22 de set de 2014

TIMIDEZ

(Abdi Asbaghi)
                                                           


Fui menina tímida. Tão tímida e insegura que me assustava com minha própria sombra. E essa timidez me acompanhou pela adolescência e se mostrou presente, mesmo quando adulta. Diante de um elogio, queria abrir um buraco e me esconder. Até me justificava, para tornar seu objeto algo comum e sem necessidade de abordagem. Vez ou outra buscava a origem desse incômodo (pois o é), sem encontrá-la. Talvez, por minha mãe ter sido muito exigente, e nunca sentir que havia satisfeito  suas expectativas, tenha alimentado essa sensação de que tudo que realizava era rotineiro e não merecia aplausos.

Como falava pouco, desenvolvi a capacidade de observar. Nada me escapava. E ela me foi muito útil na vida profissional. Lia muito e com extrema atenção. Assim, em processos, nada me passava despercebido, ainda que não muito claro. Da mesma forma, gestos e maneira de falar das pessoas me viabilizavam uma percepção clara sobre a veracidade do que afirmavam.

Isso me conduziu ao caminho que escolhi (ou fui escolhida) para desenvolver, no campo do Direito. Elaborava pareceres técnicos (em linguagem bem diferente da que utilizo em blog), o que me trouxe uma designação para exercício de função de assessoramento. E ninguém poderia supor minha timidez, pois tinha enorme segurança para tratar de assuntos profissionais.

Abordei essa matéria porque a timidez faz com que não gostemos de ser observados. E passei por situações constrangedoras por causa dela. Certa vez, ao ser chamada para entrevista, em um curso com participação predominantemente masculina, escorreguei no meio da sala e fui com tudo ao chão. Levantei-me com tamanha rapidez que não possibilitei a nenhum dos muitos que correram para me socorrer, fornecer ajuda. Certamente, durante todo o período daquele curso, eles se lembravam que eu era a moça do tombo, quando me olhavam (kkkkkk).

Em algumas circunstâncias, todos podem se mostrar tímidos. Há pessoas com dificuldade para lidar com o sexo oposto, por exemplo, mas ela é apenas situacional.  Os adultos aprendem a superá-la, com utilização de técnicas específicas que levam ao aumento da auto-estima e da auto-confiança, fundamentais nesse processo. O mesmo não ocorre com as crianças.

A timidez costuma não merecer devida atenção por parte de pais e professores, que a atribuem, simploriamente, a uma fase da vida. Quando vejo crianças que assim se mostram, percebo que precisam de ajuda. Auxiliar os pequeninos a interagir positivamente, incutindo-lhes segurança para se apresentarem como realmente são, sem medo, é dever de quem educa. Eles precisam de auto-confiança para se posicionarem quando necessário e até para se imporem diante dos que gostam de pisar nos aparentemente fracos. Não tenho conhecimentos técnicos para uma abordagem profunda, mas creio que os que sofrem bullying são tímidos. Professores devem estar atentos a isso, eis que são levados, inconscientemente, a gostar dos mais desinibidos e risonhos. E com apenas um passo em falso  poderão provocar traumas que só uma terapia conseguirá destruir.

Com a maturidade, passamos a não nos importar com o que os outros pensam e dizem. Não mais somos afetados por influências externas, dessa natureza. Não receamos ser avaliados porque temos consciência de nossa capacidade e de nossas falhas. Mas crianças , adolescentes, e até os jovens que estão se lançando no mercado de trabalho, teriam maiores oportunidades se superassem a timidez, eis que ela pode chegar a prejudicar a própria qualidade de vida.


