9 de mai de 2014

NOSSAS MENSAGENS

(arquivo pessoal)
                                                         

Estava caminhando em direção a um laboratório e, observando os prédios, um aviso chamou minha atenção. Nada tinha de inusitado, senão sua inutilidade. Lia-se : "GARAGEM 24 HS". Ocorre que a placa estava dentro de um edifício, cuja parte frontal era coberta por vidros. Não havia portas diante do espaço que chamavam de garagem. Obviamente, ali não entravam veículos. Por certo, fora colocado durante a construção e ainda não retirado.

O fato me remeteu aos avisos que passamos aos demais e que, por não conterem clareza, dificultam os relacionamentos. São palavras que fogem ao contexto, observações inconsequentes, gestos até espontâneos mas que deveriam ser evitados. Não podemos nos policiar a todo instante, mas uma advertência interior nos leva a pensar um pouquinho antes de agirmos, em certas circunstâncias. E a percebermos que nossa mensagem está truncada, ininteligível, com dúbio sentido, podendo até machucar.

Certa vez, uma de minhas colegas de trabalho, recém chegada do interior, me disse, em lágrimas, que levara uma cantada, do nada, e de forma inaceitável. Começamos a conversar e constatei que, inadvertidamente, ela levara o homem a presumir fosse essa sua intenção. Tinha o hábito de falar colocando as mãos no ouvinte, consertando uma gravata torta, tirando um cisco de um paletó, tudo com naturalidade. Mas a leitura de seu comportamento passava por um processo bem distante dos seus objetivos e de sua espontaneidade.  Como eu residia, há mais tempo, em São Paulo, e também havia aprendido que nossos hábitos interioranos nem sempre eram entendidos adequadamente, sugeri que não mais o fizesse. Tempos depois, ríamos do ocorrido. Ela já estava bem adaptada e avaliava com exatidão com quem poderia agir daquela forma, sem uma resposta negativa.

Inúmeros são os avisos que nossas atitudes passam a terceiros. E nem todos chegam aos demais viabilizando exata tradução, principalmente para as crianças. Daí o desconforto que se pode criar em relacionamentos afetivos, familiares, profissionais, de amizade. Estamos certos de que fomos claros e, ao contrário, geramos dúvidas e até sensações de desamor. Nem todos têm facilidade para fazer imediatos questionamentos, possibilitando o entendimento. E vão guardando pedrinhas que podem se transformar em altos e resistentes muros.

Não há, costumeiramente, uma outra intenção  escondida atrás dos nossos atos e palavras.  E os impulsivos me parecem estar mais sujeitos a ser avaliados incorretamente. As pessoas com as quais nos relacionamos, no mundo real e no virtual, tendem a querer ler pensamentos que muitas vezes nem nos ocorreram, baseados na premissa de que nosso modo de agir os indicou.

Se fosse fácil entender o comportamento humano teríamos, sem dúvida, regrinhas básicas para seguir. Há estudiosos de expressões faciais, corporais e até de opção por vestuário, afirmando que se pode "decifrar" as pessoas através desses fatores. Ledo engano!  Muitos erros se comete em avaliações da natureza.

A maneira com que fomos educados e a cultura predominante onde passamos parte de nossas vidas costumam nortear nossas atitudes. E quando estamos frente a quem trilhou um caminho diverso corremos o risco de ser mal interpretados, mal lidos, o que vai gerar uma resposta insatisfatória e até sofrimento. Se até o olhar, que costuma ser transparente, engana, o que dizer de supostas mensagens corporais silenciosas, frutos apenas da imaginação de quem resolve nos julgar?



                                                                   Marilene



30 comentários:

  1. Todo cuidado é pouco com nossas atitudes.Sempre podem ser mal interpretada, ainda mais se estivermos diante de outras culturas! beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, minha querida!
    Bela postagem e o legal que gosto em cada uma de suas postagens é que um acontecimento diário te faz refletir a ponto de nos deixar algo pra pensar.
    Realmente a espontaneidade do interior não é tão bem vista aqui em São Paulo. Acredito que as cidades grandes são maliciosas por natureza e tudo que é mais puro, espontâneo, é levado pra outro lado. Entendo sua amiga, pois já passei por isso. Como aprendemos com os erros, o melhor a fazer é observar e cuidar, conforme relata seu texto.

