20 de mai de 2013

SE ...

((Rafal Olbinski)


                                                
Nenhuma retrospectiva nos mostrará as alegrias e realizações que poderíamos ter vivido e que perdemos pelo medo de arriscar, ou até mesmo de prosseguir, diante de um projeto que nos parecia promissor e que, em determinado momento, nos trouxe percalços e desafios, levando-nos a abandoná-lo. 

Talvez nem devamos fazê-la, tentando visualizar o resultado de atitudes  que não tomamos. Muitas vezes, ao olhar o que passou,  costumamos sentir que fizemos   uma opção equivocada. Normal, quem não passa por isso? Mas fixar nosso coração no que poderia ter ocorrido é infrutífero.      Não devolvemos ao jardim as flores que colhemos, que destruímos, que não desabrocharam por falta de cuidados e de amor. Resta-nos olhar para a frente, com mais sabedoria. Mesmo na terra abandonada,  podemos replantar. Na vida, também. Os acertos ( e todos foram beneficiados por alguns) nos mostram que quase tudo é possível , desde que não extrapolemos a razoabilidade, que conheçamos nossas qualificações no instante de fazer escolhas, único meio de avaliarmos nossas probabilidades de sucesso.

Há muitos anos, uma colocação feita por Hermann Hesse, em sua obra Narciso e Goldmund, me chamou a atenção. Disse ele:

"Parecia que toda a existência repousava sobre duplicações e contrastes: ou se é homem, ou mulher; ou andarilho, ou burguês; ou sensato, ou sensível. Em parte alguma se poderia experimentar, ao mesmo tempo, prender e soltar a respiração, ser homem e ser mulher, experimentar a liberdade e a ordem, o instinto e o espírito; sempre se faria uma, em detrimento da outra, e uma sempre seria tão importante e desejável quanto a outra! " 

Desta forma, todas as interrogações sobre eventuais resultados provenientes do caminho não escolhido poderão nos despertar a sensação de que seríamos mais felizes se tivéssemos optado por ele. Mas a escolha já foi feita e é irreversível. O "se" não é apropriado para o presente. E é nele que estamos.
                                                                           Marilene

24 comentários:

  1. Não vejo nenhuma vantagem em olhar para atrás e visualizar o que deixamos de fazer. Ou se é ousado e enfrenta, faz assumindo todos os riscos ou simplesmente não faz, mas segue-se em frente sem arrependimentos. Lindo, adorei Marilene, bjus.

    => Gritos da alma
    => Meus contos
    => Só quadras

    ResponderExcluir
  2. Marilene,

    O que passou, passou, mas tudo de bom ou ruim serve de aprendizado. Tudo consequência de nossas escolhas, más ou boas.
    Muito obrigada pela sua presença no meu blog, e lindo comentário para o Daniel. Tenho certeza que ele vai ficar muito feliz.
    Uma linda semana! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amiga Marilene

    A lermos todas as considerações, sabemos serem certas, mas o vida é constituída pelas nossas opções. Opções que, podem nem sempre ser acertadas. Nesse caso, devemos ficar com a experiência e prosseguir.
    Beijos de amizade

    ResponderExcluir
  4. O "SE", tão pequenina palavra, se nos fixarmos nela, atrapalha tudo! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Que texto bárbaro, compartilhei lá no Face, mais pessoas te que ler e meditar e refletir a vida.
    Li também esse livro por várias vezes, gosto muito de Hermann Hesse e por incrível que pode parecer, lá no meu livr també esta frase encheu meus olhos eme fez refletir muito...grande beijo no coração.

    ResponderExcluir
  6. Oi Marilene
    Maravilhoso texto, já te disse e repito, tiro o chapéu para vc, pois és uma escritora completa, sabes escrever lindas poesias, como maravilhosas crônicas! Eu já escrevi sobre a eterna dúvida do "se", ainda não consigo me desvencilhar dele, mas o que vc disse é uma verdade, ele só vale para o presente. Adorei!
    Bjos.

    ResponderExcluir

  7. Olá mana,

    Concordo.
    O que fizemos ou deixamos de fazer não poderá ser alterado, portanto não se justifica refletir a respeito dos resultados caso tivéssemos feito escolhas diferentes. Nem sempre opções diferentes seriam garantia de sucesso. Quando fazemos nossas escolhas temos em vista sempre o melhor. Dos erros, chegam experiência e aprendizados importantes. Não podemos interferir no passado, mas a partir do presente tudo podemos fazer para tentar retornar à melhor rota para a nossa caminhada.