                                                                         Marilene



38 comentários:

  1. Ao te ler, percebo a sua superação da timidez, é uma bonita história, porque o hoje é mais importante que o ontem na vida das pessoas. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Também fui uma garota tímida, mana. Até hoje procuro no tempo quando foi que deixei a timidez para trás.
    Creio, como você, que a timidez é uma pedra no caminho dos tímidos e, por isso mesmo, deve merecer atenção especial de pais e professores. Quase sempre a timidez resulta de insegurança ou de baixa autoestima. Crianças reprimidas e criticadas acabam por se tornarem tímidas e recatadas. Pode ser que a maioria das pessoas sejam tímidas em determinadas situações. Normal. A timidez , na medida certa, pode até ser benéfica, mas quando ela é excessiva pode impedir ou dificultar a realização de determinados anseios.

    'Num leva a mal não', mas tive que rir do seu tombo. Claro que se eu estivesse lá também correria para ajudá-la, mas certos tombos nos fazem rir. Já ri de mim mesma num estacionamento de um shopping quando entortei o pé, com sandália de salto, e acabei 'catando cavaco'. Custei a me segurar. Imagine a cena-rsrs.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida Marilene
    Fui tímida... rs...
    Ainda sou para algumas coisas mas ganhei muita força interior para muitos assuntos assim como vc... tenho infinita segurança em vários campos e insegurança em outros...
    Considero-me normal na fase de vida atual e sou boa observadora (como vc descreveu bem como se tornam os tímidos)... reconheço minha sombras e virtudes e uso-as o melhor que posso e consigo... em PRIMEIRO lugar para o meu bem...
    Post excelente de total identificação para mim...
    Bjm florido

    ResponderExcluir
  4. Marilene

    gostei muito deste texto. acho que todos nós temos sempre um pouco de timidez, e não é tudo, pelo menos nalgumas coisas. no seu caso você soube tirar partido e soube aproveitar a sua timidez para desbravar novos caminhos que foi o da observação, e que a ajudou na sua carreira.
    um belíssimo texto com muitas ilações de vida.
    boa semana.
    obrigada
    :)

    ResponderExcluir
  5. Que bom que não és mais tímida! Lindo te ler! Eu ainda sou e assim devo morrer, rs..Ninguém acredita,mas sou mesmo bicho do mato e tímida... bjs, linda primavera!! chica

    ResponderExcluir
  6. Olá, Marilene.
    Eu fui tão tímida quando criança e adolescente, que quase não abria a boca. jamais opinava sobre as coisas. Mocinha, eu me apaixonava e eles nunca ficavam sabendo - e quando ficavam, eu negava... assim, tive muitos amores platônicos.
    Acho que é porque sou a caçula entre quatro irmãs, duas delas, muito dominadoras e críticas.
    mas é como você diz, a gente cresce e amadurece...

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Marilene :)
    A timidez faz com que a pessoa se sinta exposta,
    e isso é desconfortável.
    Em alguns casos pode atrapalhar as interações sociais e causar ansiedade,
    aí seria bom procurar ajuda psicológica.
    Muito boa sua crônica.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  9. Querida Marilena.
    Adorei ler um pouco sobre você acredito que timidez
    quase todos nós temos um pouco.
    Eu levei a vida inteira com pouco de timidez,
    talvez isso seja responsável por algumas coisas que
    nunca tive coragem de fazer.
    Uma coisa me ajudou muito
    precisar trabalhar para criar minhas duas filhinhas.
    Com dificuldade para encontrar um trabalho
    fui ser vendedora de sapatos.
    Era responsável pela venda em atacado
    em varias cidades vizinha.
    Amiga confesso cheguei ao ponto de descer do carro que viajava
    e chorar copiosamente.
    Sem duvidas pensei em voltar o amor de mãe gritou ,
    mais forte.
    Nesse dia fiz a melhor venda que já tinha conseguido.
    È amada o amor faz a gente crescer com ser humano
    nos tornando seres humanos mais feliz.
    Foi maravilhoso conhecer um pouco de você
    amiga.
    Uma abençoada semana beijos..
    Evanir.

