14 de abr de 2014

DENTRO DE CADA UM

(Tristan Elwell)
                                             


O dia amanheceu estranho. Logo cedo o sol mandou sua mensagem: não me esperem. Ele poderia até me surpreender e sair da toca, mais tarde. Resolvi, então, me dedicar a algumas atividades domésticas. Enquanto as realizava, olhava o céu através das janelas, e encontrei similaridade entre os dias e as pessoas. Podem ambos ser iluminados, ensolarados, nublados, indefiníveis, chorosos... E meus pensamentos me levaram a outros caminhos.

Quem foi que nos ensinou o que era melancolia, uma palavra que até possui beleza nos versos, mas que, ao nos envolver, esconde sorrisos e alegrias? Quem foi que nos mostrou a existência da fantasia, a necessidade de sonhos e de ilusões? Será que sentimentos podem ser ensinados? Por que vemos crianças tristes, sem aparente razão, e outras que enfrentam doenças, abandono, e não perdem a esperança? Por vezes, penso que nascemos assim e nos conduzimos, durante toda a existência, com o mesmo desenho interior. E que, por mais que nos questionemos, não encontraremos as respostas. 

No ambiente de trabalho, costumava observar essas características nas pessoas. Algumas não se quedavam, por mais que os ventos ocasionais as empurrassem e até as fizessem se apoiar em colunas invisíveis, para se manterem firmes e contentes. Também choravam, se entristeciam, mas não abraçavam as dores. Sua capacidade de passar sobre elas, como se caminhassem sobre pedras pontiagudas sem se machucarem, era gritante. E até mereciam, por parte de outros, a definição de insensíveis.

E havia aquelas que nada comemoravam. Traziam nos olhos uma insatisfação inexplicável, que espalhavam até com certo prazer. Constituíam as companhias suportáveis e nada desejáveis, das quais logo todos se afastavam. Para elas, um pequeno corte era a aproximação da morte, por incontrolável sangramento.  Alias, viviam sangrando em seu interior, tamanhas as dores reais e ilusórias que alimentavam e sobre as quais viviam debruçadas.

Seriam esses dois modos de ser uma opção? Será que alguém gosta de ser infeliz, de não criar vínculos saudáveis, de viver à margem de caminhos sombrios por não ser capaz de ver o sol? Será que a interpretação dada pela ciência está sempre correta, ou existe algo, dentro dos seres, que trouxeram ao nascer, levando-os a direcionar, dessas variadas formas, suas vidas?

Percebemos, na escrita de alguns, essas tendências, principalmente a da insatisfação e da incapacidade de se alegrar, independente de suas possibilidades econômicas e sociais. Atraíram leitores com a exposição de seus questionamentos, de seu negativismo, do nublado que colocaram no céu que observavam . Muitas obras não têm cores e seu encanto reside, justamente, nisso. Há quem as leia saboreando a riqueza da escrita e aproveitando as reflexões filosóficas por elas despertadas, sem envolvimento com o sentir negativo peculiarmente demonstrado. E há os que fazem delas uma tradução das próprias emoções.

O dia permaneceu nublado e não foi enganoso o recado do sol. Mas já conhecemos seu proceder e sua capacidade de se alternar. O ser humano, no entanto, embora tenha idêntico poder, nem sempre o faz. Alguns vivem nas sombras , com dificuldades para ultrapassar esses limites, tão tênues, que os separam da luz, e que, na verdade, pedem apenas alguns passos.


                                                            Marilene




30 comentários:

  1. Beleza de constatação essa, muito bem observada! Isso podemos ver muito por aí! Há os que reclamam da falta de sol em suas vidas, porém pra ele nem se dignam a olhar...Preferem reclamar, se entristecer... beijos,lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  2. Cara Marilene

    As questões que aqui nos apresenta são muito importantes. É bom que paremos e reflictamos sobre elas. Realmente, é fundamental chegarmos ao âmago do nosso ser e pesar os prós e os contras de uma atitude de comiseração permanente perante tudo o que nos acontece e não acontece na vida. Uma postura que muitas vezes se torna num hábito.

    Dar a importância devida às coisas é realmente uma arte que devemos cultivar...