    Obrigada pela carinhosa visita e por ler a postagem Fogão à lenha.
    Abração esmagador e lindo dia.

    ResponderExcluir
  3. Amiga Marilene, eis uma postagem inteligente, melhor dizendo, um ensaio. Um abraço. Tenhas um lindo dia.

    ResponderExcluir
  4. Olá Marilene!
    Um assunto deveras interessante.
    Já por inúmeras vezes sofri contratempos e até desilusões, por ser demasiado impulsiva e agir sempre com muita naturalidade, não sendo geralmente calculista ou cautelosa em termos de postura e do que me sai da boca para fora. Já me aconteceu ser totalmente irresponsável na forma como aconselhei uma das minhas sobrinhas, algo que ela entendeu como um grande sermão talvez por eu ter falado um pouco de forma ríspida, algo que na altura eu nem me dei conta mas que ela interiorizou com mágoa na altura e só recentemente me confrontou com o assunto, que ficou bem resolvido, sem deixar marcas. Sou muito brusca e tenho de falar com os outros de forma que para mim não é agressiva, mas realista, mas que pelos vistos pode ser para os outros extremamente desagradável. Lição aprendida.
    Concordo contigo que o olhar e certas expressões faciais possam não dizer nada acerca das verdadeiras intenções de cada pessoa. aí existirem por vezes tantos mal-entendidos.
    Gostei!
    Bom fim de semana, Marilene!

    ResponderExcluir
  5. De facto, as palavras, os gestos, as atitudes que, para nós podem ser naturalíssimos e realizados sem segunda intenção, podem ser interpretados de forma muito diversa. Tentei e tento que a minha postura seja clara, em qualquer situação comunicacional. Preocupo-me com os contextos e tento, se perceber que algo não caiu bem, esclarecer de imediato. Contudo, nem sempre nos apercebemos, seja por distração, seja porque do outro lado não houve reação. Tenho um princípio: colocar-me no lugar do outro e, se se trata de informação escrita, no lugar de leitor...
    Exceto no que aos textos literários diz respeito, obviamente,. Aí será o leitor a fazer a sua própria descodificação...
    BJO, Marilene :)

    ResponderExcluir
  6. Bem vinda ao recanto dos blogueiros , Marilene. Bela postagem.Atitudes inocentes podem ser mal interpretadas. Por isso cuidado.
    Feliz dia das Mães.

    ResponderExcluir
  7. Você me fez lembrar da frase da psicóloga que eu frequento: "Cintia, cuidado com o que você fala de você mesmo!" ... na realidade o corpo tbm fala por isso é realmente importante que alem de cuidarmos das nossas palavras, tbm cuidemos dos nossos gestos. Adorei seu post!

    ResponderExcluir
  8. Não se precisa muita coisa para certas atitudes serem vistas com maldade. Muitas vezes estamos com a melhor das intenções, mas o outro vê com destorções e, se tiver mau caráter, benzadeus! Dia a dia aprendo e creio eu que até morrer não vou conhecer o ser humano. Por isso, todo o cuidado é pouco, tanto na vida real como na Internet – essa, muito mais pois as pessoas estão se expondo demais nas redes. Muito pertinente essa sua postagem!
    Quanto à sua amiga, conheço gente que fala assim, tocando, puxando, limpando… é, não pega bem. Uma trancada vai melhor...

    Um beijo, Marilene.

    ResponderExcluir
  9. O convívio humano conta com nuances bem delicadas.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  10. Olá, Marilene
    Apetece-me aplaudir! Seu texto prevê todas as situações que podem induzir em erro.
    Umas mais que outras... mas todas as pessoas fazem juízos errados.
    Confesso que é uma coisa que me põe doente, eu verificar que pensei mal de uma pessoa e depois concluir que me enganei. Felizmente não é muito frequente, pois a minha tendência natural é ver o lado bom das pessoas, mas...às vezes também peco! -:(((

    Como amanhã é DIA DAS MÃES no Brasil, é o momento de desejar felicidades, tanto a mães como a filhas.