    ResponderExcluir
  10. Engraçado conheço bem os contornos da tua história, parece a minha própria. Ao invés de ser acarinhado, me sentia mais humilhado. Sozinho me senti sempre mais tranquilo. Hoje entendo os porquês todos. Regredi, alcancei uma segunda escarnação e sem saber como, entrei nela, como penso já estar para me sentir em novo, se não tivesse sido tão espartilhado. O certo que terei sido um vencedor, como penso teres sido Marilene.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. A timidez é um problema par quem der sofre. Graças a Deus eu nunca o fui. Mas meu irmão era-o. De tal modo que quando alguém ia lá a casa que não fosse da família, ele se escondia e só saía do esconderijo depois que a pessoa fosse embora.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  12. Eu também fui muito tímida, principalmente na escola, mas ao contrário de ti, a minha mãe nunca foi exigente comigo ao ponto de colocar-me qualquer tipo de pressão, pelo contrário, ela incentivava-me muito e sabia que eu dava o melhor de mim, enchia-me de confiança. E eu era boa estudante, mas no entanto não deixava de ser tímida. Timidez que também me fez ler bastante, mas na verdade na prática de desporto eu já ultrapassava bem a timidez, aquela timidez desesperante e incómoda como dizes.
    Ultrapassei a timidez já bem adulta, quando comecei a pensar que quem gostava de mim gostaria de qualquer forma, e quem não gostasse não faria grande diferença.
    Mas é verdade que as crianças precisam ser educadas num caminho de auto confiança que só uma precoce autonomia em todos os aspectos pode proporcionar, o que às vezes não acontece porque os próprios pais não sentem eles próprios essa auto confiança e auto estima. Mas os professores têm de estar atentas e não preterir uma criança tímida em relação a uma criança mais sociável .
    Gostei muito, Marilene. Até do tombo! :-) Quem é que nunca tombou e ruborizou a seguir?....Há situações perante as quais a maior parte de nós acaba por demonstrar uma certa timidez.
    É mesmo, a timidez pode afectar a qualidade de vida, porque o tímido retrai-se no relacionamento com os outros, numa forma de clausura que pode tantas vezes levar à solidão.
    Boa semana, querida Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  13. Oi amiga, e não é que eu fui tímida (e em determinadas situações ainda sou) por demais, e por essa razão perdi várias boas oportunidades em minha vida?!
    Dei um sorriso gostoso ao ler sobre seu tombo, não dele em si, mas em te imaginar levantando rapidez para não ser ajudada por nenhum dos rapazes presentes...rs.
    Concordo contigo, quando diz de darmos uma atenção maior, aos pequenos e aos adolescentes tímidos, sinto que é um sofrer desnecessário.
    Muito bom te ler.
    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  14. A timidez de fato pode prejudicar em todas as fazes da vida.

    Alem de seus poemas, gosto muito dos seus textos abordando os assuntos da vida de forma tao clara e tão exemplar.
    Parabens!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Uma linda analise e historia sobre a timidez que tanto trava as pessoas e as prejudicam em certos momentos de visão.
    Sou tímido ainda e sempre o fui nos primeiros contatos, as vezes há um delay maior para a quebra.
    Importante são suas analises destas observâncias na infância e juventude no intuito de ajudar as pessoas na superação e não permitir que possa ser uma pedra no caminho da evolução e sucessos na vida.
    Belo trabalho Marilene.
    Uma linda semana a você.
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Pois é!... A timidez?!... _E quando um homem é tímido, a dificuldade que há em declarar-se a uma mulher.. É que regra geral a mulher fica em 'espera', não toma a iniciativa, não ajuda.
    ---------
    Felicidades
    MANUEL

    ResponderExcluir
  17. Mais um belo texto, Marilene! E, sabe? Pelo que você falou, temos muito em comum. Eu também era excessivamente tímido, e por isto falava pouco, mas observava e lia muito; isto, inclusive, deve ter-me levado a gostar de escrever. Perdi mais a timidez quando comecei a realizar palestras... mas aí já tinha uns 35 anos. Como vc disse, a maturidade nos faz melhorar tb nesse particular. :) Boa semana, amiga!

