13 de dez de 2014

O RIO

(Rassouli )
                                                    
                                                    

O rio ainda segue calmo,  mas já não leva barcos em seu corpo. Está fraco e mal se mantém. Continua banhando as plantas rasteiras que o margeiam, mas já não lapida as pedras com a mesma força.

Respira fundo e sofre ao perceber que nele morrem os peixes, os mesmos que abraçava, que bailavam em seu interior e coloriam suas águas. Sente saudade do tempo em que, caudaloso, podia ostentar sua grandeza e fazer a alegria dos famintos pescadores.

O rio ainda segue calmo, mas carrega o peso da tortura que lhe é imposta pelos homens. Não mais corre, não mais brinca, apenas segue. E assim vai, desconhecendo seu tempo de existência, que apenas prevê breve e triste. Sabe que outros já secaram, mostrando o que tão bem escondiam na profundidade de suas águas.

O rio não mais canta, apenas sussurra, em seus movimentos lentos, em sua valsa de despedida.


                          
                          Era um rio, eu me lembro,
                          De águas cristalinas.
                          Todo mês de setembro
                          Suas margens se enchiam de flores
                          Pequeninas , coloridas,
                          Que cresciam olhando para o céu

                          Sim, era um rio,
                          De águas luminosas, espelhadas,
                          Que refletiam árvores e caminhantes,
                          Que recebia as folhas desgarradas pelo outono
                          E as embalava em seu corpo
                          Na dança festiva do adeus

                          Onde foi esse rio
                          Que mora  na minha lembrança
                          Que encanta na tela pintada
                          E que em murmúrio de glória
                          Ainda posso ouvir?
                          Ele é fruto de um sonho
                          Que a torneira vazia
                          Alimenta?

                          Não ...
                          Estou certa, era um rio, 
                          Eu não o criei na ilusão 
                          E ele um dia passou por aqui
                           

                            
                                                           Marilene





      
No final do ano o corpo e a mente clamam por relaxamento e paz. E é isso que vou procurar nos próximos dias, depois de visitá-los. Retornarei quando estiver com as baterias recarregadas , dando continuidade a essa prazerosa convivência que mantenho com  todos vocês.     



                                                                    Até breve!  



                                                  

72 comentários:

  1. Um texto e um poema para guardar. São momentos criados em nós, mas que nem sempre conseguímos descrever com a magia que o Natal nos oferece.
    Penso que esse rio interior não morreu nem em sí nem em muitos outros.A esperança ainda está viva.
    O rio irá renascer em cada dia. Os peixes,as flores e o canto das correntes nascerão em cada curva que o acidentado do terreno obriga o rio a contornar,mas sempre a correr em frente.
    Votos de Feliz e Santo Natal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena! Não consegui localizar seu blog! Se retornar, por favor, me deixe o endereço. Retribuo, com carinho, seus votos, desejando-lhe um maravilhoso Natal. Bjs.

      Excluir
  2. Simplesmente maravilhoso tudo o que li aqui... Esse rio profundo, que ainda passa, mas tão diferente...

    Lindo sempre te ler! Desejo um lindo, muito feliz NATAL, tudo de bom e que nos encontremos em 2015 sempre com saúde, alegria e paz! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Um texto interventivo que foca problemas reais relacionados com a poluição dos rios que vai matando a vida e secando o seu caminho em direcção ao mar. Mas também temos aqui um lamento ao rio da vida, quantas vezes cerceado, secado com actos, decisões e sofrimento.