    Beijos

    Olinda

    ResponderExcluir
  3. Marilene
    Foi gostoso ler refletir sobre os pensamentos postos à reflexão de cada um, Pensando bem ser positivista, ou não, será intrínseco da formação de cada mente. Não provêm necessariamente de desaires, efémeros e devemos sempre nos propor remediar, como incidências da vida.
    Beijhos

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde,
    a leitura tem pode ter mais que um interpretação, o maneira de escrever pode levar a uma interpretação errada do pretendido, a felicidade é relativa, o que é a felicidade para um pode não ser para o outro.
    seu texto é magnifico e faz refletir.
    Tenha um dia feliz
    ag

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Também penso assim, Marilene; as luzes e as sombras existem dentro de nós, mas optar por umas ou outras é sempre uma escolha nossa! Belo texto, boa semana.

    ResponderExcluir
  6. Oi Marilene, é a Vi, também acho que não existe resposta, cada um pensa de uma maneira, as vezes certas pessoas tem a mesma maneira de pensar, mas isso não prova que existe uma resposta para nossos questionamentos.
    Amei seu texto, fiquei pensando sobre pessoas que vivem nas sombras, as vezes certas doenças psicológicas são mais limitadoras e incapacitantes que doenças físicas.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  7. Uma excelente comparação entre a face dos dias e a a face das pessoas, ou seja como as pessoas encaram ou não a vida, se são radiosas, alegres , tristes ou melancólicas. E porque existirão pessoas que encaram os problemas como se fossem autênticas fortalezas, e outras que ao mais breve sopro de um dia ventoso parecem claudicar e tudo é cinzentismo à sua volta.
    De facto existem pessoas que parecem até nem perdoar o facto de terem nascido...e eu acho que talvez a própria vida intra uterina possa ter um pouco a ver com isso. Mas também acho que existem pessoas tristes ou alheadas por natureza, e isso não faz delas melhores ou piores pessoas, mas claro que se se trata de uma tristeza profunda já será um caso patológico, mas realmente esta é uma questão interessante. Eu por exemplo não gosto de grandes festas ou de convívio com muita gente ao mesmo tempo, para mim festa é com meia dúzia de pessoas, e por vezes em grandes festas fico pensativa o que faz com que me perguntem o que se passa comigo, mas na verdade não se passa nada!
    Um texto com questões pertinentes que gostei muito de ler.
    xx

    ResponderExcluir
  8. Subscrevo totalmente o teu excelente texto/reflexão...Identifico-me.

    Contudo, deixo uma achega: há um autor e um sujeito narrativo, é preciso não o confundir. A maior parte das vezes, o que se escreve é pura efabulação e processo criativo. Já escrevi textos em prosa e em verso puramente fantasiados, impregnados de "dor" - por exemplo - e eu, pessoa autora até não estou a sentir nada disso naquele momento... É um pouco como representar um papel numa peça teatral ou num filme...
    BJO, Marilene :)

    ResponderExcluir
  9. Oi, Marilene!
    Não acho que seja o meio influencia, justo pelo exemplo que citou de crianças tristes com todas as possibilidades de serem alegres e crianças alegres com a desgraça cercando-as. A minha conclusão é que tudo depende da química perfeita do cérebro. Pessoas tristes deveriam desenvolver técnicas para que o cérebro liberasse mais endorfinas, mas alguns cérebros não são funcionais e precisam de drogas para funcionar direito. Outros, nem os remédios funcionam. Pois já notei famílias tristes, tendo um membro "feliz" e o contrário também. Mas o sol é para todos!! Os dias estão amanhecendo nebulosos com aeroportos fechados e logo esse fenômeno estará ligado às estações de transição. Deve ser a Mãe Gaia precisando de um pouco mais de descanso. Estamos com muitas pessoas pisando e marretando sobre ela! :D
    Beijus,

    ResponderExcluir
  10. Marilene, são belas as suas considerações sobre esse tema. Eu penso que as pessoas que não se deixam abater pelas vicissitudes da vida, possuem um espírito mais evoluído e sabem o propósito de estarem nesse mundo.
    beijo e muita paz!

    ResponderExcluir
  11. diz-me o que escreves, digo-te quem és...

    "saboreando a riqueza da (tua) escrita"...
    o que aqui me basta!

    beijo

    ResponderExcluir
  12. Nossa Marilene, que análise perfeita!

