29 de set de 2014

UM BOM OLHAR

(Tela do saudoso Vino Morais)

                                                             


Ao ver uma senhora puxando um carrinho cheio, no mercado, o primeiro pensamento que me ocorreu foi de desalento. Coitada, idosa e tendo que se submeter a esse sacrifício, disse a mim mesma. Mas outro foco logo se apresentou. Ela tinha energia para sair e fazer as próprias compras, não dependia de pessoas que, geralmente, reclamam quando têm que acompanhar um idoso a algum lugar. Ela mostrava sua independência e tinha uma expressão suave que não mostrava indícios de descontentamento, aqueles que muitos outros rostos jovens estavam a exibir.

O que nos entra pelos olhos pode merecer interpretação diferenciada e se observarmos o que vemos com o melhor dos sentimentos, muito do que aparentemente decepciona pode ter um lado que mereça apreciação. O dia chuvoso, que irrita quem sai para o trabalho, é aplaudido pelos que convivem com a seca. Se nosso olhar for além do que é imediatamente visível influenciará nosso bem estar diário. Muito do que nos poderia ser prazeroso deixa de provocar sensações maravilhosas porque, envoltos pelo pessimismo, que chegou em primeiro lugar, não nos concedemos a oportunidade de um segundo olhar.

Tudo se abre para olhos atentos, quando não nos preocupamos com o tempo. Seja o botão a desabrochar, o nascimento de uma estrela, o bater de asas da borboleta, os pingos da chuva, o caminho novo. O bom observador não se prende ao relógio e se entrega ao prazer de momentos breves, únicos, insubstituíveis e impossíveis de se reviver, salvo nas lembranças ou na saudade do que foi perdido.

A compensação por se ficar por alguns segundos frente à janela que se acabou de abrir , fitando o horizonte, chegará com a beleza que vai penetrando, vagarosa e imperceptivelmente, na alma. Pode ela despertar um sorriso e a sensação de que a própria natureza retribuiu nosso olhar com um sonoro "bom dia" !

Um bom olhar é chave para se abrir portas feias e desgastadas, de fechaduras enferrujadas e frias, capaz de nos dar acesso a ambientes iluminados, ao aprimoramento da percepção, ao descobrimento de que a verdade não é tão visível que um simples foco a desnude, à primeira vista.


                                                                    Marilene




31 comentários:

  1. Oi mana,

    Muito lindo o seu texto.
    Bela visão a sua.
    De fato, não devemos nos deixar levar pela primeira impressão, que quase sempre leva a equívocos. Somente aqueles que detém uma boa percepção conseguem ver além e desfrutar desses encantamentos que você menciona. Um olhar apressado fere a essência das pessoas e das coisas. Como dizia o Pequeno Príncipe "o essencial é invisível aos olhos", ou seja, ao olhar descuidado e superficial. Um olhar apressado nada revela. O extraordinário só é perceptível através de um olhar atento ou ao foco que emprestamos a cada coisa ou situação.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Marilene, que lindo!!Tantas vezes nos enganamos com o primeiro olhar e pensamento que nos chega. Depois vimos a diferença, refletimos... bjs,praianos,chica

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que temos a perspicácia do segundo olhar.... bjs

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Marilene.
    belíssimo texto!
    Ajudou-me a acomodar meu pessimismo de segunda-feira. É preciso um segundo olhar, como diz a Chica.

    ResponderExcluir
  5. Que texto tão representativo dos nossos dias...Interessante, é que, agora mesmo, quando sentei-me para navegar um pouquinho, nesse maravilhosa via que é a internet, pensei:- quem me vir assim, em pleno meio da manhã de uma segunda-feira, "blogosferando", há de pensar que sou uma mulher preguiçosa...- aí, leio esse seu esplêndido texto mudo - abissalmente - o meu pensamento, aliviando a consciência da auto-censura.
    Que a semana seja bem prazerosa e produtiva...beijos!

    ResponderExcluir
  6. Maneira poética de apresentar essa grande verdade, Marilene: tudo depende da maneira como vemos o que nos cerca. É preciso ter paz dentro de nós, para que possamos descobrí-la ao nosso redor. Belo texto, boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Olá, querida Marilene
    Que bom ler um texto assim, ainda pela manhã, pra dar alento ao coração que pode estar querendo sucumbir ante a possibilidade do peso da idade!!!
    Um bom olhar alivia penas e endossa a esperança que nunca acaba no coração da gente...
    Bjm florido e ótima semana!

    ResponderExcluir
  8. Muito importante esse segundo olhar sobre as coisas, sobre os outros, e sobre as diversas situações que se nos deparam. Existem pessoas para as quais uma simples chuvada, ou apenas um céu nublado é suficiente para estragar o dia, como se umas gotas de chuva fossem uma grande contrariedade, enquanto outros podem até retirar prazer por receber umas gotas de chuva no rosto.
    É interessante o exemplo de idosos a fazer compras ou noutras actividades. Será uma situação incómoda quando precisam ficar em casa dependentes de terceiros. Bonito é , mesmo com algumas eventuais dificuldades sair à rua em vez de ficarem trancados em casa morrendo aos poucos como se já não tivessem utilidade para nada.
    Tens razão , temos de estar disponíveis para sermos contagiados pela beleza que nos rodeia, e aprender a perspectivar a vida de forma positiva na direcção do que é importante.
    Ficou lindo o texto, Marilene!
    Uma semana feliz!
    xx

    ResponderExcluir
  9. Oi Marilene,
    Um segundo olhar, na maioria das vezes é necessário...
    pois realmente, nem sempre a verdade é tão visível...
    Se tivéssemos um olhar mais demorado,
    apreciaríamos e entenderíamos melhor, muitas coisas ao nosso redor.
    Adorável, sua crônica!
    Boa semana, bjs :)

    ResponderExcluir
  10. Para conseguir ver há que saber olhar, também penso assim.
    Quantas vezes um segundo olhar nos mostra o que há primeira vista passava indiferente.

    beijinho e boa semana

    ResponderExcluir
  11. Marilene, muito bom o seu texto, mostrando que é preciso ter um olhar diferenciado ao nosso redor. Tudo depende do ângulo de quem vê. Quanto às pessoas idosas , eu sempre as admiro qdo as vjo caminhando, mesmo às vezes bem devagar. Mas estão ali, agarrando-se à vida, dando o melhor de si. Eu muitas vezes paro e fico olhando à distância e refletindo sobre o que vejo. Tenho algumas amiguinhas idosas que já se foram para a eternidade . Mas a imagem que tenho delas é tão rica e gratificante. E é esta a lembrança que quero deixar.Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Oi Mari, excelente perspectiva sobre olhares outros e que, geralmente, as pessoas esquecem que podem fazer uso deles.
    Tuas crônicas são bárbaras e você escreve sempre com o olhar do coração. Adooro!

    bacios cara mia!
    boa semana

    ResponderExcluir
  13. Oi, Marilene!
    Algumas pessoas já acordam com o olhar ruim para o dia e se mantém assim pelo dia todo, assim sucessivamente e depois reclamam de solidão... O olhar também se educa, assim como o ouvido, a fala, a disposição...Ter um olhar suave para a vida, melhora o dia da pessoa e de todos ao seu redor. Sou apaixonada pela terceira idade pró-ativa e que não espera pela boa vontade alheia - Eles dão banho em muitos jovens!
    Saber valorizar os dias e tirar o maior proveito da vida é inerentes aqueles que têm uma visão otimista do mundo.
    Beijus,

    ResponderExcluir
  14. Bom dia, Marilene
    Começo por agradecer os seus "parabéns".
    Nestes dias há sempre um misto de alegria e tristeza... Deixemos que a alegria prevaleça!

    Este seu texto, reflexivo e impecavelmente escrito, como sempre, fez-me lembrar o grande poeta Eugénio de Andrade, que diz "Passamos pelas coisas sem as ver,
    gastos, como animais envelhecidos:"
    É isso que acontece, vemos as coisas "pela rama", só o superficial, o que chama mais a nossa atenção, e, a maior parte das vezes, a realidade é bem diferente do que imaginamos.
    Precisamos ver as coisas com "olhos de ver"...

    Dias muito felizes para si.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Amiga Marilene, concordo em número e grau com tudo que dizes no post. É muito bom ler pessoas que veem o com o mundo com esta visão espiritualizada.
    Um abração. Tenhas uma linda semana.
    Ah, agradeço aqui, também, tua visita ao meu modesto espaço.

    ResponderExcluir
  16. Mari,
    esta premissa é uma das constantes em meu varal de atitudes e crenças.Sempre instiguei meus alunos a desenvolverem "olhos de quem vê", de quem absorve o visto e dele se nutre, aprende, descobre e renova o já visto.Há em cada situação estas nuances refinadas que requerem detalhamento, calma e doçura.
    Coincidentemente hoje, no mercado vivi uma situação igualzinha, no caso era um senhor portando uma bengala de apoio, que ia empurrando vagarosamente seu carrinho de compras com tranquilidade.Creia, tive o mesmo pensamento conclusivo que vc.

    Uma boa semana.Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  17. Olá Marilene,
    Que belo texto!
    De fato a nossa percepção é muito limitada fazendo com que nos enganemos muitas vezes exatamente por abrir as portas erradas. Por isso nunca devemos julgar e sim aprender!

    Abraços,
    Flávio Ribeiro

    ResponderExcluir
  18. Marilene, mais ou menos, sempre tenho dito, teres um espírito de observação muito aguçado. Agora, posto de forma coloquial, (?), serve para nos debruçarmos no modo de como, cada um pode ver as, várias facetas da vida. Naturalmente, o otimista verá de modo diferente, dum pessimista.
    Gostei da lição, tens deixado neste teu espaço boas lições.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi Marilene! Passando para agradecer as belas e carinhosas palavras de felicitações deixadas no teu comentário, quando da passagem do meu aniversário. Muitíssimo obrigado.

    Belo o teu texto amiga. Nem sempre a primeira impressão é a que fica, como costumam dizer. Necessário se faz uma segunda olhada para se ver a realidade das coisas.

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  20. é bom olhar. sim - com olhos os olhos da alma, por vezes.
    beijo

    ResponderExcluir
  21. Oi Marilene!
    Enquanto lia tua ótima crônica estive pensando: "será que esse nosso primeiro olhar é nosso mesmo?"
    O que quero dizer é: "será que não é a sociedade que nos condiciona a ter certos olhares como que pré-fabricados?"
    Você teve esse primeiro olhar de compaixão porque a sociedade em geral rotula os idosos como cansados, incapazes ou praticamente inúteis. Daí de repente, teu segundo olhar, que é refkexo da tua alma e não o pensamento condicionado a rotular certas coisas como tal, te removeu desse foco e te colocou no TEU próprio foco. Agora TEU.
    Percebi isso com os comentários que recebi na postagem "Para não dizer que não falei das flores" e apresentei a raríssima Rosa de Halfeti, a Rosa Negra. Entre 12 pessoas, se não me engano só duas se mostraram interessadas em conhecê-las de perto e admiraram. TODAS as outras pessoas ligaram ao lado fúnebre, à morte, pelo simples fato da rosa ser negra.
    Primeiro olhar: negra = luto (condicionado pela sociedade que o preto é a cor do luto).
    Segundo olhar: negra = pode ser bela, exótica, rara, exuberante, atrativa diante das demais.... e uma infinidade de outras características que um outro olhar pode adotar dependendo da pessoa.
    É isso aí Marilene.
    Acostumamos a enxergar com os olhos dos outros, de um modo geral, quando como disse lá na Coluna, os velórios e cemitérios possuem flores de diversas cores e isso nos passa "despercebido". Porque aprendemos que preto é luto e colorido é alegria.
    E nem sempre tudo é assim, exato, condicionado, rotulado.
    Adorei! Parabéns!
    Beijos. :)

    http://colunadami.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Adorei esse texto, Marilene. Moro num edifício antigo, daqueles construídos para famílias, para aguentarem guerras, com paredes largas e pé direito alto, o que hoje não se vê em construções novas. Mas somando a idade dos moradores, que não são muitos, deve beirar uns dois mil anos (rsss, exagerando), pois está cheio de gente entre 85 e 100 anos e ainda andando! Disse isso para mostrar como sei e entendo do que você fala!! Elas expressam bem essa alegria só por passearem com as 'babás', e algumas mais jovens, 85 anos, dão um pulinho no supermercado ou sentam nos bancos para conversarem. Isso para elas é saudável, é vida! E a vida, se pudermos ver direito, não tem fricotes, é simples, a gente que complica. Tem gente que conseguiu chegar a um estágio, diria que superior, conseguem ver beleza em quase tudo e se alegram com bem pouco.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  23. Se olharmos mais vezes com os olhos do coração, por certo enxergaremos com mais verdade.
    Lindo e sábio texto, um abraço querida Marielene.

    ResponderExcluir
  24. De fato a primeira vista nem sempre é a mais interessante, É preciso muita atenção para isto.

    Lindo texto Marilene.
    Parabens!

    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Um novo olhar para as velhas coisas, para o que existe e não foi notado.Lindissimo

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde Marilene, meu tempo anda encolhendo a dias, adoro te ler..... mas está mais dificil, então saiba que desejo que todos os seus dias sejam iluminados.....até breve... bjks

    ResponderExcluir
  27. Há sempre o outro lado das coisas, o outro lado do texto, como costumo dizer. Costumo observar rostos, atitudes e, frequentemente, imaginar que história de vida estará por detrás das pessoas. Já tenho escrito poemas a partir destes "olhares". Acontece-me também em relação a aspetos da natureza, uma flor, uma árvore. Em vez de tirar uma foto, escrevo...
    Gostei imenso deste "Um bom olhar" - olhar, semanticamente, vai para lá do ver. Mas isto só acontece com as pessoas dotadas da dita sensibilidade...Como tu, Marilene!
    Meu bjo :)

    ResponderExcluir
  28. Olá Marilene
    De fato ao olhar e observarmos as coisas com imparcialidade, podemos sim apreciar detalhes que a vida, o cotidiano tem a nos oferecer e que por muitas vezes deixamos no cantinho do esquecimento
    Uma sabedoria em ver os dois lados que a vida no apresenta e presenteia

    Bjks

    My

    http://entreelassempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Oi, Marilene! Texto fantástico, parece ter sido escrito pra mim, hahaha... entendo o olhar que descreveu da senhora idosa, deve ter sido um olhar cheio de força e vida. É mesmo lamentável que muitos jovens carreguem amargura nos olhos com tanta vida pela frente e outra, parabéns pela sensibilidade de mudar o olhar para com a senhora...
    Essa questão do olhar é uma questão de hábito.Eu havia perdido e recuperei caminhando ao ar livre e fotografando. Há muitas fotos que publico no Instagram dos lugares onde passo e as pessoas que passam nos mesmos lugares escrevem perguntando onde é, nem percebem... ganhamos presentes todos os dias.
    Um abração!

    ResponderExcluir
  30. Olá amiga! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, bem como desejar um ótimo final de semana para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  31. Um bom olhar é tudo mesmo, Marilene. E interessante o seu relato, é verdade, eu tb sentiria pena, mas depois cairia a ficha de que é ótimo que a senhora ainda possa sair sozinha para fazer compras. Ótimo texto como sempre. bjs

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...