    Que tenha um Natal feliz, com o coração recheado de amor e paz. Desejo-lhe um excelente repouso e no regresso continue a trazer-nos temas de reflexão, tal como é seu hábito.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderExcluir
  4. Lindo e reflexivo, Marilene1 Um tema bem atual e que nos toca e então vem a pergunta : Que faz o homem, ser inteligente criadopor Deus e dele recebendo presente tão belo e grandioso, não o protege. pelo contrário , o destrói dia a dia . As consequências estão aí , mas o homem segue indiferente ... Sua poesia reflete denúncia e ao mesmo tempo , protesto. Amei.
    Que o rio de amor em seu coração não encontre obstáculos à produção e nunca deixe de fertilizar essa página com tão belos textos. Um santo e Feliz Natal. Muitas bênçãos de Deus a vc e seus familiares.
    Abcs

    ResponderExcluir
  5. Marilene, sabe que sou uma pessoa sincera e transparente e confesso aqui para ti: sinto-me exatamente como esse rio...
    Que assim seja mesmo o Natal da maioria, embora sabemos que provavelmente não será, mas cabe a nós, blogueiros, levar essa mensagem aos vários cantos do mundo.
    Bom descanso, boas férias, recarregue as baterias e retorne com tudo para nos oferecer seus incríveis poemas e suas maravilhosas e inteligentíssimas crônicas.
    Feliz Natal e um Feliz 2015!

    ResponderExcluir
  6. Marilene
    Trazes a ecologia em equação, muito a propósito, Cabe a nós blogueiros, ao mesmo tempo escritores, alertar para a devastação do planeta. Sabendo que a própria natureza estabelecerá o equilíbrio, de que modo é que não sabemos de antemão e pode até ser desastroso para a humanidade.
    Desejos de tudo bom, para ti na quadra que se avizinha.

    ResponderExcluir
  7. Hoje vim deixar meu abraço pelo ano
    todo que vc esteve comigo, agradeço seu carinho
    vou sair de férias e volto em janeiro com meus posts
    favoritos, espero que nossa amizade permaneça em 2015
    Desejo um feliz Natal e um novo ano cheio de muita Paz

    Aqui minha gratidão por tudo

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  8. Uma morte em compasso de valsa lenta. Uma denúncia com o que se passa com o desaparecimento anunciado de muitos rios, devido à acção humana. Uma denúncia feita de forma tão tristemente poética, e como se não bastasse, também a introdução desse poema lindo sobre a memória de um rio que um dia por aí passou, mas que não existe mais. Um rio que vive apenas nas tuas recordações. Não foi sonho, mas foi infelizmente realidade que acabou. Mesmo que vivido de forma imaginária, é o que tem vindo a acontecer.
    Adorei, Marilene. Muito comovente, talvez também por eu ser uma defensora acérrima da Natureza.
    Que esta quadra festiva e de comunhão, te traga esse relaxamento necessário e apetecido, e que voltes no novo ano com as baterias bem recarregadas.
    Gosto muito de ti, Marilene. Feliz Natal e e Feliz Ano Novo!
    xxxx

    ResponderExcluir
  9. Encerrou com chave de ouro!
    Poema muito bonito e realista.
    Os rios ultimamente estão secando,
    e em sua volta já não se enxerga a beleza
    e singeleza de outrora.
    Marilene, bom descanso pra você,
    no próximo ano a gente continua essa interação tão legal.
    Tenha um feliz e abençoado Natal e que 2015 seja bem especial pra vc.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Divina a tua postagem de fechamento do ano Mari.

    Ótimo descanso pra voce e boas festas como muita paz e amor junto a tua família..
    E que o ano chegue como um rio de águas límpidas e tranquilas, trazendo muitas coisas boas.
    E que Deus com infinita bondade, ilumine o teu caminho e cada vez mais, a tua inspiração.

    Muito obrigada pelo carinho de sua amizade!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Bela analogia se comprarmos a agonia do rio que um dia foi pujante, com a efemeridade de nossa própria vida. ..Mas o que importa é tudo aquilo de bom que um dia foi o paraíso que nos cerca que por acharmos que é nosso de forma particular destruimos por não enxergar o coletivo inerente a tudo. Beijos querida obrigada por tua doce e inteligente companhia e feliz natal.