    Parabéns pela linda crônica.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Li uma frase do Paulo Coelho ontem e me lembrei lendo teu texto.
    "Meus erros são todos originais, pois se não fossem eu estaria repetindo os mesmos erros novamente".
    Bacana né?!
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Li uma frase do Paulo Coelho ontem e me lembrei lendo teu texto.
    "Meus erros são todos originais, pois se não fossem eu estaria repetindo os mesmos erros novamente".
    Bacana né?!
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Li uma frase do Paulo Coelho ontem e me lembrei lendo teu texto.
    "Meus erros são todos originais, pois se não fossem eu estaria repetindo os mesmos erros novamente".
    Bacana né?!
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá minha querida!
    Vim voar novamente por aqui e meditar em suas postagens.
    Sabe, eu não me canso de ler e tentar evoluir essa parte espiritual, acho que o homem ainda não descobriu todo o potencial que reina nele.
    Gostei muito do trecho citado, de Hermman Hesse, é fácil encontrar esse livro?
    Nesse final de domingo, assistindo ao filme Dejà Vu com meu marido, comentava com ele a ironia dos filmes que toda vez "voltam ao passado". O que sempre deixam claro é que mesmo que se mude algo, os acontecimentos, incluindo tragédias, mortes etc, não serão apagados, podem apenas ser transferidos...

    Obrigada pela bela postagem, são coisas que devemos nos alimentar todo o dia.
    Abração.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia,Marilene!
    Estou maravilhado com teus trabalhos.
    PARABENS
    Abraços
    Sinval

    ResponderExcluir
  13. Oi Marilene :)
    Aprender a viver no momento presente e tentar se ver livre do 'se'
    diminui nosso estresse.
    Não importa o passado.Vamos viver o agora.
    Bjs \o/

    ResponderExcluir
  14. E quantas vezes usamos o "se", né? Excelente postagem que traz uma ótima reflexão, Marilene. Temos que aprender a viver o presente e esquecer o passado e não ter medo do futuro. Mas que é difícil é. bjsss

    ResponderExcluir
  15. Pois é MARILENE,

    este "se" é o condicional,imponderável, o que poderia ter vindo a ser,a hipótese da possivel conclusão ou a verdade de um inacabado desfecho.

    Uma vida no condicional é muito sem chão, sem base, sem reaiz, sem razão e na maioria das vezes...sem noção.

    Temos nova postagem no "FALANDO SÉRIO" e "se" (rs) você pudesse fazer por lá um comentário, agradeceria, pois sempre falo que são os comentários de vocês que me reciclam.

    Posso esperar?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  16. Bom dia,Marilene!!

    Um texto perfeito!!!
    Ficar se torturando com o que poderia ter sido feito, além de ser inútil, trás inquietações e perturbações! O "SE" é um martírio...
    Sou mais de, deixar o que passou, no passado; aprender e ter atitudes diferentes no presente! Senão...de que adianta, né?! É o mesmo que se lamentar,mas nunca fazer nada para mudar!
    Beijos,minha amiga tão querida!!!!
    Tudo de bom pra ti!

    ResponderExcluir
  17. Marilene, um beijo no seu coração! Eu sempre tive medo e ainda tenho de me arrepender do que não fiz, não do que fiz. Até mesmo os eventuais erros cometidos por nós de certa forma nos trouxeram alguma lição e aprendizado. Por isso o arrependimento nesse caso passa mais como uma reflexão que um arrependimento propriamente dito. Agora, porém, nada é mais doloroso que se arrepender de algo que por alguma razão gostaríamos de ter feito e não fizemos.

    ResponderExcluir
  18. Gostamos de imaginar o "se"....
    Um grande abraço e excelente fim de semana!
    Bjusssssssss

    ResponderExcluir
  19. Bom dia !!!
    Bom sábado ......
    Vim deixar um abraço, que seu final de semana seja cheio de paz.
    Tem sempre um post valioso, que adoro, o que é muito bonito

    -Uma frase.-

    Um amigo me chamou pra cuidar da dor dele, guardei a minha no bolso. E fui.

    Clarice Lispector

    Abraços
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  20. Marilene, querida!!!!
    Primeiro quero agradecer tuas visitas, tua paciência e compreensão com a minha ausência. Estou correndo para colocar minhas visitas em dia. Estou atrasadíssima, mas não desisto. kkk
    Nossas escolhas constroem a nossa vida. E a falta delas também. Infelizmente erramos muito ao longo do caminho.
    Excelente texto para reflexão como sempre, amiga!
    Beijocas e um excelente fim de semana!

    ResponderExcluir
  21. é quase impossível imaginar o SE, mas não vivemos nele, como vc bem disse amiga, assim, em algumas situações, imaginar o SE acaba por nos impedir de realizar planos e sonhos no presente.. amei teu texto.. beijos mil amiga e ótima semana..

    ResponderExcluir
  22. Ai Mari, esse texto bate fundo sabe? Escolhas e opções na vida são caminhos que depois de carimbados não há mais volta e nem choro pelo leite derramado.

    Eu fiz algumas opções que naquele momento achei certas, porém hoje eu não as faria.
    Creio ser falta de experiência, porque a juventude tem muita pressa.

    Delícia de texto!

    bacios cara mia

    ResponderExcluir

  23. Cara Marilene

    A sua reflexão sobre esta matéria é relevante, porque todos nós em algum momento da vida sentimos dúvidas e frustrações por algo que não fizemos ou que fizemos mal. