15 de set de 2014

NOSSO MUNDO REAL

(Alberto Pancorbo )

                                                                
Gosto de textos poéticos, eis que nos encantam com a magia das palavras. Aqueles que, após lermos, podemos fechar os olhos e visualizar uma imagem de sonhos. Gosto de contos com finais felizes, que nos provocam um sorriso ao terminarmos a leitura. Aqueles onde os desafios são vencidos honradamente, as injustiças são objeto de impugnação veemente, resultando em mudanças de comportamento e até de leis. Gosto de filmes policiais bem realizados,  que nos dão uma sensação de cumprimento do dever por parte dos profissionais da segurança. Aqueles onde os mocinhos sempre vencem e estão atentos aos atos dos criminosos, levando-os à devida punição, sem quaisquer benefícios.

Mas não temos asas nos pés, que se acomodam na realidade após os instantes de ilusão. E ela nos distancia da ficção e nos mostra o mundo em que vivemos, aquele que nos obriga a observar, a pensar, a refletir... , a sofrer.

Estamos vendo o poder da força competindo com a força do poder. Perdem os dois lados na busca da manutenção de seus "ideais". Estamos vendo, ao mesmo tempo, o aumento da busca de poder e o aumento da busca por recursos de defesa. Querem os que se sentem fracos adquirir força através do ambicionado poder. E os que o detêm, impedir esse crescimento pelos demais. Como pode o mundo ser lugar tranquilo, possibilitando uma vida equilibrada para os seres humanos, se deles mesmos se origina todo esse descontrole???
 Eso 
Os exemplos trazidos pela história são ignorados. O radicalismo ganha força e ceifa vidas. E para lutar contra ele, mais vidas se perdem, inutilmente. A descrença na possibilidade de uma convivência harmoniosa habita a consciência dos homens de bem. E provoca o aumento do individualismo.

Ler os jornais, a cada dia, é alimento para a depressão, fantasma que ronda os seres humanos e a muitos tem abraçado, fortemente . Jamais pensei ver na televisão, fora de um filme de terror, jornalistas decapitados, assassinatos cruéis de civis, desespero de muitos para deixar seus países ... Estamos convivendo com o medo e com a falta de perspectiva. A lucidez para a tomada de decisões anda envolta em nuvens escuras. Onde vão dar os caminhos que nos apresentam e para os quais não temos calçados adequados? Aqueles que, aliás, somos obrigados a trilhar sem constituírem nossas opções?


                                                             Marilene




30 comentários:

  1. Marilene, temos tantas boas leitura, lindos livros e textos que nos fazem voar. Porém ,no dia a dia, se abrirmos espaço em nossas casas para noticiários, estamos fritos! Eles nos mostram tuuuuuuuuuuuuudo o que nos cerca e olha que tem podridão! Por isso, vamos valorizar cada flor ,cada céu, mesmo sabendo que temos que encarar a realidade. mas pelo menos, não a deixemos ENTRAR pelas nossas casas.

    Linda semana! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. A Tv empurra goela abaixo, desculpe o termo chulo, a notícia que atrai o grande público. Eu, particularmente, abri um novo Twitter com vários jornais e revisras de notícias e estou contente com o resultado, pois eu escolho o que ler e as notícias ficam numa esteira atualizadas constantemente. Fica a sugestão. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto, Marilene! Marcou-me, especialmente, a inclusão das aspas na palavra "ideais", mostrando quanto o fanatismo dos homens pode deturpar os desejos e os sonhos da humanidade. Boa semana, amiga.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Marilene,
    Se não acompanhamos os acontecimentos, ficamos desinformados,
    no entanto, é deprimente ler as notícias do dia a dia...
    O mundo não vai bem, mas acontece coisas boas também, mesmo que seja
    em proporções menores. Por isso leio com frequência um site chamado,
    'Só notícia boa'!
    Bjs e ótima semana pra vc!