    Um Dia muito feliz.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. O ser humano não é fácil nem nunca foi fácil de compreender,toda a gente tem os seus problemas e as suas chatices e tambem toda a gente tem os seus momentos felizes!! Eu não me imaginaria agora a fazer as coisas que fiz em criança e que me fizeram depressão nervosa,em que tive de abandonar os estudos. Hoje,até me deixo rir da maneira como as coisas foram feitas e enervo-me demais com a situação sempre que penso no meu passado. Sei que,se não tivesse feito o que fiz,hoje em dia teria uma vida mais perfeita e não tão dependente,mas,enfim,passado é passado,merece ser esquecido. Nós temos é que aproveitar o presente e não cair nas mesmas asneiras que fizemos no passado. É esta a minha opinião. Desejo um maravilhoso fim-de-semana para ti,fica com a paz dos anjinhos!! mundomusicaldacarolina.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  12. Muito bem colocado, mana.
    Nossas mensagens não verbais podem indicar o que as outras pessoas vão pensar de nós.
    Precisamos acautelarmos para não ler equivocadamente as pessoas bem como procurar não passar ideias adversas ao nosso modo de ser. É muito difícil interpretar o ser humano e é melhor não pecar pela precipitação para não causar desapontamento ou mesmo magoar as pessoas. Creio que para não errarmos teríamos que conhecer bem as pessoas com as quais nos relacionamos.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Pura verdade, Marilene... e muito bem observado! As mensagens que enviamos, na sua maioria, não passam através das palavras, mas das atitudes. Portanto, precisamos ter cuidado com elas. Boa semana, amiga!

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Marilene,
    Nossas palavras, observações ou gestos podem ferir ou presumir outras intenções,
    quando mal interpretados.
    Encontrar o equilíbrio é a maneira mais adequada para lidar com isso,
    pois se formos efusivos ou então reservados e distantes, de qualquer maneira, podemos ser mal lidos...
    Muito boa sua crônica...
    Bjs e ótima semana!

    ResponderExcluir
  15. Nossa, Marilene, que bom que uma mera imagem como essa te fez ter inspiração para fazer uma reflexão tão boa. É preciso mesmo ter mt cuidado com as atitudes e tb com as palavras, porque tudo é uma espécie de recado, e há chance do mesmo não ser bem compreendido. Interessante o exemplo que vc deu a respeito dessa cantada que sua amiga sofreu. Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi, Marilene!
    Muitas vezes fazemos a leitura errada e também padecemos da leitura errada de nós. Lembrei da manifestação campanha "Eu não mereço ser estuprada" por causa do famigerado resultado da pesquisa que informava que 65% dos entrevistados haviam concordado com a afirmação de que "mulheres com roupas curtas merecem ser atacadas".
    Em todas as situações, quando a dúvida se instala, podemos falar, conversar, perguntar... Se fosse para decifrar o enigma da frase "garagem 24hs.", eu diria que os moradores do prédio não gostam de carros parados em frente. Algo do tipo: "Garagem".
    Sobre a sua amiga, acho que todo homem é educado para "não perder oportunidade". A cantada é um risco, como quem diz "Quem não arrisca, não petisca". Mas a pior de todas as faltas mencionadas por você, são as pessoas do nosso convívio que ao tentar ler nossos pensamentos levam para a má interpretação de modo a deturpar todas as ações. Ser julgada por quem te conhece tem peso diferenciado de quem apenas imagina quem você seja.
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  17. Bem colocada as palavras, cada
    um que tem que ter o cuidado certo
    uma imagem e uma reflexão maravilhosa

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  18. Amei o blog, se puder seguir o meu ( http://souradioativo.blogspot.com.br/ ). Quem sabe não fazemos parceria.

