1 de set de 2014

VULNERABILIDADE

(Peinture de ans markus)
                                                               

                                                                
Muitas vezes, diante da divulgação de um fato, ficamos perplexos com a ingenuidade dos que foram vitimados por fraudes, eis que, para quem vê o noticiário, elas eram facilmente previsíveis. Acabamos por nos questionar sobre os procedimentos que teríamos adotado em uma situação semelhante. E acredito que muitos de nós efetuam julgamentos precipitados, na presunção de que teríamos sido mais cautelosos que os então lesados. Grande engano!

Algum tempo atrás, assisti  : QUEM É CLARK ROCKEFELLER?

O filme aborda fatos reais e mostra a vida de um homem que se intitulou um Rockefeller, circulou entre políticos e empresários, casou-se com uma mulher inteligente, culta, executiva renomada, sem que ninguém dele suspeitasse.  Até que, após o divórcio, sequestrou sua filha. Com as diligências policiais constatou-se, em princípio, que aquela pessoa não existia, não estava registrada em nenhum cadastro, não possuía identidade, carteira de motorista... nada. Posteriormente, através de uma digital, veio a confirmação de que se tratava de um homem que já se fizera passar por outros e que, percebendo os falsos valores das pessoas, relativos ao poder do dinheiro, assumiu a identidade  de um Rockefeller, com a maior facilidade. Todo o discernimento e capacidade intelectual de sua esposa não a levaram a perceber ter sido vítima de um embuste. Ela, simplesmente, se apaixonou por um jovem de grande inteligência.  Não se casou pelo nome ou dinheiro que ele supostamente possuía. Viveram 12 anos juntos, convivendo em alta sociedade... e ela sequer tinha visto um documento dele, nem a certidão de casamento.
                                                               
Ouvindo o comentário de uma conhecida, irresignada por ter sido enganada, não pude deixar de relembrar o tema, sobre o qual, inclusive, já havia, anteriormente, postado. Todos estamos sujeitos aos golpes e fraudes que lemos nos jornais. Não me refiro àqueles sobre aplicações para grandes rendimentos, bilhetes premiados, ou coisas do gênero. Nesses, os lesados são motivados pela ambição, pelo ganho fácil. Por mais que tenhamos capacidade de análise, estaremos sempre, infelizmente, à mercê de indivíduos envolventes, sábios, sem valores éticos, insensíveis, com sérios desvios de personalidade... e por isso mesmo, capazes de nos provar o quanto ainda somos  vulneráveis.
                                                             
Além daqueles golpes que não podemos evitar, já que nos são impostos pelo poder público, com brechas ou desrespeito a leis,  ainda temos que conviver com a desconfiança. E basta uma pequena distração, até mesmo um gesto de bondade frente a um desconhecido... para que nos vejamos   nessa situação humilhante, sobre a qual muitos nem falam, para não serem julgados tolos.


                                                         Marilene




36 comentários:

  1. Estás coberta de razão,Marilene! A qualquer hora podemos cair em golpes e armadilhas tramadas por mentes más e doentias que ao invés de trabalhar , querem ganhos fáceis.Isso na política igualmente. Por isso, todo cuidado é pouco e nem mais em mulheres podemos confiar. Quantas vezes vemos golpes por elas aplicados, até com presença de crianças para nos comover! Está feia a coisa e perde o mundo! bjs, lindo setembro! chica