    Existem pessoas que são luz, iluminam a todos por onde passam e deixam um rastro de alegria e jovialidade permanente! Até o mais breve sorriso consegue melhorar o dia de alguém!!

    Por outro lado, as sombrias também existem e nada, nem ninguém consegue dar alento a essas pessoas.. Estão sempre entristecidas, emburradas...ah, quanto desperdício de vida....
    Mas mesmo aquelas que tem problemas gigantes, conseguem se desvencilhar dos mesmos e são fortes, enfrentam com bravura!! Mas como disse, depende da postura de vida com que cada um enfrenta as adversidades!

    Gostei demais amiga e me perdoe a ausência, tem momentos que fica difícil mas em breve, torço muito, pretendo regularizar todas as visitas aos meus cantinhos queridos e preferidos!!
    Beijinhos e de antemão, desejo um excelente feriadão!! :)))

    ResponderExcluir
  13. Oi mana,

    Bela crônica de caráter filosófico. Creio que para essas questões possa existir, em alguns casos, uma explicação fora do alcance da ciência e, para outros, algo meramente decorrente de opção de vida. Sentimentos como a melancolia, tristeza, entusiasmo e alegria são comuns a todo ser humano. Só que alguns permanecem num estado mais negativo e abraçam o vitimismo, seja com vistas a chamar a atenção ou não. Essas pessoas se tornam companhias indesejadas, pois espalham energia negativa ao seu redor.
    Há pessoas que tombam ao menor vento e há outras que enfrentam bravamente qualquer temporal. Não saberia dizer se a maneira de ser de cada uma delas é nata, ou não, e não me atreveria a julgar, já que são muitos os fatores influenciáveis (modo de criação, insegurança adquirida, problemas psicológicos e outros).
    Ouso pensar que algumas trazem resquícios de outras vidas que influenciam em sua evolução, mas acredito que mesmo que assim fosse, tais pessoas estariam aqui para aprender a superar suas fraquezas. Outras, me parecem optar mesmo pela infelicidade, por mera acomodação ou preguiça de lutar em busca do sol em suas vidas. O tema levaria a várias divagações e fica como uma boa reflexão.

    Excelente, maninha.

    Linda a imagem.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  14. Excelente Crônica você fez uma perfeita análise entre dias/pessoas. A gente ver tantas pessoas dessa forma abatida, triste, parece perdido, em busca de algo que o ampare. Em seu interior parece que jaz a escuridão, as nuvens negras da vida podaram sua alegria, são tantas as adversidades que ela precisa ultrapassar e talvez falto incentivo, falta ânimo, coragem, e isso acontecem muito com algumas pessoas "Incentivo e coragem pra seguir em frente"... Há pessoas que é energia positiva só, guerreiras da vida usam sua força interior e sai dissolvendo todas as nuvens negras que ultrapassa seu caminho, mesmo com todas as desventuras do seu dia, ela consegue mostrar alegria, sorrisos, e aquecer com seu calor quem o precisa.
    Maravilhoso o que escreveu, gostei muito! Uma ótima reflexão esse tema.

    Desde já desejo uma excelente páscoa a você e todos os teus.
    Um abraço com carinho Marilene!
    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  15. Bela crônica, Marilene, bastante poética... o que sempre me agrada ;)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. Mari,
    os imperscrutáveis desvãos da alma humana produzem tal pluralidade que tonteiam o olhar; só permitem a prosa poética lhes desvendar o sentir, como vc o fez aqui nessa bela crônica.

    Te desejo uma feliz e abençoada Páscoa.
    Um abraço,
    Calu

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, Marilene!
    Que belíssimo texto! Fiquei encantada com sua comparação e os caminhos por quais enveredou ao observar o tempo... Engraçado como voamos nos pensamentos. Gosto disso. Às vezes voo tanto que me pego tentando voltar ao começo do que originou tantos pensamentos rsrs. Já aconteceu isso com vc?