    ResponderExcluir
  12. Onde eu nasci passava um rio e o que sou é um rio
    que procurar o amar e atropela as pedras e arrasta as folhas
    um rio que corre no tempo e sabe onde vai dar.
    Uma pintura de texto intimista de muito labor.
    Minha querida faça a paradinha magica e recarregue suas baterias.
    Ja renovado o contrato para seguirmos 2015 com mesmo carinho e atenção.
    Seja feliz com meu terno abraço mineiro de flor.
    Feliz Natal de paz e esperanças.
    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Há sempre um rio, passando por nossa vida...Foi-se o tempo em que o homem respeitava a sua livre corrida...Esse texto, é um lamento poético de pura emoção: como explicar, tratamento tão desumano à bonança de um rio? parece que não há resposta, só há lamento...até parece que toda a água, agora são lágrimas de dor...
    Aproveite bem as férias merecidas, Marilene.
    Feliz Natal!
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia, não consigo encontrar seu espaço. No perfil não há nome do blog. Se retornar, por favor, me deixe o endereço. Retribuo seus votos, desejando-lhe um abençoado Natal. Bjs.

      Excluir
  14. Oi mana,

    Triste lamento, mas exposto de forma bela e emocionante.
    Chega a ser estarrecedora a forma como os homens tratam a natureza, mesmo sabedores de que serão vítimas dela no futuro. A bela natureza nos trouxe tudo de que precisávamos para viver bem e feliz. Em troca, ela não pediu nada, apenas que zelássemos pela sua preservação.
    Desolador o cenário versado tão realisticamente.

    Linda postagem e linda imagem.

    Que o Natal seja de paz e de luz para todos nós!

    Descanse bastante e retorne com a mesma brilhante inspiração.

    Beijão.



    ResponderExcluir
  15. Marilene, fechou muito bem o ano. Gostei muito da postagem.
    Desejo um bom descanso!
    Vou fazer uma pausa no meu blog por alguns dias...
    Que nesta noite especial de Natal todos os seus sonhos se realizem, que Deus continue abençoando você e toda a sua família nos anos seguintes… Feliz Natal, Feliz Ano Novo!
    Um punhado de sorrisos e um beijo no coração!
    Ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  16. Marilene, texto lindo e poesia de primeira, relatando a nossa triste realidade.
    Mas os rios continuarão a nos alimentar, a seguir seus cursos, a contornar seus obstáculos, alguns feitos pelos próprios homens, que dele dependem. A vida seguirá sua ordem, como tem que ser.
    Obrigada pelos votos, que seu Natal e seu ano de 2015 sejam bons, felizes e ricos de bênçãos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Marilene, voltei pra agradecer todos os carinhos que deixaste. Tu e a Vera, são uns amores e gosto muito de vocês! Obrigadão às duas! bjs, chica e boas festas! ( deixei aqui o recado pois podes falar pra ela, já que ela está envolvida com as reformas e certamente,nem vem ao blogue!)

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde, Marilene.
    Uma postagem, sem dúvida, talentosa!
    Na realidade, eu fiz a leitura de dois rios aqui, o emocional e o natural.
    Encaixou perfeitamente bem os dois tipos de rios que percorrem nossas vidas.
    Parabéns e tudo de bom.
    Beijos na alma e linda semana de paz.

    ResponderExcluir
  19. Amiga Marilene, como sempre presenteia-nos com um belo poema, um poema que reflecte a actual situação da natureza imposta pelos desvarios do homem. Até quando ela mais irá resistir?

    Desejo-lhe também um Natal onde todos os seus sonhos se realizem.
    E para o Ano se Deus quiser cá estaremos de novo juntas.

    beijinho com carinho


    ResponderExcluir
  20. Excelentes o Texto e o Poema !
    Desejo-lhe um Feliz Natal

    ResponderExcluir
  21. nada como "os rios de infância" para recarregar baterias.

    bom descanso!

    beijo

    ResponderExcluir
  22. um poste que merece reflexão.

    e vá carregar as baterias e volte quando achar que ve voltar.

    bom descanso.

    beijo

    :)

    ResponderExcluir
  23. Belissimo e o piro que é a dura realidade. Sempre vamos pescar por aqui no rio Mogi, não é limpo como antes mas era grande. Corta o coração de ver, esses dias vimos um rapaz atraver as margens e acho que a altura da água deveria estar em um metro mais ou menos....triste demais.
    Boas festas pra ti e pra toda sua familia.

