25 de ago de 2014

MAUS HÁBITOS MASCULINOS

(imagem internet)

                                                     
                                               
Ela me telefonou e disse que deixara o apartamento cheiroso e limpo. Perguntei se havia dispensado a faxineira e afirmou que não, mas que, com três homens em casa, era imperioso que alternasse com sua auxiliar algumas tarefas. Lembrando a menina que nada fazia, antes de se casar, notei que se transformara em uma dedicada "dona de casa". Quando nasceu seu primeiro filho, atendeu solicitação do marido e deixou de trabalhar fora, provisoriamente, até que ele não necessitasse de constante acompanhamento. Entretanto, engravidou novamente, o que a colocou, por tempo ainda não definido, na posição de esposa, mãe, educadora, ficando as atividades profissionais para mais tarde.

O pior de meus três homens é o mais velho, comentou ela, dando risada. (Creio ser seu bom humor a pilastra sustentadora de seu casamento) Larga tudo por onde passa, continuou, e tenho que recolher até copo na janela, acredita? Quando rodo a baiana por aqui ele até se controla um pouco, mas logo volta aos terríveis hábitos da desorganização.

Cuidado com o exemplo que ele dá para as crianças, pois vão considerar normal esse tipo de conduta, eu lhe disse. Não vão mesmo, respondeu, a sorrir. Já aprenderam a colocar as roupas sujas no cesto, jogar papéis no lixo, recolher suas coisas. Quando não o fazem, fico brava e coloco os dois para se mexerem (3 e 5 anos). Vez ou outra, me perguntam quem é o mais levado da casa, e digo que é o pai deles, provocando risadas de satisfação. Um dia desses meu marido deixou os chinelos na sala e o pequenino foi atrás dele dizendo que a mamãe ia ficar brava. Guarda para mim, pediu o pai. Não, papai, eu já fiz isso amanhã (kkk), agora é sua vez.

O pai foi criado pela avó, que não lhe exigia organização. Guardava tudo que ele jogava, recolhia as roupas que deixava pela casa, possibilitando-lhe esses hábitos que tanto incomodam as esposas. Uma colega de trabalho passou por essa situação e tinha brigas horríveis com o marido, tentando mudar sua conduta. Quase acabou seu casamento por esse motivo. Quando estava chorosa e irritada, costumávamos dizer a ela para relevar, já que ele era muito companheiro e ótimo pai para as três meninas do casal. Ela não se conformava. A mãe o "educara" com permissão para agir assim e não se importava de recolher as roupas que ia deixando pelas escadas, quando chegava do escritório e subia para tomar banho. E não houve, mesmo, jeito de mudá-lo. Com o tempo, passou ela a deixar a tarefa para sua auxiliar doméstica, pois percebeu que não sairia vitoriosa dessa luta.

São as mulheres, mães, as responsáveis por muitos comportamentos inaceitáveis dos homens, não só em termos de organização, mas de respeito pelas namoradas, esposas, amigos..., por seu cultivo da delicadeza, por sua convivência harmoniosa com as diferenças, e muito mais. No exercício desse mister, não se dá apenas amor, mas se educa. Todos esses homens que abraçaram maus hábitos o fizeram com a permissividade/ omissão de suas mães. Ao reclamar dos maridos, é preciso ter em mente que, mesmo não conseguindo, sempre, levá-los a agir de maneira diferente, cabe-nos evitar que nossos filhos sigam idêntico caminho. Formando bem as crianças, estaremos também, dando uma grande contribuição para as famílias que um dia eles construirão.