    ResponderExcluir
  2. Amiga Marilene, concordo em gênero, número e grau. Realmente, ninguém neste está imune a algum tipo de falcatrua.
    Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  3. Miguel Esteves Cardoso, um cronista e autor português escreveu um dia, com alguma ironia à mistura que "Aldrabar não é só enganar. É enganar sem o devido cuidado; sem o mínimo esforço. Enganar é nobre, implica um mínimo de esforço e respeito pela vítima; ser enganado não é sinal de estupidez."
    Geralmente temos tendência a considerar que só os menos inteligentes ou avisados são enganados; um grande erro de perspectiva, já que à posteriori é fácil falar e saber o que deveria ter sido feito para não cair no "conto do vigário", e é sempre a confiança que determina esses percalços. Eu já fui enganada precisamente porque confiei, geralmente confio. Dei-me mal. Sou hoje mais cuidadosa, o que não quer dizer que não volte a cair em alguma outra esparrela...:-)
    Muito boa crónica, e gostei da associação com o filme, que também conheço.
    Boa semana, Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  4. Tristes e verdadeiras constatações, Mari.Estas vulnerabilidades muitas das vezes inesperadas, nos aniquilam a confiança nos seres humanos e nas instituições. Lamentável mundo novo.
    Assisti ao filme e também me quedei incrédula diante das artimanhas do protagonista, não tento pela ficção, mais pela veracidade da situação.

    Importante alerta vc nos traz.
    Bjos e boa semana.
    Calu

    ResponderExcluir
  5. Estamos sempre sujeitos a ser enganados a diversos níveis. Cada vez mais.
    Gostei deste texto.
    Desejo muito que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves




    ResponderExcluir
  6. Qualquer um de nós pode ser enganado, temos que ter a atenção redobrada sempre, para não nos deixar enganar. Belíssimo texto, um abraço querida.

    ResponderExcluir
  7. Verdade, mana.
    Hoje em dia qualquer um de nós, por mais atento que esteja, poderá ser vítima de gatunos. Eles trazem um defeito de caráter tão grande que transmutam-se em pessoas de bem e não deixam margem para que duvidemos de suas atitudes. Atualmente, desconfio até da minha sombra-rsrs.
    Não vi esse filme, mas ele retrata bem a fragilidade humana diante das pessoas mal-intencionadas.
    Perfeita a escolha da imagem.

    Um setembro bem feliz para você, com muita luz e acontecimentos felizes.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Olá Marilene,
    Que crônica perfeita...
    Sim, somos vulneráveis, e corremos o risco
    de sermos enganados, por pessoas acima de qualquer suspeita.
    É uma tolice julgarmos 'fulano', 'beltrano' ou 'ciclano'
    por terem sido vítimas de pessoas mal intencionadas,
    porque essa probabilidade também recai sobre nós.
    Boa semana, bjs!

    ResponderExcluir
  9. Sou macaco velho,sinhá!

    Não tão obstante,um parvo tentou isso comigo no hiper centro,dei-lhe uns bons cocões.Mais pela insistência dele
    Odeio gente mais boba que eu brincando com a minha inteligência

    Normalmente,pessoas que caem nesses golpes não são assim tão coitadinhas,pois vislumbram vantagens lucrativas no negócio(golpe)

    abraços fortes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade que precisamos ficar espertos. Quem aplica golpes não tem aparência de malfeitor, ou seria plenamente identificado. O desejo de obter vantagens leva muitos a cair nessas armadilhas. Creio que seus "cocões" foram bem dados. Abraço.

      Excluir
  10. Cara Marilene como entendo na "pele" o que você descreve aqui tão bem ...Passei por momentos angustiantes diante de um golpe que nãohesitei em relatar todos os detalhes na postagem de 19/08 último cujo título abordava exatamente a "Vulnerabilidade do meu Ser" , te convido a passar lá noBlog e lê , nunca achamos que vamos passar por situações constrangedoras e abusivas,mas passamos. Excelente post, compartilhar nunca é demais. Beijos
    www.claudete-viaspercorridas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudete, você mencionou momentos angustiantes, o que já me faz lamentar o que passou, mesmo antes de ler sua postagem. Irei lá, com certeza. Bjs.

      Excluir
  11. Oi Marilene! Acho que a vulnerabilidade está em todos nós, depende da intensidade do argumento que nos é apresentado. Eu, particularmente, costumo confiar desconfiando, mesmo assim, com certeza já fui enganado por pedintes que batem na minha porta, e sempre levam alguma coisa, menos dinheiro, claro.

    Bela crônica amiga.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  12. Costuma dizer-se "no melhor pano cai a nódoa". Os embustes mais refinados são perpetrados por pessoas muito inteligentes. Assim, ninguém está imune...
    Apreciei imenso este texto.
    Meu beijo :)

    ResponderExcluir
  13. Sim, é um facto, estamos sujeitos a ser enganados quando menos esperamos.
    E o sofrimento é enorme quando a pessoa confia sem reservas, como no
    caso relatado, porque, aparentemente, não há nada que levante desconfiança.
    E, nestes casos, é quase impossível não nos deixarmos ir no engano.
    Um dos grandes problemas é que viver a nossa vida sempre desconfiando
    massacra-nos os dias e desgasta. Como fazer? Ter atenção quando se trate
    de desconhecidos, procurando investigar a sua procedência? E quando
    são os amigos que abusam da nossa confiança? Enfim, é muito complicado
    conhecermos a alma humana em toda a sua dimensão.

    Um texto importante para a reflexão do nosso quotidiano, um quotidiano
    que nos deixa perplexos, sempre.

    Beijos

    Olinda

    ResponderExcluir
  14. Marilene, no chamado, simplesmente, conto de vigário, para o que já fui abordado, sei que não caio. No entanto, sou muito confiante nas pessoas que estão próximas e dessas já tenho bastas razões de queixa. O mal é que não tenho a certeza, de não voltar a ser defraudado.
    Porém, devemos refletir no teu esclarecido texto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Pura e triste verdade, Marilene! Pessoalmente, prefiro arriscar-me a ser julgado tolo, do que deixar de ajudar alguém a quem possa; mas sei que hoje precisamos redobrar o cuidado... infelizmente! Boa semana, amiga.

    ResponderExcluir
  16. Marilene, como vai querida?
    Sabe, creio que todos nós temos a nossa parcela de vulnerabilidade...
    Isso devido à tendência de confiar nas pessoas, muitas vezes, cegamente...

    É difícil constatar, de imediato, que poderemos sofrer ou ser vítimas de grandes ou pequenos golpes..
    Mesmo pessoas bem esclarecidas, com bons conhecimentos e alto nível de cultura, estão sujeitos a isso..
    No fundo, a gente quer acreditar na bondada das pessoas, mas infelizmente, o mundo é muito pior do que possa parecer...
    Não há mais espaço para ingenuidade....

    Seu texto está excelente, como sempre um tema apropriado para reflexão!
    E também PARA ALERTAR, para que possamos estar de olhos sempre abertos!
    Obrigada e uma linda semana querida!
    Beijos!


    ResponderExcluir
  17. Não conhecia o filme. Um post interessante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Concordo totalmente com a tua análise. A vulnerabilidade humana é a nossa
    capacidade de acreditar,confiar e a entrega estabelecida por uma empatia e na
    maioria das vezes a inteligência não nos livra de uma situação dessa.
    Existem muito psicopatas que agem, acima de qualquer suspeita. Mas,
    acredito na intuição e precisamos aprender a entendê-la para segui-la.

    Gostei muito!
    Uma semana luminosa...
    Bjos,Marilene.

    ResponderExcluir
  19. Olá, Marilene.
    Sou desconfiada por natureza, e não é fácil me enganar. Sem contar que há muito deixe de decepcionar-me, e espero tudo de uma pessoa: do melhor ao pior. Acho que eu não cairia num golpe desses que a gente vê por aí. mas a gente nuca deve dizer nunca!

    ResponderExcluir
  20. Marilene,

    Por mais que eu lute, por mais que seja corajosa, sou vulneravel, pois a minha fragilidade está ligado a um grande amor que é maltratada por conta de uma justiça corrupta. Então, é impossivel, algumas vezes, não me decepcionar ou mesmo sofrer.

    Bjs

    ResponderExcluir
  21. OI QUERIDA
    É COMPLICADO NÃO DIZER QUE NÃO VAI CAIR.NESTE TIPO DE GOLPE. MAIS MAIS FICO BEM ATENDA. ADOREI O TEXTO VC COMO SEMPRE MARAVILHOSA NOS TEUS TEXTOS. UM ABRAÇO.
    ANA

    ResponderExcluir
  22. É verdade, Marilene. E temos sempre que ficarmos desconfiados embora muitas vezes nem adiante. Mas esse tipo de golpe foi bem ousado. Não cheguei a ver esse filme mas parece interessante. Bjssss

    ResponderExcluir
  23. Oi amiga! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, bem como desejar muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  24. Pois é amiga, ainda hoje uma pessoa da m/família estava a cair num conto do vigário e eu a alertá-la
    para isso e ela a insistir. Não sei que volta dão à cabeça das pessoas.
    Desejo que esteja bem.
    Bom fim de semana.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  25. Pois é Marilene! Antigamente a escravatura era vergonhosa. Hoje, além de vergonhosa é criminosa por ser proibida.

    Abraços e um ótimo final de semana para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  26. Com enorme saudades e deixando
    para trás os dias tensos
    pelos quais estou vivendo.
    Quem disse que amigo não sente saudades
    quer seja presente ou virtual.
    O importante é as portas abertas
    para eu entrar e deixar meu carinho
    e agradecimento de alguma forma.
    Que seu final de semana seja dos mais felizes,
    que meu carinho acaricie se doce coração.
    Beijos e carinhos
    Evanir.

    ResponderExcluir
  27. Todo cuidado é pouco né amiga, vemos
    tantos golpes por ai, devemos ficar sempre com um pé
    atrás como dizem os antigos


    Bjuss de bom final de semana

    __________Rita!

    ResponderExcluir
  28. Oi, Marilene, como vai?
    Já ouvi falar sobre esse filme, embora não o tenha assistido. Tem razão, é fácil dizer que tomaríamos essa ou aquela decisão, quando não somos nós a vítima do embuste. Quando envolvidas as pessoas não tem discernimento para resolver algo que não enxergam. Um abraço!

    ResponderExcluir
  29. Belo blog! Lindissimo ^^
    Te convido a visitar o meu se gostar segue! Follow-me em @mcm_blog
    Abraços!

    http://meninacharmemoda.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  30. Poxa, Marilene, como gosto de ser desconfiada!!!! Quanto mais leio e vejo os noticiosos mais desconfiada fico, já tenho a sensação de que um dia vou explodir! kkk Se cair em alguma, não vai ser por bobinha e ingênua...
    Beijão.

    ResponderExcluir
  31. Conclusão, minha amiga, estamos mesmo expostos a toda espécie de golpes e enganos desse vasto, vasto mundo. Uma excelente explanação, Marilene. Beijos!

    ResponderExcluir
  32. Excelente tua reflexão sobre a suposta ingenuidade que leva uma pessoa a ser vítima de golpes que, visto de fora, parece até impossível de acontecer. Muitas vezes, olhando o acontecimento com o olhar distanciado, é que a pessoa chega à conclusão de que se deixou enganar com muita facilidade.
    Eu me julgo muito ingênua às vezes, pois não consigo confiar desconfiando, conforme o dito popular. Tenho a mania de confiar nas pessoas, de ajudá-las na medida do possível, de acreditar que as intenções são as melhores possíveis, e somente quando acontece alguma coisa que me decepciona é que vou revisar o momento em que a situação tomou um outro rumo. Isto se dá com relacionamentos de amizade, familiares e amorosos. Confio e dou credibilidade total às pessoas. Ainda bem que foram poucas as vezes em que me senti lesada por ter confiado tanto.
    Adorei teus textos, tuas reflexões e ponderações, tudo muito pertinente. Imagens também belíssimas!
    Deixo-te sorrisos e estrelas no desejo de uma linda semana,
    Helena
    (http://helena.blogs.sapo.pt)

    ResponderExcluir
  33. Mari, querida, passando pra agradecer tuas visitas e palavras que me deram alento. Sei que está passando a mesma dor , e só o tempo e Deus poderão nos ajudar a suportar.

    Beijo pra ti , desejando força e dias melhores , com a paz de que precisa.
    Lu C.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...