    ResponderExcluir
  24. Marilene, um belo trabalho literário sobre a destruição da natureza traduzida na linda imagem de um rio que, lentamente, se extingue.
    Desejo que tenha conseguido a tranquilidade do corpo e espírito com um Santo e Feliz Natal.

    ZCH

    ResponderExcluir
  25. Oi Marilene! Lindo texto, belíssimo poema! A situação em que se encontram nossos rios, é o fruto do egoísmo e da ambição do homem.

    Que DEUS te permita um Feliz Natal com muita saúde e paz, e faça com que o teu 2015 seja um ano repleto de realizações.

    Abraços,

    Furtado.

    PS. Não alterei nada com relação às configurações.

    ResponderExcluir
  26. OI MARLENE
    Que texto divino.Que o seu coração se abra e receba a luz. Que a sua vida seja luz. Que seu maior amigo seja sempre Ele, Jesus. Que Deus te abençoe neste natal e por toda a tua vida, te dando paz saúde e coragem para seguires adiante e alcançares tudo que almejas.

    Um Natal de muita luz.
    Ana



    ResponderExcluir
  27. Marilene, como vai poetisa que nos encanta com versos tão lindos?
    Maravilhosa retratação de um rio que aos poucos vai deixando a vida escapar dele...
    Triste e melancólico...
    Mas real, verdadeiro e intenso!
    Apenas um espelho do que já fora outrora!!

    Encerrou suas atividades brilhantemente amiga, fica até difícil tecer um comentário diante de uma obra magnífica assim!
    Estive mais ausente da blogosfera no último mês, estava já recarregando um pouco as baterias..rsrs
    Mas eu não poderia encerrar o ano sem antes vir aqui deixar o meu abraço, o meu carinho para você Marilene!
    Agradeço muito sua companhia em 2014!
    Espero que em 2015 continuemos assim, desse jeitinho, unidas em tudo, falando um pouquinho de tudo, se encantando com poemas e tudo o mais que compartilha conosco !!
    Gosto demais do seu recanto, aliás, ambos são lindos! ADORO!!
    Desejo um final de ano espetacular e um ANO NOVO repleto de bênçãos e muita paz Marilene!
    Felicidades e FELIZ NATAL!!!
    Beijos querida!! ♥♥

    ResponderExcluir
  28. Muito bom, Marilene! Descanse, amiga, e volte para nos deliciar com os seus ótimos textos. Boa semana!

    ResponderExcluir
  29. Que triste, que lindo, deu um medo agora. Será quantos rios serão dentro de algum tempo apenas uma lembrança?. " As flores que olham pro céu",certamente nestes tempos estarão pedindo a proteção divina já que os homens não sabem cuidar das maravilhas aqui na terra.
    Um grande abraço Marilene e um Natal cercado de paz e de muito amor e carinho. bjs.

    ResponderExcluir
  30. Olá,bom dia, como está!
    Daqui lhe envio os meus votos duma Boa Quadra Natalícia!
    Saudações Poéticas!

    ResponderExcluir
  31. Muito triste, muito verdadeiro, mas também muito belo.
    Quando a vida chega ao fim, seja de um rio seja de qualquer ser vivo, faz-nos sentir saudades do tempo em que era vigoroso, forte, quase indestrutível. Mas a verdade é que "ele" existiu tal qual o recordamos.
    Minha amiga, aproveite bem o tempo para descansar e repor energias.
    E que o seu Natal seja repleto de bênçãos, com tudo que deseja.

    Beijos e meu carinho.
    Mariazita

    ResponderExcluir
  32. Oi, Marilene!
    Belos e tristes, texto e poema! Quantas histórias de pescaria comportaram esse rio? E quantas famílias dependiam dele para sobreviver?
    Valoriza a natureza quem vive em contato com ela. Em geral, os urbanos se lembram da natureza somente nos feriados e olhe lá como lembram!
    Infelizmente o nosso solo está cada vez mais sugado, seja pelo agronegócio, seja por hidroelétricas arcaicas, grandes indústrias... A água não é mais fonte inesgotável e também precisamos fazer a nossa parte!
    Gostei da mensagem reflexiva para fechar o ano!
    Boas festas!! Feliz Natal e Ano Novo cheio de alegrias e de pessoas amadas!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  33. Que tengas un lindo descanso amigo y una bella Navidad, saludos :)

    ResponderExcluir
  34. Linda postagem, Marilene. Bjs e bom descanso! Mas ainda volto pra te desejar um bom Natal.

    ResponderExcluir
  35. A emoção tocou forte meu coração e me fez sentir e ter a mesma emoção que você sentiu ao olhar para o rio, é a mesma que sinto quando olho para ao rio de onde moro.
    Muito triste, não é Marilene?
    Um grande abraço e feliz Natal a você e todos que você ama e até sua volta.

    ResponderExcluir
  36. Marilene, aqui onde moro tem um rio lindo, judiado pelo porto da cidade. Como ministrei aulas de Geografia nesses dois anos, fiz o possível para conscientizar as crianças da importância de conservar a limpeza da água. Infelizmente é difícil mudar o hábito e a cultura das pessoas. Um abraço!

    ResponderExcluir
  37. Feliz Natal, Marilene, para você e todos que você ama! Aguardo a sua volta, com novos posts. Boa semana!

    ResponderExcluir
  38. Menina!!! Você encerrou o ano belamente! Que prosa poética, que encanto de texto. Senti uma emoção linda lendo seu texto, algo que teve e não volta mais pela culpa do próprio homem. Morre um Rio, agonizando, que imagem fantástica. E infelizmente nada é feito. Aqui também temos um enorme rio, lembro que alegria quando entravamos sem medo de nada. Hoje está agonizando. Não se foi ainda pela sua imensidão. Pela sua teimosia em banhar a cidade. Ainda é lindo para quem olha, mas poluído.
    Boas festas, Marilene, e ótimas férias. Até a volta com novas e comoventes inspirações!!!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  39. Agradecendo a sua amizade durante o ano, e antecipando já 2015, desejo.lhe Boas Festas e um Santo Natal!

    Beijinho amigo

    ResponderExcluir
  40. Feliz Navidad amiga brasileña, lo mejor para ti.

    ResponderExcluir
  41. Lindo, Marilene! Se um rio definha e morre, outros seguem o mesmo destinho e isso dói na alma da gente!

    Que consigamos guardar as fontes, os morros e as florestas para salvarmos cada rio dessa nossa Nave!

    Feliz Natal!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  42. Olá, caríssima. boa noite|
    Já lá vai mais um Natal...
    Agora venho desejar-lhe um novo Ano de prosperidades e alegrias!

    Saudações minhas!

    ResponderExcluir
  43. Triste, belo, desastroso! Espero que tenhas passado um bom natal.
    Votos de um excelente ano novo.
    Bj

    ResponderExcluir
  44. Foi um privilégio caminhar a seu lado no decorrer desse ano .
    Estou passando na minha última visita de 2014 e
    agradecida por um dia ter conhecido uma
    pessoa tão maravilhosa como você.
    Nunca terei como agradecer seu companheirismo
    que fez você ser tão espacial para mim.
    Que essa amizade compartilhada no percurso
    de mais um ano seja a alavanca para prosseguir em mais um ano.
    Desejo um ano novo de grandes conquistas sonhos que se realize paz e esperança .
    Sem despedidas deixo um encontro marcado para compartilhar novos momentos...
    Agradeço esse presente divino que tem o nome de amizade.
    Feliz Ano Novo.
    Até nosso próximo reencontro em 2015.
    Beijos ternos e carinhosos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  45. Feliz Ano Novo, Marilene! Que 2015 traga tudo de bom, para você e os seus! Boa semana.

