivendo, esta crise sem precedentes, então para não sentirmos isso seria melhor não termos sentimentos, que bom que não é uma planta, que bom que não podemos perder o sentimento, porque apesar disso tudo ainda tenho fé, acredito que possamos nos salvar, salvar este país (isto se aprendermos a votar nos próximas eleições). Muito bom este post.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  22. Parece que os países irmãos estão cada vez mais unidos, no que é mau, pelo vou lendo...
    Ao iniciar a leitura, ocorria-me: pois, quantas vezes já desejei não ser tão sensível e gargalhar apesar das dores visíveis. Mas não, querida Marilene, a sensibilidade perante o que nos rodeia é matriz para continuarmos humanos e manter este mundo com humanidade. Contudo, de vez em quando, é preciso algum distanciamento para mantermos a nossa sanidade mental.
    Excelente reflexão! Bjo :)

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...