    ResponderExcluir
  18. Marilene, quando garoto ainda, eu era tímido sim, mas não me pergunte como, consegui desenvolver um jeito de disfarçar a tal timidez. Isso funcionou. Quando percebi, já adolescente, não era mais tímido, ou disfarçava tão bem que já não sentia. Seu texto me fez lembrar agora dessa passagem de minha vida. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  19. Marilene, como está querida?
    Nossa, eu me vi aqui, descrita!
    Você é uma profissional fantástica Marilene.. e o falo não só na sua área de atuação, jurídica, mas também na avaliação da alma humana! Pode ser perfeitamente uma psicóloga e nem precisa do conhecimento técnico para isso! Já tem o saber da vida e das emoções!! :)))

    O seu exemplo pessoal, a sua bela narração, também me fez lembrar do meu histórico de vida...
    Sempre fui e ainda sou muito tímida e o sou por herança familiar mesmo..rsrs
    Quando criança, lembro dos amigos de meu pai me perguntando "se o gato tinha comido a minha língua," pois eu não respondia às perguntas deles..rsrs Mas não era por não saber, mas por pura vergonha mesmo...rsrs Eu abaixava a cabeça e lá ficava até que desistiam de mim...rsrs... pois é....

    Na adolescência, detestava ir ao quadro negro apontar as soluções dos problemas de matemática! Era uma tortura sem fim para mim! Eu sabia as respostas, mas só o fato de os demais colegas ficarem me olhando, bem como o professor, com seu respectivos olhares que eu julgava ser de censura, me corroía inteira!
    Nem sem como escolhi a carreira jurídica também sabe? rsrs Mas até hoje, prefiro estudar, pesquisar, fazer cuidadosamente as petições, do que ir a audiências. É claro que o dever impõe e exige que eu vá e que lá resolva o que tenha que ser resolvido...Mas se pusesse pular essa etapa, o faria..rsrs
    Só me solto quando o assunto é fazer exercícios: aí me transformo, viro outra e consigo, inclusive, dar força para quem precise de mim na arte de optar por um novo estilo de vida! Fico até o fim!!!

    Como disse, creio que na infância, seja muito melhor descobrir e solucionar esse problema, sem sombra de dúvida!! É muito sofrido para a criança ser deixada de lado pelos coleguinhas simplesmente pelo fato de não conseguir interagir como os demais, considerados os simpáticos e extrovertidos da turma...
    Ah, e por falar nesta palavra "extrovertida" tenho trauma dela...hahaha
    Parece que queriam me obrigar a ser o que não era...
    Então educar os pequeninos e dar-lhes a segurança necessária para trilhar o próprio caminho é fundamental para o sucesso deles não só na vida profissional, mas principalmente na pessoal!

    Parabéns por este texto tão fantástico Marilene!!
    Beijos e uma semana maravilhosa!!

    ResponderExcluir
  20. Olá Marilene,
    Essa é minha primeira vez aqui e fiquei encantado com a forma leve e clara de como descreve algo tão forte e complexo como é a timidez e suas complicações.

    Abraço,
    Flávio Ribeiro

    ResponderExcluir
  21. Oi Marilene!
    Adorei sua crônica, gosto da desenvoltura com que relata os fatos, faz com que a gente imagine exatamente tudo. Parabéns pelo seu talento.
    Quanto à timidez, acho que ela é natural em vários aspectos a todos, tipo falar em público.
    Porém, há o que ultrapassa a timidez e se torna uma doença, que é a fobia social, que se não percebida ou tratada a tempo, simplesmente ACABA com a vida social e o desenvolvimento de uma pessoa.
    Beijos e uma ótima quarta-feira.

    http://colunadami.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Mari,
    vc abordou com precisão e clareza ( como sempre) um dos fatos mais visto em sala de aula e bem pouco atendido.De uns tempos pra cá até que tem havido mais olhares sobre as crianças tímidas e suas dificuldades em lidar com o ambiente social que lhe cerca; o que gera desconfortos e até mesmo fobias.O assunto não pode ser tratado como apenas um traço de personalidade.Isto acarreta problemas futuros que irão requerer terapia, conforme vc apontou.
    Uma dose rasa de timidez é comum a todos, penso eu, mas quando se torna presença inibidora atrapalha e muito a vida da pessoa de qualquer idade.