    Bom... sobre o texto. Acredito que não nascemos assim e escolhemos viver assim. Vários fatores desencadeiam tais atitudes, muitos aprendem e mudam. Outros, se endurecem tanto que ficam cada vez mais petrificados, dramáticos e "escurecidos". Acredito tb, que a chave para a mudança é o amor, aquele pregado por Cristo que vem sempre casado com o perdão.
    Como vc narrou é estranho observar aqueles que passam por provações com esperanças e alegria no coração (na minha opinião, são pessoas de fé) e aqueles que por mais que tenham, nunca se sentem satisfeitos com nada nem ninguém.
    Eu prefiro crer que a vida é uma bênção e Deus me guia cada dia.

    Minha querida, que sua Páscoa seja recheada de bênçãos.
    Dias felizes pra vc e todos os seus.
    Abração esmagador.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Marilene, ao nascermos trazemos coisas que se desenvolverão; umas boas, outras nem tanto. Mas também seremos produto do meio, essa parte mais de sociabilidade será moldada. Mas dá, se quisermos, procurar ajuda, dar uma melhorada na maneira de pensar e agir. Isolar-se e achar doença em tudo é uma patologia. Mas tem gente que adora viver como vítima de tudo, ver o lado negro da vida deve ser um alimento... Nascemos para nos comunicar, não para vivermos isolados, doentes. Deve ser triste, sim. Por natureza somos seres sociáveis.

    Beijos, uma ótima Páscoa, com muito chocolate para não morrer o nosso lado de criança! rs

    ResponderExcluir
  19. Perfeita a sua observação minha querida...ameiiii ler seu texto, de uma riqueza de alma que tocam, despertam e impressionam...

    É sempre interessante vermos a sintonia de cada um, não é, mesmo? E cada qual ligado às suas percepções interiores, seguem colorindo ou não suas vidas.

    Que sua Páscoa seja doce e feliz minha amiga, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  20. As almas se conectam, feliz Páscoa beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  21. Nesse final de semana comemoramos a Páscoa
    Quero desejar a vc e toda família um dia muito feliz
    Agradeço mais uma vez sua amizade
    Parabéns pelo belo post, abraços pelo carinho de sempre

    Bjussss
    ____________✿Rita!!!

    ResponderExcluir
  22. Una cronica bien poetica y maravillosa, saludos.

    ResponderExcluir
  23. Páscoa, momento de união, de parar para refletir,
    de ver a vida diferente, de ver gente como a gente.
    A Páscoa vem trazendo uma mensagem de paz, esperança e amor.
    Feliz Páscoa.
    Um carinhoso beijo lotadinho de saudades,
    Evanir.

    ResponderExcluir
  24. Olá Marilene!
    Gostei de ler o seu texto. Penso que cada um de nós tem nasce com determinadas características que se acentuarão ou não devido a factores externos.É preciso" lutar" para fugir ao pessimismo.Parabéns pela postagem. Boa Páscoa. Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. Boa reflexão, Marilene. Eu já havia pensado nisso. Como pode algumas crianças enfrentarem doenças graves e situações difíceis com tanta maturidade e alegria, enquanto outras apresentam tristeza profunda sem aparente motivo. Mas isso vale para os adultos também. Tudo pode ser aplicado a nós mesmos. E confesso que não sei responder, até pq não tenho mta moral pra isso. Bjs e boa Páscoa.

    ResponderExcluir
  26. Gosto imenso de dias de sol,tanto que adorei esta semana que passou aqui nos meus lados. Estiveram dias bem agradáveis,contudo parece que vamos ter uma pascoa chuvosa,o que não me anima nem um bocadinho porque eu detesto chuva,mas todos sabemos que a chuva tambem faz falta. Beijinhos fofinhos!! mundomusicaldacarolina.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  27. OI QUERIDA MARLENE
    Que a alegria da Páscoa invada o seu coração e o daqueles que você ama, irradiando luz para iluminar e fazer brilhar o mundo em que vivemos, preenchendo-o de amor, saúde e paz. Feliz Páscoa! Com carinho

    ResponderExcluir
  28. Oi querida Marlene,
    Que a data dessa passagem sagrada seja repleta de paz e harmonia. Que os povos esqueçam a guerra e vivam em confraternização!
    Beijos e Feliz Páscoa!

    ResponderExcluir
  29. Conheço pessoas que gostam de viver no escuro de si mesmas ou sei lá, já se acostumaram com essa escuridão que tem medo da luz, que pena, por que e tão bom buscar todos os dias mais luz interior e exterior claro.
    Lindo seu texto querida Marilene.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...