    ResponderExcluir
  19. Ei!
    Bela reflexão!
    Bjins e te espero no meu canto
    novo de poesia.
    Bjins
    CatiahoAlc/ReflexodAlma

    ResponderExcluir
  20. Belo texto que nos leva a reflectir sobre o modo como lidamos uns com os outros, enviando mensagens erróneas inadvertidamente, quando a nossa intenção era outra. Também concordo com o seu reparo às técnicas de leitura da linguagem corporal, pois, realmente, esta dependerá e muito da cultura donde somos oriundos.

    Muito obrigada.

    Bjs

    olinda

    ResponderExcluir
  21. Olá Marilene!
    O ser humano é muito complexo na sua forma de ser e de agir. É fácil julgar , mas temos de ser cautelosos com esses juizos de valor que à primeira vista podem ser mal interpretados. Um belo texto o seu...para reflectir!
    Abraços e até sempre.

    ResponderExcluir
  22. Marilene,
    excelente texto! Não é atoa que temos na área de comunicação uma série de estudos dos signos, significados, símbolos, e todas interpretações e distorções. É verdade que é necessária uma cautela, ou pensar um pouquinho mais antes das palavras, mas ao mesmo tempo, na tentativa de não se perder a espontaneidade. Difícil isso.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Marilene
    Até as mensagens verbais, podem ser mal interpretadas, quantas vezes, quantos mais outras, dos mais diversos teores. Mensagens corporais, realmente, podem ter interpretações diferentes de local para local. Exemplo uma mensagem dum brasileiro (a), sempre mais abertamente fraterna, poderá levar a crer conotação diferente, a quem não esteja habituado. Confesso que a principio estranhei muito, jogando mais à defesa. Com o andar dos tempos, já procuro ser brasileirão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Marilene, muito obrigada por suas palavras de encorajamento na minha «CASA».
    É muito bem "ouvir" palavras tão simpáticas, de apreço! Fico muito feliz por ter gostado.

    Um óptimo fim de semana.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  25. Um dia um certo dia, talvez já não se possa,
    nesta vida, recomeçar.
    Não deixemos que o tempo passe e,
    com ele, a ocasião de recomeçar
    um dia que podemos encher de felicidade.
    Recomeçar de um ponto de um lugar.
    Recomeçar com um gesto, com uma palavra,
    com um abraço
    O sucesso nessa vida depende de nós ,
    mais acima de tudo de Deus.
    A você um abençoado final de semana.
    Beijos e meu eterno carinho.
    Evanir..

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde, Marilene. As interpretações de nossas atitudes são muito pessoais, de fato.
    Muitas vezes queremos passar algo bem diferente do que foi lido pelo outro.
    É uma questão delicada, principalmente, se tivermos de nos policiar a todo instante.
    A mente do outro é algo desconhecido para nós, e a naturalidade por vezes, pode confundir.
    Muito bem expressado aqui estes sentimentos.
    Devemos ter um cuidado, mas não a ponto de ficarmos paranoicos.
    Tenha um fim de semana de paz!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  27. Maravilhoso texto Marilene.
    Todo cuidado sempre é pouco para não deixar que a expontaneidade pareça outra coisa.
    Um abraço e tudo de bom sempre.

    ResponderExcluir
  28. Excelente texto sobre el comportamiento humano, gran post, buen fin de semana.

    ResponderExcluir
  29. Oie Marilene, tudo bem? Saudade daqui...como sempre nos presenteia com ótimos textos. Ai...as mensagens que o corpo passa realmente são muitas e devemos nos policiar para não passar mal impressão ou gerar acontecimentos confusos igual o da sua amiga. Gostei...bem diferente o texto.
    Bloody Kisses
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  30. Querida amiga

    Palavras sábias.
    O mundo nos fala
    de muitas formas.
    Entendê-las,
    nos faz evoluir como pessoas,
    e nos encontrar diante da vida.

    Reencontrar sonhos,
    é reaprender o sentido da vida.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...