    Adoro tuas crônicas sempre primorosas.
    :) Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  23. Um texto com muitíssimo interesse.
    Conheço algumas pessoas bastante tímidas que passam horrores cada vez que têm que se expor, seja na situação mais complicada ou na mais simples.
    Descobrir a origem da timidez nem sempre é fácil - penso que é até muito difícil, porque na maioria dos casos não há um motivo aparente que a justifique.
    E se, em tempos passados, era encantador ver ruborescer uma tímida jovenzinha :), hoje em dia a vida não se compadece com isso. A timidez atrapalha...

    Um beijo
    Miguel

    ResponderExcluir
  24. Maravilhoso texto, a maioria dos tímidos têm um universo interior lindo e profundo.
    A vivência da introspecção leva a observação, a profundidade e na maioria das
    vezes, a atividade da leitura ajuda com certeza a desenvolver uma
    sensibilidade em relação ao outro e ao mundo. É muito importante motivar
    os tímidos a partilhar deste universo e os elogios será um acionador de
    quebra dos bloqueios, quanto as críticas (severas) levam ao isolamento
    e a dificuldade de construir uma segurança e autoestima positiva.
    Beijinhos,querida.

    ResponderExcluir
  25. Oi, Marilene!
    A timidez é um sentimento de opressão e todos nós um dia sentimos, uns superam, outros não. A timidez pode se transformar em fobia social e outros transtornos do comportamento. Ainda bem que você jogou a sua timidez para o lado da introspecção, lendo e observando mais. De certa forma, o observador assim o faz para conhecer o lugar onde esta, as pessoas e saber como se conduzir.
    Lembro que senti uma forte timidez quando fui apresentar um trabalho na escola e as minhas mãos transpiravam muito, senti a visão escurecer e os batimentos cardíacos aumentar de tal forma que achei que teria um treco. Mas não tive e não sei se alguém percebeu que eu estava em uma situação difícil. Cheguei em casa e a minha mãe disse que era a ansiedade, a espera pela apresentação que fez eu ter aquela reação. Passei a achar que fosse timidez e um belo dia estava conversando com amigos e quando disse que sofria com a minha timidez, foi uma gargalhada geral. Ninguém acreditou. A timidez pode ser um sentimento que criamos para delimitarmos o nosso próprio comportamento e por certo vem de uma educação rígida e castradora. Depois daquela gargalhada, nunca mais ousei dizer que sou tímida - mas posso ser para mim... Vamos dizer que sou "discreta" kkkkk
    Ainda bem que a sua timidez ficou no passado! Ela é mesmo podadora e pais e educadores precisam ajudar os pequenos a não ficarem em situações que aumente esse estado ruim. De início, uma boa conversa surte algum efeito e fazer compreender que a timidez é inerente a maioria.
    Beijus,

    ResponderExcluir
  26. Boa noite, penso que a timidez faz parte do ser humano, faz parte da personalidade, todos somos tímidos, depende da situação.
    AG

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  27. Que texto! Penso que todos nós temos, numa certa época, alguma timidez, seja em que área for, principalmente naquela em que não temos confiança suficiente no nosso taco. Com o tempo, e pensando que até morrermos não dominaremos tudo e que temos o direito de ignorar muitas coisas, essa timidez diminui muito ou desaparece. Penso eu, Marlene, que quando já adultos, a não valorização demasiada dos outros e a nossa desvalorização, ajuda e muito para que esse sentimento se apague. Bem que sempre um pouquinho de timidez aparecerá em algum momento de nossas vidas, é normal. Não sei se estou certa, mas há muitos anos penso assim.
    Achei esse seu texto de muita relevância!! E gostei um monte de lê-lo, aliás como todos os seus textos.

