31 de out de 2014

PRONTO SOCORRO

                                                             

                                                                   
Acompanhando uma pessoa ao pronto socorro do Hospital e Maternidade São José, na cidade de Conselheiro Lafaiete, que atende pela UNIMED, horrorizei-me . Quem o olha pela frente não imagina o que está na parte de trás. Cadeiras quebradas são utilizadas para transportar doentes. Cães vagueiam entre elas e se unem a quem, nesses bancos se acomoda, em triste espera. Disse-me um funcionário que eles se vão pela manhã e retornam à noite. A placa sobre investimento de recursos me fez questionar onde foram eles parar. Infelizmente, nossos políticos , diante de qualquer problema de saúde, voam para São Paulo e são recebidos naqueles hospitais dos quais míseros mortais sequer podem se aproximar. Ainda bem que a pessoa que acompanhei não ficou lá. Deus nos salve, porque a situação deprimente do que é oferecido à população, em matéria de saúde, eu só tinha visto, anteriormente, pela televisão.

                                                                                                      

(Sem apoio para um dos pés)


                                                                                                         

(Nada a dizer)

                                                                                             
                                                                                                    
                                 (Enfermaria com outras camas ocupadas por doentes
                          que aguardavam cuidados médicos) 
                                           

("Para a saúde de sua família")




                                                            (Vários cães)


Sempre levo comigo a máquina fotográfica, principalmente quando viajo. Ao girar meus olhos por esses ambientes, não resisti e fui buscá-la no carro. Percebi que alguns funcionários não estavam gostando do meu comportamento, mas conversei sobre os cães e, provavelmente, deduziram serem eles o motivo de meu interesse. De certa forma, também eram, pois um pronto socorro não é lugar para se permitir animais.

Fiquei tão indignada que, mesmo querendo falar sobre algo belo, nesta postagem, optei por me referir a uma das maiores dores  dos brasileiros, a falta dignidade na assistência médica. 


                                                           Marilene




30 comentários:

  1. Marilene, pense num plano de reaparelhamento dos hospitais. Certa vez, eu ouvi e acatei o pedido de uma assistente social de certo hospital da minha cidade. Ela pediu a gentileza de que quem resolvesse doar algo para o hospital, que ajudasse doando cadeiras de rodas, lençóis e cobertores, camas hospitalares. A doação de bens palpáveis aos hospitais, de acordo com a direção desse hospital, pode ser bem vinda e ajudar aos necessitados. Penso positivo, pois tudo pode ser melhor. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yayá, eu sequer poderia imaginar como era a entrada do pronto socorro, porque a frente do hospital é bem arrumada e suas instalações interiores não assustam. Mas o que vi para o primeiro atendimento me levou a presunções muito desagradáveis. Os planos da UNIMED já são caros o suficiente, para que a população arque com esses ônus. Bjs.

      Excluir
  2. Situação lamentável, mana.
    O problema da saúde pública em nosso País é calamitoso.
    Vê-se que até mesmo em um hospital que atende convênios não há zelo para com a saúde pública.
    E se o Governo de Minas investiu recursos nesse hospital, ou eles não foram suficientes ou foram utilizados inadequadamente.
    Animais não tratados também são veículos de doenças. Creio que, no caso, falta também uma boa administração a esse hospital.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Marilene!
    Sabe, uma coisa que aprendi e na prática, é que nem sempre a gente deve ficar "dourando a pílula" e só falar sobre coisas boas. Não digo que devemos ser pessimistas, mas tão pouco dá para viver na terra do My Little Pony, temos que ser realistas. Pois só sendo realistas do que acontece ao nosso redor, podemos ajudar as pessoas que sofrem. Porque claro, é muito mais fácil darmos aqueeeele sorrisão cobrado pela sociedade, falar ou escrever palavrinhas bonitinhas o tempo todo para agradar do que mostrar a real, mostrar o que incomoda.
    Olha, nem vou dizer que estou horrorizada com teu post porque essa é uma constante em minha vida. Tenho problemas de saúde, minha mãe tem e todas nós não temos o mínimo para pagar um plano de saúde e dependemos exclusivamente do SUS. Se quem tem plano de saúde já reclama do atendimento, como é o caso de alguns familiares que acompanhei e para quem vai ao SUS o atendimento parece ser "o paraíso", não tem noção do que acontece com quem "não paga", como se não pagássemos impostos.
    Eu nunca consigo ser percebida e ter um bom atendimento, assim como minha mãe, se não gritar, insultar ou ser grosseira com médicos e enfermeiros. Porque olha, lidamos ali com pessoas tão humildes que acreditam que "não pagam", pessoas que nunca souberam o que é um atendimento particular e pensam que hospital "é assim mesmo". Quando minha mãe ficou internada, queriam liberar uma menina com uma forte crise de rins depois de dar um sorinho quando ela precisava de internação! Até a briga dos outros eu compro e fiz um escarcéu lá dentro.
    É triste, mas é real.
    E gostei da ideia de levar sempre uma câmera fotográfica, vou adotar esse hábito também.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi, os problemas não envolvem apenas o atendimento pelo SUS. E há ótimos profissionais lá, mas não se consegue consultas rápidas e a fila para cirurgias é enorme. Existem planos de saúde que não cobrem os exames mais caros, que demoram a agendar consultas, que não conseguem se manter e deixam os associados na mão... e por aí vai. A moça que trabalha para minha irmã precisa passar por um procedimento sério e está à deriva. No SUS, não consegue. No convênio, que paga há anos, tem que esperar decisão sobre onde vão colocá-la, porque a empresa faliu. Enquanto isso, fica com um aneurisma na perna. Mesmo tendo um convênio muito bom e podendo ser atendida nos melhores hospitais de Belo Horizonte (graças a Deus), vez ou outra estou em conflito com os profissionais. Falta competência na área. Bjs.

      Excluir
  4. ah, Marilene!

    Não se pode esconder a verdade, mesmo quando ela é cruel...A política da educação e da saúde deveriam ser sempre prioritárias...chocante mesmo. Então no próximo post desfrute de coisas belas,,,te deixo o meu abraço carinhoso.

    ResponderExcluir
  5. Marilene, tu fizeste um maravilhoso registro fotográfico dessa deprimente e triste situação a que são submetidos os pacientes que ali chegarem à procura de saúde. Pena, lastimável, mas acredito que ainda por muito tempo nada será feito!!! beijos, lindo fds! chica

    ResponderExcluir

  6. Cara Marilene

    Este seu post é alerta. Esperemos que chegue a quem de direito, a quem tem a obrigação de zelar
    pela saúde e bem-estar das pessoas. As suas fotos documentam muito bem a situação. É um dó de
    alma verificar que alguém que recorre às unidades de saúde, além do sofrimento que a doença produz,
    ainda tem de passar por essa humilhação.

    E fez bem em escrever sobre isso. Sabemos que a vida não é só sorrisos. Há que falar e debater esses
    problemas

    Bj

    Olinda

    ResponderExcluir
  7. Marline Gostei de ler é um grande alerta mas infelizmente não é só no Brasil aqui em Portugal com os cortes do governo ao ministério da saúde. Há hospital sem medicamento e outro produtos básicos como papel Higiénico nas casas de Banho. A ultima noticia de ontem a que o hospital de Oncologia do Porto ande são tratadas as pessoas com câncer, estão adiar operações por falta de cama e tem as pessoas nos corredores é uma vergonha. Bom fim de Semana
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  8. Também temos problemas com a saúde pública em Portugal, mas ainda assim não se chega a tanto. Decerto que as verbas do governo foram parar ao bolso de alguém.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  9. Chocada, é como me sinto! Nunca imaginaria tal coisa se não publicasses as fotos!
    Felizmente que, apesar da privatização desenfreada do governo atual, temos uma saúde pública bastante razoável e de excelência em hospitais centrais. Foi uma das conquistas do nosso 25 de Abril: o serviço nacional de saúde!
    Agora, que foi reeleita a Dilma, que ela veja como prioritário duas coisas: um serviço de saúde público de qualidade e a aposta na escola pública que. sei, por familiares residentes em S. Paulo, não está instituída.
    Por amor à saúde, que não se poupem esforços!
    Obg por este relato, Marilene.
    Bjo, querida :)

    ResponderExcluir
  10. Hoje é dia de deixar uma frase pra vc!

    Deus é capaz de trocar reinos por ti, abrir mares pra que possas atravessar e se preciso fosse daria novamente a vida por ti!
    Deus só não é capaz de deixar de te amar...
    Acredite!!

    Padre Fábio de Melo

    Bom final de semana
    Bjuss com meu carinho de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  11. As imagens falam por si, não é, minha amiga?
    Falam, e contam uma história muito triste!
    Doentes que precisam de cuidados, de ambientes esterilizados ou, pelo menos, impecavelmente limpos, serem atendidos nessas condições, é, no mínimo, revoltante.
    Acho que os senhores governantes, que permitem essas condições, deveriam, eles sim, frequentar esses lugares.
    Em Portugal as condições hospitalares são muito más, mas, pelo que sei... não são tão más assim.
    Que Deus nos valha, sim, porque só com a Sua ajuda os doentes aí internados poderão sobreviver.

    Bom fim de semana.
    Beijinhos
    Mariazita

    Obrigada p.p. em minha «CASA».

    ResponderExcluir
  12. A falta de dignidade, Marilene, não é em relação à saúde dos brasileiros, mas fruto da persistente indignidade a que a classe política, em geral, se dedica a fazer frutificar no país pelos métodos que conhecemos. Infelizmente, boa parte das pessoas faz a sua parte nessa escolha quando vota. Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Oi Marilene,
    Sua postagem mostrou a realidade não só de MG, mas do Brasil.
    Infelizmente isso acontece em vários hospitais...
    A saúde pública é um caos,
    na cidade onde moro, alguns hospitais que atendem convênios,
    também deixam a desejar,
    pois demoram demais para agendar consultas e exames.
    O atendimento só é bom para consultas particulares...
    Enquanto isso, o povo padece.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Ah Marilene, que desolador. O pronto socorro de um hospital a necessitar de socorro, e um socorro urgente!
    Essa pessoa não ficou lá, mas muitos terão de aguentar-se com tais condições, ou neste caso com a falta delas. Imagens como essas eu só tinha visto pela televisão em "hospitais" africanos.
    A tua crónica de hoje é a prova do tanto que falta fazer na sociedade brasileira em termos de cuidados de saúde. Portugal tem na generalidade bons centros de saúde, e os hospitais públicos sofrem com a sobrelotação, e há também uma enorme lista de espera para certo tipo de cirurgias. Para além disso, devido à crise também encerraram muitos serviços de saúde no interior do país, o que afasta as pessoas de salvação possível em caso de urgência.
    Indigno, mesmo. Denunciar é pouco, mas é o que se pode fazer.
    Bom fim de semana, Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  15. Olá, querida Marilene
    Na minha idade (não tão 'veinha' assim) preciso arcar com um quarto do meu soldo pra plano de saúde... uma barbaridade... assim mesmo, aguardar 2 ou 3 meses pra consultas de praxe...
    Emergência sou muito bem atendida mas não a uso faz tempo, graças a Deus!!!
    Quando vejo os públicos por onde passo, quase me arrepio, oro pelos 'pobres coitados' e a sina tremenda deles...
    Saúde, educação e segurança está ao léu... pena!!!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  16. Minha amiga, uma postagem como a tua, de denúncia e revolta, com imagens que não podem negar a realidade, mostra bem o que se passa em muitos órgãos de atendimento à saúde que proliferam no país. Não só aí no seu estado, mas sempre temos notícia de casos idênticos a grassar por aí a fora. Tenho visto denúncias também nos órgãos de comunicação visual, vergonhosos como o que acabas de nos ilustrar, mas não vemos nenhuma solução ser tomada. É bem verdade que existem hospitais e postos de saúde, principalmente por alguns interiores dos estados, em que a saúde está sendo tratada com dignidade, onde bons profissionais e excelentes materiais estão disponíveis, e se casos mais graves necessitam de um centro maior, a prefeitura disponibiliza ambulâncias para levar e trazer pacientes. São casos narrados por pessoas da minha convivência e que possuem a sorte de morar em áreas com esse atendimento tão humanitário, para não dizer obrigatório. Em contrapartida também convivo com que pessoas que passam pelo mesmo horror e descaso em suas cidades, em condições idênticas (ou piores) do que a que narraste aqui.
    Concordo com a Vera Lúcia quando questiona que talvez o Governo de Minas tenha investido recursos no hospital, mas talvez tenham sido insuficientes ou foram utilizados inadequadamente. E ainda acrescento: como a corrupção é um defeito que acomete a muitos seres humanos (?) será que tais recursos não foram parar no bolso daqueles que teriam a responsabilidade de distribuí-los adequadamente? Infelizmente sabemos que esta é uma prática recorrente por aqui.
    Para nós que temos condições de adquirir um plano de saúde dos melhores, fica a tristeza de saber que tantos outros não possuem essa facilidade e que infelizmente dependem mesmo do atendimento do SUS ou de planos de saúde precários.
    Enfim, meu anjo, a tua postagem/denúncia chocou a todos nós, cidadãos conscientes. Ainda há pouco depositamos um voto de confiança num dos candidatos (?) que nos foram oferecidos, acompanhado de uma tênue esperança de que alguma coisa possa mudar... Tomara que este pilar (saúde) que junto dos outros sustentou as promessas dos dois candidatos, possa absorver recursos suficientes para que a nossa população tenha um mínimo de dignidade no atendimento aos seus problemas tão sérios.
    Junto das estrelas e dos sorrisos, hoje tão parcos pela leitura de tão chocante relato, possam te trazer uma semana de realizações e alegrias.
    Com carinho,
    Helena
    (http://helena.blogs.sapo.pt)

    ResponderExcluir
  17. Vi na África e pensei que fosse só lá. Ainda bem que por cá não temos nada parecido. Podíamos estar melhor mas vamos pouco a pouco. Está nas mãos dos parlamentares em colaboração com os utentes mudar.
    Não tenhas medo das alturas e atravessa o oceano, fecha os olhos!
    Bj

    ResponderExcluir
  18. É geral este descaso com a saúde e com outras coisas mais, aqui em Pinda é a mesma coisa, cara amiga Marilene.
    Isso precisa mudar e urgente, o povo tem que ser tratado com dignidade.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Marilene, veja, o salário de um jogador de futebol ou do técnico, e compare com o que ganha um médico para salvar a sua vida! Pergunte a um médico, de Plano de Saúde, quanto ele ganha por consulta... Você fica constrangida - eu já perguntei. Tive essa infeliz ideia. Ainda bem que o ilustre era amigo. Imaginem, então, o que ganham os médicos que atendem o bendito SUS. Um país desse tamanho, pensando pequeno nas prioridades e pensando grande no lazer - realmente não entendo. Gostei das fotos reveladoras...
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  20. uma vergonha !!!

    anda por aqui muita gente a fazer tudo para que esse seja o paradigma dos hospitais públicos em Portugal

    espero que não tenham tempo!

    ResponderExcluir
  21. Tenho muita FÉ em DEUS que um dia o POVO brasileiro passara a ser respeitado, e terá o tratamento que merece. Acredito que o descaso não seja só em Minas, mas no país inteiro. Belo post Marilene, acho que seria uma excelente matéria para as emissoras de TV.

    Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  22. Há algum tempo, Marilene, passei por situação parecida... e também me revoltei muito! Pessoas deitadas no chão, morrendo por falta de assistência dentro do próprio hospital... e muitas outras barbaridades! O pior, amiga, é que isso acontece por todo o Brasil! :( Excelente postagem, boa semana.

    ResponderExcluir
  23. Sao situações deprimentes como esta, que acontecem nos atendimentos principalmente o público. Infelizmente, eles nao tem o menor respeito pelo ser humano.
    Eu que tenho uma pessoa em casa que esta sempre dependendo, sei bem como funciona. E as vezes temos que abrir mao de coisas que nem é luxo, para pagar uma consulta de emergência porque a clinica que costumamos leva-la, so esta arrumada por conta das tantas reclamações. Atende varios convenios mas é uma negação! E qdo vc fala em dinheiro vivo, a coisa muda de figura totalmente.
    Lamentavel esse descaso no Brasil!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Que tristeza!

    Meu receio grande é que em Portugal por causa das políticas de Passos e Portas -abençoadas por Cavaco - se venha a registar o mesmo descalabro ....

    Boa semana:)

    ResponderExcluir
  25. Querida Marilene, ainda bem que a internet deu ao cidadão a chance de ser um porta-voz de suas próprias necessidades. O cidadão hoje é um repórter do cotidiano, da vida real. O que você faz aqui com essa publicação é um belo exemplo disso, apesar da tristeza do que retrata. A situação da saúde no país é vergonhosa. Como disseste bem, os políticos logo que sofrem algum tipo de problema de saúde, correm para centros mais bem aparelhados na saúde. Deveria existir uma lei que obrigasse todo governante a se tratar no seu local de origem, a não ser em situações mais especiais. Compartilho com você da mesma indignação em relação ao fato. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  26. É revoltante ver o descaso com a sociedade e termos que aturar na época de eleições tantos indivíduos apelarem em campanha para este caos que é a assistência à saúde.
    Temos que registrar, esbravejar pelo retorno do dinheiro público para o público. bjs

    ResponderExcluir
  27. Amiga Marilene, em Portugal também temos problemas com o sistema de saúde e os Hospitais sofrem com falta de pessoal, falta de alguns medicamentos e excesso de doentes, mas nada assim , pelo menos que eu conheça.
    A falta de higiene é visível, portanto quem vai parar a um hospital assim corre o risco grave de sair pior do que entrou.
    Lamentável os governos pactuarem com estas situações.

    beijinho

    ResponderExcluir
  28. Que vergonha, Marilene. Mas infelizmente não é um """privilégio""" deste local. A saúde pública dessa país é deplorável e somos tratados feito lixos. O pior é que nem os planos de saúde que nos exploram dão um serviço de qualidade. Triste. Fez mt bem em fotografar tudo. bjs

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...