                                                                     Marilene


27 comentários:

  1. Tens toda razão... As mães são responsáveis por mostrar aos filhos o caminho, que ajudar é preciso, cada um tem seus afazeres dentro de uma casa ,etc... Nem sempre eles aprendem, ainda mais se o exemplo que o pai dá é assim...bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Olá Marilene! Passando para te cumprimentar e me deliciar com a leitura deste teu belo e bem coordenado texto. Aqui em casa temos um exemplo semelhante ao da mãe do teu genro. Meu neto passa o dia conosco, pois os pais trabalham fora. Certo dia ele chegou da escola, pegou a camisa e, do jeito que tirou, jogou-a em cima da mesa. Chamei a sua atenção e mandei que a colocasse no cesto de roupa suja. Pouco tempo depois de chegar das compras, dona encrenca me chamou atenção porque eu havia reclamado dele. No meu entender, o mau hábito "masculino" do meu neto é decorrente do mau hábito "feminino" da minha mulher, por passar-lhe a mão na cabeça e aceitar tudo que ele faz.

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  3. Grande crónica, e um assunto muito importante.
    Nós mulheres somos ainda as grandes responsáveis pela educação dos filhos, e não compreendo como muitas mães e pais educam ainda os filhos e as filhas de forma diferenciada no que às tarefas domésticas diz respeito.
    Como conheço bem esse tipo de homem que deixa tudo desorganizado para eu arrumar; o meu marido é assim...Tentei mudá-lo , não consegui, decidi então deixar toda a roupa suja no chão do quarto, e quando ele quiser que a apanhe e a coloque para lavar. Na mesa para além de ser impossível para ele levantar pratos ou talheres, ainda deixa a garrafa de vinho destapada...resultado, eu não a tampo porque não bebo vinho, e fica assim à mercê das moscas!
    Durante muito tempo discuti, aborreci-me, hoje até acho graça porque deixei de me interessar pela questão, e há coisas que tarde ou cedo ele terá de fazer porque eu não toco. Só quando me irrito faz logo, mas hoje em dia prefiro não me irritar, não gastar energia com gente que acha que as mulheres são pau para toda a obra.
    Foi educado assim, deseduque-se, então...! :-))
    Gostei, Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  4. Oi Marilene,
    muito boa sua crônica!
    Se os homens são desorganizados e não ajudam nas tarefas domésticas, etc,
    a 'culpa' geralmente é das mulheres que os 'educou': mãe, avó, tia...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Sei bem o que é isso, Marilene; devo ter dado um tremendo trabalho, para ser reeducado! :) Mas já melhorei muito, com certeza. :) Boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Exato, minha irmã. Muito bem colocado.
    É uma questão cultural e de educação. Paparicar os filhos homens, por acreditar que os homens são assim mesmo, contribuirá sobremaneira para esse comportamento desorganizado e pouco cooperativo. Homens largando tudo para todo lado, inclusive a terrível toalha molhada sobre a cama. O meu marido não faz isso, mas faz outras coisas-rsrs. Também importante ensinar as crianças a desenvolverem a gentileza e o respeito no trato com o sexo feminino. Nada ensina mais que o exemplo e se este não está sendo dado, cabe às mães exercerem seu poder de disciplina, pois estarão zelando pelo próprio bem estar dos filhos no futuro.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Saudações sinhá Marlene

    Furdúncio da peste!
    Também sou mãe e meu filho(adulto) é mais porco que o Sugismundo .Já desisti!

    Entrar no quarto dele é muito perigoso e vou contratar a S L U para limpar e esterilizar o chiqueirinho dele
    Minha culpa,minha máxima culpa,por não ensiná-lo a se organizar e a se virar ,fazendo sempre para ele,as coisas mais elementares


    abraços fortes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, gostamos de fazer as coisas para filhos e sobrinhos. Não nos sentimos onerados com isso, mas acabamos sendo permissivos demais com os maus hábitos, relevando-os. É um prazer receber você. Abraço.

      Excluir
  8. Perfeito Marilene, as suas colocações. É claro que cada ser tem o seu jeito de ser, de agir e pensar, porém, os bons hábitos, como a educação e o comportamento de cada um diante do que deve ser correto, não podem ser diferentes.

