26 de mai de 2014

AMOR FINDO

                                                           
(Antonio Sgarbossa )


Surpreendeu-se com a repentina despedida. Ouviu os planos dele, que não a incluiam, e se manteve equilibrada. Laços rompidos. Sonhos desfeitos. Haveria que construir outros, mas aquele momento era de dor e não fugiria dela. Não a exporia, porém, ao mundo. Era sua e cabia-lhe carregá-la por algum tempo. Colocou-a na bagagem, ora mais pesada, e seguiu seu caminho. Talvez os olhos a revelassem, mesmo com o sorriso no rosto e a voz mansa. Só a perceberiam, no entanto, os que lhe queriam bem. E eles a respeitariam.

Um corte a mais, uma nova ruga, o fim de um enredo que tinha sabor de estrelas, o apagar de uma lâmpada, a saudade do êxtase. Ainda podia sentir o eternamente juntos e visualizar a pintura de um futuro para o qual trabalhara, prazerosamente. Mas não receberia a horrenda classificação de sofredora, a despertar pena. Continuava inteira e verdadeira, não obstante o pedaço que lhe sabia faltar. Tudo se recompõe, disse-lhe a mente, abafando o grito do coração. 

Das ilusões queimadas não guardaria as cinzas. Nas noites insones abraçaria um livro e viveria o "ser" de algum personagem que lhe parecesse encantado, penetrando com afinco em seu mundo. Se as lágrimas insistissem em descer, concederia a elas liberdade. 

Um dia, sim, um dia, a cargo do tempo definir, colocaria um toque de humor em sua história, para que pudesse rir das lembranças. Estaria, então, habitando a outra margem do rio, sem mais pensar no naufrágio, certa de que a vida a convidava para dançar um novo ritmo e que estava pronta para o irrecusável bailado.


                                                              Marilene



24 comentários:

  1. Quando finda um amor assim, ter forças pra encontrar motivos de boas lembranças ,as que fazem rir e assim, um novo incentivo pra mais tarde, novo amor viver!Se ficar apenas na amargura, nunca mais!! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Que triste... daí a importância de um plano "B". Um que sempre nos inclua, mesmo que não estejamos incluídos em outros planos.
    Bom dia, Marilene.

    ResponderExcluir
  3. São os saltos abruptos da realidade. E os amigos respeitarão porque existem momentos em que por maior que seja a compreensão da situação, as palavras apresentam-se desnecessárias e gastas. Além disso, sentir que os outros possam ter pena de nós agudiza ainda mais a situação.
    Projectar um futuro a dois que se desmorona, sobretudo quando a ruptura é decisão apenas de um dos elementos do casal, é uma situação frustrante, mas há que seguir em frente, porque o que ficou lá atrás não volta nem deve voltar. É sempre menos mau uma separação do que viver com alguém insatisfeito na relação, e o melhor é aceitar o quanto antes que as coisas acabaram, tentar ser racional custa , mas torna-se essencial, tal como libertar toda a mágoa que se sente. As dores têm de ser "bem vividas" para que possam passar com o tempo.
    E um dia essa mulher poderá sorrir da própria sorte, e dizer que "há males que vêm por bem".
    Um belo texto, a mostrar como do fim de de alguma coisa pode ser o início de outra. A vida é morte e renascimento, desde as pequenas às grandes coisas.
    Boa semana, Marilene!
    xx

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto, Marilene, e concordo inteiramente: quando conseguimos colocar um toque de humor nas lembranças doídas do passado, é porque elas já não nos fazem sofrer. Boa semana, amiga!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Marilene,
    Não estar incluída nos planos de alguém pode parecer meio frustrante,
    afinal, ninguém se prepara pra isso.
    Mas a vida é um eterno recomeço,
    e por mais que haja um período de desolação,
    o sol sempre voltará a brilhar!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá Marilene

    Gostei do modo como está apresentado o conto. Vejo nela a "pena" do positivismo. Há que ter em conta que o mundo real nos pode pregar partidas. Depois de equacionar o desgosto, há que encetar a partida para outra, a recuperar a alegria.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Que lindo Mari...é isso ai..nada como deixar as lagrimas rolarem livremente para uma sensação de alivio por algum momento..rs...
    Adorei a foto nova e o fundo com essas flores amarelas maravilhosas, teu blog esta combinandissimo...rs..arrasou....é novo ou eu tava cega e nao reparei antes?
    Sorry o sumiço!!
    Bjks!