    Beijo, meu carinho!

    ResponderExcluir
  28. Olá, Marilene! Interessante seu texto. A timidez é mais comum do que imaginamos, um dos males que perduram até hoje. Por timidez pessoas perdem oportunidades de ser feliz. A sua de alguma forma trouxe um ganho positivio, o foco para a profissão, é bonito ver que a interpretou assim.
    Como professora procuro respeitar os alunos com essa característica... até porque não tenho preferência pelos desinibidos, hahaha.
    Eu sou em geral uma pessoa reservada. Concordo que a timidez deve surgir da cobrança exacerbada, de que você nunca é bom o suficiente,,, sofri bastante com esse tipo de comparação. Hoje as coisas melhroraram bastante nesse sentido, não me preocupo mais com o que as pessoas pensam ou falam, e acredito que essa é uma sensação libertadora. Aprendi que nunca atingiremos o padrão de exigência de perfeição das pessoas em geral. Um arbaço!

    ResponderExcluir
  29. Cara Marilene

    É um gosto ler as suas crónicas. Aborda tantos e tão variados temas da vida
    e com tanta propriedade que nos revemos neles muitas vezes. Como é o caso
    da "Timidez" que, como vemos pelos comentários, em algum momento do
    nosso percurso fez ou faz parte da nossa personalidade. Eu, presentemente,
    já me considero livre deste embaraço, depois de muita luta interior. Mas, padeci
    bastante até me ver livre disso e conseguir interagir com à-vontade em sociedade.

    Concordo plenamente consigo quando diz que a timidez é um problema que deve
    ser levado em conta e tratado na infância, tendo os educadores um grande papel a
    desenvolver neste âmbito.

    Parabéns.

    Beijo

    Olinda

    ResponderExcluir
  30. Um belíssimo texto sobre a timidez.
    Quando era jovem também era muito tímida,
    hoje penso que já não sou.
    Gostei muito.
    Desejo que se encontre bem e tenha
    um bom fim de semana.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  31. Depois de longa data voltei a postagem,
    que parei de fazer devido a não concordância
    de uma poetisa não gostar por eu postar
    repetidas vezes o mesmo poeta ou poetisa.
    Eu resolvi atender os pedidos que recebo até hoje
    a cerca de mais de um ano ,
    quando resolvi parar com postagem.
    Depois de compreender que devo fazer aquilo ,
    que eu gosto , amigos e amigas gostam
    da minha maneira de ser e de amar meus amigos (as)
    seguidores.
    Espero de coração que você tenha gostado,
    os blogs onde ñ tiver poema colocarei de amigas (as)
    poetas e poetisas dessa forma todos terão sua vez de
    entrar na postagem também.
    No caso de livro com assuntos diferentes também será feito
    uma postagem com igualdade para todos.
    Deus abençoe seu final de semana.
    Felicidades é tudo que desejo.
    Beijos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  32. Excelente abordagem pessoal, além de abordar o tema da timidez, demonstra como como ele deve ser ultrapassado e superado.
    A timidez pode levar ao isolamento e ter consequências muito graves.