    ResponderExcluir
  9. Tudo isso é a mais pura verdade, Marilene. O comportamento dos homens em suas casas é o exemplo da péssima criação que suas mães lhes passaram na infância. O problema pode parecer banal, mas não é, e muitos casais chegam a se separar por essas falhas da conduta masculina. Adorei suas colocações. Parabéns, amiga!

    ResponderExcluir
  10. Perteito seu texto, é exatamente assim mesmo.
    Deve ser complicado conviver com alguém bagunceiro, não sei se conseguiria, gosto de tudo em seu devido lugar, mas não sou compulsiva não, rsrsrs, graças a Deus, mas seria conflitante para mim.
    Um abraço querida Marilene.

    ResponderExcluir
  11. Excelente crônica!!
    O título nos leva a origem, a educação (deformada) na construção dos
    maus hábitos no comportamento masculino,com o peso histórico do passado,
    o homem como senhores,provedores,etc...
    O interessante é que hoje a mulher acumula funções,papéis e continua a
    dificuldade para formação na educação que proporcione novos e bons
    hábitos no comportamento masculino.
    Acredito numa educação que estimule a independência com o aprendizado
    de tarefas e responsabilidades para ambos os sexos.
    Aqueles que são independentes e responsáveis tem um olhar,sentir e
    postura (ação) preciosos na vida.

    Gostei muito,esta tua visão feminina é preciosa!
    Bjos,Marilene.

    ResponderExcluir
  12. Marilene, a tua crónica te razão de ser. É forçoso, os progenitores, não serem passinhos no que toca a hábitos a impor. Ser-se organizado, em casa é muito normal, se desde o berço nos habitarmos. Deixo um exemplo: fiz comissão na guerra do ultramar, onde todo era permitido. Em campana tinha de lavar a minha roupa, No entanto, sempre tinha tudo arrumadinho nos sacos de campanha que me foi possível, no fim ter tudo para devolver, o que não aconteceu a muito boa gente.
    beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Marilene! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, bem como desejar uma ótima noite para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  14. Marilene, boa noite querida!
    Que maravilha de texto, muito apropriado e intuitivo!

    Denota-se como a educação, desde a infância, pode transformar um homem e também uma mulher!
    Os pais precisam ser firmes com os rebentos!
    O exemplo que mencionou no texto foi tão bonitinho: Imagina, um bebê de apenas 3 aninhos dando lições em seu papai desorganizado...
    Ohh, fiquei enternecida pelo jeitinho franco e meigo que o pequenino falou para o papai e este, relapso , já estava (novamente) tirando o time de campo...hahaha São assim mesmo!!
    Linhas perfeitas para refletir e começar do 0, principalmente quem tem crianças em casa!
    E hoje em dia, o casal tem que fazer tudo junto, em ampla cooperação, pois os tempos de "Amélia" já ficaram no passado ....

    Adorei querida!
    Beijos e uma semana maravilhosa!!! ♥

    ResponderExcluir
  15. Bom dia, compreendo na perfeição es sua publicação, também tenho os maus hábitos masculinos.
    AG

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  16. Olá Marilene! Mediante o teu comentário lá no nosso espaço, tenho a dizer que: assim como o palhaço que, mesmo com vontade de chorar, tem que fazer a plateia sorrir, existe o coveiro que ganha o pão assistindo as mais diversas formas de sentir a dor da perda, externadas pelos parentes dos mortos ali sepultados.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  17. Um texto perfeito e vendo a foto lembrei da minha
    filha que quarto bagunçado rsrsr, mas valeu ler e
    refletir muito, e a educação dos filhos somos nós que
    devemos fazer com carinho

    Bjuss com carinho


    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  18. Também sou um bocadinho assim, mas entendo-me bem no meio do meu caos!