    ResponderExcluir
  8. Recuperar a alegria é importante. Mas também deve-se respeitar a dor. Dar tempo ao tempo, mas buscando alternativas novas. O tempo então dará a resposta. Sempre haverá oportunidade de recomeçar.
    Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  9. Olá mana,

    Quando um amor é rompido inesperadamente a dor é mais intensa e delicada, pois sonhos e planos são destruídos de maneira cruel. Porém, se uma parte exclui a outra de sua vida somente resta esquecer. Cada um tem sua própria forma para lidar com a dor. O importante é que ela seja vivenciada no tempo necessário para que seja exorcizada de vez,. Na hora certa, o coração abrirá suas portas para novas oportunidades.

    Linda a construção do texto. Parabéns!

    Beijão.

    ResponderExcluir
  10. Oi amiga, valeu a força... Rs... Já vi que você "like" a minha Page!!!
    Vou tentar coordenar essa nova função com a blogosfera para não sumir!!
    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  11. é um belo texto - escreves muito bem...

    beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá, Boa noite,Marilene
    muito lindo...parabéns!
    ...há alturas na vida em que somos levados pelo amor . É uma sensação maravilhosa...passado algum tempo, por vezes, começa a diminuir, os planos são desfeitos e as dificuldades multiplicam-se...e os conflitos acontecem , que pode nos trazer , desconfiança ou ressentimento,mas também pode ajudar a ir ao fundo das coisas, a melhorar as relações...mas, se aquela sensação maravilhosa que fomos levados,os planos jogados num canto da gaveta, se aquele amor se transformou em bom dia, aquela vontade se transformou em nada.Se O que existia, não mais existe, porque a razão não permite mais. Vai chegar ao fim, isso é um fato...o importante é seguir a caminhada,sendo inteira e verdadeira,mesmo sentindo a falta de um pedaço...mas,como dito, tudo se recompõe,diz a mente, longe do coração...
    Obrigado pelo carinho,bela semana,paz e luz, beijos!

    ResponderExcluir
  13. Já dizia Camões que " O amoe é fogo que arde sem se ver".
    Gostei muito de ler.
    Beijinho. MD

    http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  14. A rejeição deve ser uma das piores experiências, baixa significadamente nossa auto-estima, é uma sensação de fracasso. Mas respeitando o período, o bom senso nos leva ao recomeço, à busca por algo novo, dar sentido novo á vida. E assim caminha a humanidade: tropeços e levantadas. Mas a vida é isso.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. ... Afinal a vida nao é tudo flores nem tudo dores. Quando o amor chega ao fim, o melhor é se permitir a dançar um novo bailado.
    Belíssimo. Parabens!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi querida Marilene, que lindo! Adorei!
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  17. Adorei todo texto, mas peço licença sua para citar essa maravilhosa frase.:
    "Das ilusões queimadas não guardaria as cinzas".
    Linda noite.
    Bjins
    CatiahoAlc./ReflexodAlma

    ResponderExcluir

  18. Um texto que nos mostra como se pode suportar com dignidade
    as dores de uma desilusão, juntando os cacos e colá-los recor-
    rendo à nossa força interior.

    Bjs

    Olinda

    ResponderExcluir
  19. Nossa querida , que lindo texto , triste mas com uma beleza da vida que nos ensina a suportar as dificuldades
    bjs

    ResponderExcluir
  20. Amiga que texto encantador amei sucesso lindo blog
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderExcluir
  21. Oi oi querida,super adorei o teu texto!! Muito bela a tua postagem!! Desejo bom fim-de-semana!! mundomusicaldacarolina.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  22. Marilene,
    eu tb não gostaria de guardar cinzas de ilusões queimadas... mas vez por outra me pego sacudindo-as de mim... ainda! E também luto para colocar um pouco de humor em minha vida, desta margem, ainda, do rio. Será?
    Abraço,
    Jussara - minasdemim

    ResponderExcluir
  23. Lindo e triste, porém a pura verdade.
    Espero em Deus e no amor que une cá nós dois nunca passarmos por isso, ai ai ai.
    Um abraço querida e vamos que vamos amar muito.

    ResponderExcluir
  24. Que texto tocante e profundo, Marilene. Mescla bem a dose de beleza com a dor da tristeza. Mt bom. bjs

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...