    ResponderExcluir
  5. Olá mana,

    Infelizmente, esse é o retrato da realidade.
    Nem gosto de assistir aos jornais à noite para não dormir assombrada.
    É desalentador ver o caminhar da situação no mundo. Parece que o desequilíbrio abraçou os seres de pouca ou nenhuma fé e que eles agem inspirados por forças negativas.
    Penso nas crianças e jovens de hoje. Que mundo os espera?
    Melhor mesmo é continuar desfrutando das belezas e alegrias que o mundo ainda nos proporciona, rogando a Deus que ilumine esses seres desajustados, alimentados pela ambição, ganância, egoísmo e falta de escrúpulos.
    Excelente sua crônica.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Amiga Marilene, por coincidência meu post de hoje é sobre a intolerância, a qual gera a violência e o radicalismo.
    Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  7. Belo texto, Marilene, embora a temática seja triste.
    aqui em casa eu uso os jornais para criar um espaço para meu cão - o Mootley - fazer as suas necessidades. Só.
    Abraços, e boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Grande reflexão, Marilene, tão actual!
    Parece que o mundo está condenado a não ter conserto, a Humanidade parece não ter aprendido nada, parece que a História não serve como exemplo, ponto de partida e aprendizagem para os vindouros...
    Poucas são as nações que não têm sangue nas mãos. Decapitar jornalistas, membros de organizações humanitárias, ou qualquer indivíduo é cruelmente inadmissível. Como é inadmissível o bombardeamento de populações civis indefesas, e os Estados Unidos fazem isso a pretexto de instauração de democracia, quando o que está verdadeiramente em causa são os interesses económicos e estratégicos numa determinada região. A invasão do Iraque é o último exemplo disso e vi muito pouca gente preocupada com tantos iraquianos mortos, e toda a gente concordará que a invasão do Iraque foi um erro, e está a ver-se o resultado. Onde chegaremos não sei. O mundo é um lugar estranho e inóspito; veja-se os africanos que morrem todos os dias no mar ao tentar alcançar a Europa...
    Acho que quando se dividem as nações, as crenças religiosas e culturais em BONS e MAUS, o resultado só pode ser o ódio.
    Boa semana, Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  9. Marilene, que alguém muito refletivo, posso dizer que nunca tive dúvidas, que expões muito, ainda menos. Que fazer se o mundo é uma verdadeira amálgama de maldades, cada vez mais requintadas. Somos nos os de visão de bondade que temos de procurar dar o exemplo de paz.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Marilene. Gostei do texto bem reflexivo para os dias de hoje. A humanidade parece caminhar para o abismo. Isto vemos todos os dias como vc mesma citou, pelos noticiários de TV ou jornais. Uma total ausência de compaixão . Só está faltando a antropofagia, pq churrasquinho de humanos já presenciamos. Cruzes , fico tão indignada que as palavras vão saindo ao acaso. Gosto de textos assim de denúncia. Curiosamente, meu texto de hj , fala sobre as crs e o trabalho nas ruas. Bjs. Parece que somos 2 indignadas ao extremo. Mas não basta indignação. É preciso atitude! Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Sim, amiga estamos vivendo momentos terríveis!...
    Já tenho receio de ver os telejornais, porque há sempre imagens horríveis...
    Parece que as pessoas perderam a noção do bem.
    Já nem sei que dizer...
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  12. Apreciei imenso este teu texto escrito quase em dicotomia: o sonho e a realidade. Mesmo os que escrevem vivem essa dicotomia e quantas vezes escrevem como forma de exorcizar a crueldade a que assistem e em que os poderes persistem...
    Correndo o risco de me repetir, reitero: parece que retrocedemos séculos no que à atrocidade diz respeito. Regressamos a um antes do século das luzes! Sou muito interveniente, através de comentários e participação em grupos de discussão política e social. Sou membro da Assembleia Municipal mas as nossas vozes nem são ouvidas porque há interesses que não conseguimos desmantelar. Mesmo em poesia, escrevo tantos poemas ditos de intervenção!
    É preciso muita capacidade de encaixe para não estarmos em constante sofrimento e conseguirmos apreciar os bons momentos pessoais.
    Meu beijo, Marilene

    ResponderExcluir
  13. Ah, Mari,
    como eu gostaria de ter as respostas aos questionamentos que vc tão bem apontou.Estas abissais discrepâncias que engolem as lógicas mais básicas, os valores, a integridade e o respeito, têm nos arrastado pra um terreno árido, repleto de dúvidas, inseguranças e pior, enevoado ante as possíveis perspectivas duma volta à normalidade.Vida simples e íntegra...quando?
    Vamos nos alimentando de pequenas doses de poesia e beleza para não esmorecermos diante de tanta barbárie.
    "É preciso estar atento e forte[...]"

    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  14. texto muito bom embora retrate uma temática triste...

    :(

    ResponderExcluir
  15. Talvez a vaidade, a ganância, a ignorância, o desamor e outros míseros atributos, sejam responsáveis por todas essas barbaridades que ora se nos apresentam. A partir do momento em que o homem se conscientizar de que somos todos filhos de DEUS e, portanto, irmãos, com certeza, teremos um mundo mais justo e bem melhor. Belo, profundo e oportuno o teu texto.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  16. A crueldade está solta por ai e não dá trégua para ninguém. O individualismo é cruel e as pessoas dificilmente tem a capacidade de ajudar outras hoje em dia. Isso é muito triste e todos acabam sofrendo no final. Os jornais mostram crueldades sem fim, furto do que acontece? Sim...mas também empapada de sensacionalismo barato porque precisam vender e tragédias dão bastante repercussão. Está tudo de cabeça para baixo.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  17. Magistral esta tua crônica acompanhada de uma imagem que
    ilustra muito bem, a interação com o mundo que cada vez mais
    nos tira a paz, a serenidade de olhar em busca do essencial...
    Precisamos ter as nossas fontes de alimentação positiva quanto
    ao sentir,vivenciar o mundo, mas ao mesmo tempo não podemos nos
    alienar e ficar atentos a nossa ação de transformadores, cada vez
    mais difícil é certo, pois o mundo se encontra desprovido da
    beleza de Ser humano...