    ResponderExcluir
  46. Infelizmente os rios não escapam à poluição do HOMEM. Além de os transformarem a seu bel prazer. Os ditos rios selvagens (ainda puros, sem intervenção humana) também não escapam à avidez de os transformar em lagos, represando-os. Aconteceu com o meu rio, o rio Tua, Mirandela, distrito de Bragança. Tenho bastantes poemas assentes nesta temática. Embora a cidade tenha ficado muito atrativa, não deixo de lembrar o meu rio como o conheci.
    Hoje, venho deixar um bjinho, assinalando um ano que está a findar, desejando que o próximo seja MESMO bom!
    Bjo, Marilene :)

    ResponderExcluir
  47. Bom descanso!
    Votos de um feliz novo ano.
    Bjs

    ResponderExcluir
  48. Olá querida amiga Marilene! Espero que esteja bem e que tenha aproveitado as festas de final de ano. Desejo que esse 2015 comece com boas realizações e continue com elas. Adorei o texto...na vida devemos ser como um rio, senão não conseguimos seguir com dignidade e calma.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  49. Bom dia, Marilene!
    Mais um belíssimo poema. Triste em seu conteúdo por ser tão real. A cada dia vemos pedacinhos da natureza morrendo e os poucos que se preocupam gritam, mas quem detém o poder, faz vistas grossas.
    Amei seu poema e a imagem que colocou.
    Um ano maravilhosamente abençoado pra vc e os seus.
    Abração esmagador.

    ResponderExcluir
  50. Olá, Marilene!!!

    Que belíssimo, minha amiga! Comovente e verdadeiro!

    Como estas? Saudades de você!
    Boas férias!
    Beijos e meu carinho.

    ResponderExcluir
  51. Um beijo no seu coração Marilene. Um 2015 de boas noticias para todos nós.

    ResponderExcluir
  52. Bom dia, Marlene
    Passei para ver se já havia novidades... mas verifico que você ainda se encontra ausente.
    Continuarei a aguardar seu regresso.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  53. Bom elogio pr tudo postado aqui

    Bom domingo

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  54. Querida amiga

    Que ainda haja estrelas em seu coração,
    é o que deseja minha vida para a tua.

    ResponderExcluir
  55. RIO um belíssimo texto seguido de um belo poema em que a Autora nos dá a imagem da destruição do ecossistema.
    Parabéns Marilene!
    ZCH

    ResponderExcluir
  56. Belíssimo texto Marilene!
    Deixo um beijo e um punhadão de sorrisos.
    Descanse bastante!

    ResponderExcluir
  57. belíssimo poema!
    beijos.
    http:\\blogaraan.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  58. Deixo um bjo e votos de que tudo esteja bem. Quanto ao teu regresso ao(s) blogue(s), ele certamente acontecerá quando o ânimo se fizer mais presente do que ausente...
    :) :)

    ResponderExcluir
  59. Aguardando a sua volta e o próximo post. Boa semana!

    ResponderExcluir
  60. Acertou, Marilene, deixando o blog aberto temos a oportunidade de ler outros textos!
    Dê uma pausa, é pra lá de normal!
    Beijo, carinho meu.

    ResponderExcluir
  61. Olá Marilene! Passando para agradecer a tua honrosa visita e teu amável comentário, bem como desejar muita paz, saúde e felicidades para ti e oara os teus.

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  62. Olá Marilene!
    Vim da uma espiadinha pra ver se tinha novidades.
    Deixo um beijo!
    Ótimo fsds!

    ResponderExcluir
  63. Olá Marilene!
    Vim da uma espiadinha pra ver se tinha novidades.
    Deixo um beijo!
    Ótimo fsds!

    ResponderExcluir
  64. Poema e texto de intervenção. Belos para se reflectir.

    Uma Santa e Feliz Páscoa.



    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  65. BOA TARDE QUERIDA
    Que este nosso pequeno mundo virtual seja cada vez mais humano.

    Que tudo o que sonhamos se transforme em realidade.

    Que o Amor pelo próximo seja nossa meta absoluta.

    Que nossa jornada de hoje esteja repleta de flores.

    Feliz Páscoa

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...