    beijinho e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  33. Que bom aprender um pouco sobre a Timidez no seu Texto-Depoimento. Fui e ainda sou tímida, talvez por isto goste tanto de escrever . Me liberto um pouco quando escrevo. Quando ainda jovenzinha que participava do grupo de jovens na Igreja, me recordo que havia uma divisão de departamentos, que era o Litúrgico, jornalístico, recreativo, etc, claro que escolhi o de jornalismo, e me chamaram para fazer o Editorial, e me saía bem. Cheguei a escrever temas de várias palestras com assuntos e temas religiosos, mas não passava disso, jamais consegui fazer dar palestra sequer, mesmo que eu tenha escrito e dominasse o tema.
    Admiro quem conseguiu a façanha de se libertar da timidez, eu ainda estou buscando a cura, e seu texto é significativo neste sentido. mas a minha timidez ao contrário de outras pessoas começou na adolescência, na infância eu era totalmente desinibida fazia parte do teatro da escola além de cantar nas festividades. Não sei se algum trauma, ou talvez algum complexo, me bloqueou.
    Adorei Marilene, preciso vir mais vezes aqui.
    Parabéns, você é Show. bjs. Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  34. Me identifiquei claramente com esse texto, Marilene. Sou mt tímido desde sempre e isso me atrapalha mt. Mas sou bem observador da mesma forma. Só que a timidez acaba nos deixando mais afastados e nos prejudicando mesmo, infelizmente E vencê-la é mt complicado. bjsss e bom fim se semana.

    ResponderExcluir
  35. Querida um belo texto, acho que todos de
    alguma forma somos um pouco timidos, mas
    não sei se é bom ou ruim depende de cada um
    mas o tempo sempre mostra quando devemos nos abrir um pouco
    isso depende da necessidade, mas ser ti,ida demais nem semprre ajuda

    Bom dia de domingo e um
    ótimo começo de semana
    Bjussss

    ¸.•*¨✿✿Rita!!

    ResponderExcluir
  36. Sempre fui tímida, bem tímida e isso me prejudicou muito, mas aos poucos fui deixando de o ser em exagero, ainda sou, mas agora as vezes nem eu mesma percebo.
    Sofri muito na escola, por ser tão quieta, inclusive fui deixada de lado por muitos professores, ainda bem que isso não atraplahou meu aprendizado, por que sempre tive muita sede em aprender sempre mais.
    Amei seu texto cara Marilene, um abraço e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. Não é para poupar as palavras a comentar, somente me identifiquei, na globalidade, neste teu texto, excetuando a parte profissional. Portanto, não me vou repetir, talvez acrescentar algo da minha vivência e opinião no que à timidez diz respeito: tudo se treina (este um princípio básico de quem é professor); eu fui "formatada" pela educação que recebi e pela escola que privilegiava o escrever e não o falar. Também é certo que fazia parte da minha idiossincrasia a introspeção, o questionamento... Contudo, não era anti-social. No restrito meio em que me movia até era faladora, mas fui sempre ciosa da minha intimidade. Na profissão, professora, como adorava, era fácil comunicar; no estágio profissional, como tinha que falar para um público mais geral e conhecedor, fazendo seminários e palestras, a timidez desapareceu, gostando mesmo de falar para um auditório. Como diretora de uma escola com cerca de 800 alunos, adorava fazer reuniões com pais, abrir sessões de atividades culturais, etc. Agrada-me até meter conversa com desconhecidos :). Em resumo, acho até que a minha mais valia é a facilidade de entrar em contacto com... Mas também sou boa ouvinte :). Finalmente, dir-te-ei que hoje as técnicas do falar (exercícios de desinibição, apresentar trabalhos para os colegas da turma, etc), são aspetos de relevância capital para a criança ganhar auto-estima. O resto virá por acréscimo.
    Não quero sair sem relevar o assunto que tocas: o bullying (infelizmente não é só na escola que ele se exerce). Pode passar pela timidez, mas, pela minha experiência, há muitos fatores - é a malvadez dos que se consideram mais fortes, escolhendo alvos: os que mostram um sentimento de medo, os que não são capazes de desvalorizar piadas de mau gosto, questões socio-económicas, culturais, etc. Um problema grave, levando crianças/jovens ao suicídio. Tive um caso na minha escola, já não estava na direção, nem era meu aluno (deitou-se ao rio e foi levado de imediato pela corrente. Até hoje nada foi provado nas instâncias judiciais) Contudo, ainda hoje me arrepio. Na altura, cheguei a escrever 2 ou 3 poemas...
    Meu bjo, Marilene
    (Eliminei porque me dei conta de alguns lapsos. Espero que não haja mais nenhuns.)

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...