    Http://fali-vendo-me.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. É verdade, Marilene, isso precisa ser ensinado desde criança. E não só as mães, como os pais também precisam educar. Ótima essa reflexão, usando o exemplo citado. Eu sou organizado. Bjssss

    ResponderExcluir
  20. Oi Marilene! Mais uma vez, passando para agradecer a tua visita e amável comentário, bem como desejar um excelente final de semana para ti e para os teus. A aranha não ataca ninguém se não for invadido o espaço dela. Rsrs.

    Abraços e muita saúde e paz.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Marilene!
    Não somente as mães são as responsáveis, mas os país também. A mãe que fica em casa leva a culpa, mas o pai que destrata a mãe perante os filhos, é um grande manipulador de suas mentes. Dessa parte, a mãe que é ciumenta e denigre a imagem de qualquer outra mulher que não ela, também candidata o filho a ser um desrespeitador de mulheres. Quanto à organização é um assunto a parte que nada tem a ver com caráter. Pais super organizados e exigentes com os filhos, tendem a ter um ovelha negra que fará o contrário da cartilha exposta. Então penso que os pais devam ensinar e dentro da limitação da idade exigir dos filhos um comportamento condizente, se isso não for possível, melhor lavar as mãos e entregar para Deus, pois quando não tiverem mais os pais, aprenderão por eles mesmos. Esses meninos e MENINAS são sabidos, enquanto tiver quem faça por eles, enrolam... rs.
    Bom fim de semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  22. Oi, Marilene!
    Não somente as mães são as responsáveis, mas os país também. A mãe que fica em casa leva a culpa, mas o pai que destrata a mãe perante os filhos, é um grande manipulador de suas mentes. Dessa parte, a mãe que é ciumenta e denigre a imagem de qualquer outra mulher que não ela, também candidata o filho a ser um desrespeitador de mulheres. Quanto à organização é um assunto a parte que nada tem a ver com caráter. Pais super organizados e exigentes com os filhos, tendem a ter um ovelha negra que fará o contrário da cartilha exposta. Então penso que os pais devam ensinar e dentro da limitação da idade exigir dos filhos um comportamento condizente, se isso não for possível, melhor lavar as mãos e entregar para Deus, pois quando não tiverem mais os pais, aprenderão por eles mesmos. Esses meninos e MENINAS são sabidos, enquanto tiver quem faça por eles, enrolam... rs.
    Bom fim de semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  23. Olá Marilene! Aqui em casa meu pai foi criado pela tia e como antigamente elas achavam que só a mulher tinha que tinha as obrigações de fazer os fazeres de casa e os maridos ficavam pedindo tudo na mão. Os filhos também...meu pai ainda é assim, mas os namorados eu e minha irmã já acostumamos de outros jeito, eles também cozinham, lavam e passam e as tarefas são divididas igualmente. Pretendo também educar meus filhos do mesmo jeito, ajudando nos afazeres de casa sem distinção de sexo.
    Bom começo de semana.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  24. Soube-me bem ler esta postagem. Revi o que tentei fazer com o meu filho: sempre incentivando na organização. Sem sucesso... Hoje, vivendo com a namorada, há tarefas distribuídas e é colaborante. Fico feliz com ele.
    Com o marido, consegui algumas vitórias, apesar de estar habituado a não fazer nada. Contudo, a mulher é sempre o pilar...
    Bjo, querida :)

    ResponderExcluir
  25. Beleza de crônica, diria eu que somos uma parte da responsabilidade, a maior parte. Mas há outras, a avó, o pai, a própria disposição do guri em ver a mulher arrumando sempre, e assim se criam, vendo as mulheres agirem! Essa geração de hoje é mais cordata, mais moderna em fazer, em dividir, em cooperar. Acho que evoluíram mais. Não tenho dúvida que nossos filhos saberão educar (nesse sentido) melhor do que nós. Sabe por quê? Porque são mais 'deitados' kkkk.
    Beijo!!!

    ResponderExcluir
  26. Esqueci... Mas que quarto horroroso, heim??? Que capricho!
    bj.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...