    Aprecio muito ler-te!! Beijinho.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Marilene!
    Como não concordar? Seu texto toca o coração e a razão, pois vemos todos os dias feridos os nossos valores mais puros e ao mesmo tempo o medo se instala por um futuro cada vez mais insano... Às vezes penso que o homem, mesmo com toda a modernidade e chance de melhora, através do estudo e reflexão, não passa de um homem das cavernas. É como se as máquinas nos equipassem a carcaça, mas dentro dela...
    O que podemos fazer para nos preservar? Não podemos ficar alheios aos acontecimentos, não podemos nos isolar do mundo e mesmo que não queiramos, o dia a dia vai interferir na nossa psique. O melhor é mesmo é o exercício da contemplação. A natureza é capaz de limpar todo o lixo da nossa mente. A introspecção através da meditação também é um bom exercício, quando ficamos perante o nosso eu e o divino.
    Beijus,

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde, Excelente texto do principio ao fim, o mesmo tráz-nos para a mente as injustiças e a falta de solidariedade.
    AG

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  20. E o surto de ebola que ameaça o mundo?
    As grandes potências "pintaram os canecos" com a África por séculos e séculos, e agora vão injetar um bilhão de dólares só para se livrarem do problemão.
    Amiga, esse é o famoso jogo do poder. Ou aceitamos...ou aceitamos. Sem saída. Me perdoe o pessimismo.
    Abraço fraternal, Marilene!

    ResponderExcluir
  21. Passando para te desejar uma noite com muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  22. Perfeita postagem, Marilene. E a realidade é muito mais cruel que qualquer ficção, isso é evidente. E como responder esses seus questionamentos, que tb são os nossos? Complicado. Assino embaixo de tudo o que vc postou e o que os leitores comentaram. bjsssss

    ResponderExcluir
  23. Oi Marilene. Minha primeira visita aqui e me deparo com uma crônica tão lúcida! Parabéns!
    E olha, isso é algo do qual não podemos escapar, essas cabeças decapitadas, atos horríveis de violência não invadiram somente os noticiários, mas até o Facebook.
    Nossa, esses dias eu estava querendo tranquilidade por lá e vejo vídeos horrendos que ativam automaticamente, sem termos sequer a chance de nos preservar.
    Esse tipo de coisa mórbida não nos edifica para nada. Eu posso não me alienar e saber do que está acontecendo, mas eu não preciso VER para saber. Quero ser poupada disso, é um direito meu.
    Beijos e sucesso no blog.
    Abençoado fim de semana.

    ResponderExcluir
  24. Minha amiga li seu texto bom demais
    ler é muito importante .
    Todos nós deveriamos ter o abito da leitura infelizmente
    hoje as crianças não incentivados a ler.
    Enfim seus textos sempre foram
    excelentes.
    Que Deus abençoe seu final de semana beijos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  25. Forte seu texto cara Marilene, forte e verdadeiro, infelizmente é assim mesmo e sem ser pessimista, as mudanças favoráveis estão difíceis de acontecer.
    Que Deus nos ajude, um abraço e fique com Ele no coração.

    ResponderExcluir
  26. Olá, Marilene. Tenho insistentemente levantado a questão: de que vale conhecimento, ciência, tecnologia, se o ser humano está a cada dia mais materialista, rude, intolerante, individualista? O que me preocupa é a dimensão de barbárie que as coisas estão tomando. Há muito tempo não paro para assistir jornais, somente notícias esporádicas, porque presenciar a dor sem ação é sentimento nulo, que desperta depressão e agressividade.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  27. Olá Marilene! Fico feliz por teres gostado do poema.

    Abraços, um bom final de sábado e um domingo com muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  28. Amiga um texto forte cheio de verdades


    Deixo um abraço de bom domingo

    Bjusss

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  29. Questões pertinentes. Sim, para onde caminhamos nós?
    O que leva o ser humano a essa guerra pelo poder, pela
    ganância, pela desumanização, em suma?
    É nosso dever parar para reflectir e observar o que se passa
    à nossa volta, tentando ver se dentro do nosso próprio círculo
    não estaremos também a embarcar nessa loucura, na luta
    pelo individualismo e do "posso, quero e mando".

    Cara Marilene, muito obrigada por este texto. O tema que
    aqui nos traz é importantíssimo. Urge que tomemos
    consciência de que pela harmonia e pela tolerância
    é que conseguiremos viver em paz.

    BOm domingo.

    Bj

    Olinda

    ResponderExcluir
  30. Nego-me a assistir filmes de guerra e onde mostra a violência pela violência; não gosto de futebol porque nele encontro violência, impaciência, xingamentos, intolerância, e a gritaria do narrador. O que menos se vê é esporte. Não gosto de nada que mostre crueldade, apesar de saber e estar conscientizada de que o mundo é por si violento. Também não corro atrás de contos de fadas. Já passei da idade, rsss. Os noticiosos já me colocam no mundo, já me deixam a par de tudo dezenas de vezes por dia ouvimos a mesma violência repetida. O que nos resta, amiga? Você já notou que todos os noticiosos exploram as notícias mais terríveis?

    Adorei ler você, beijo!!

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...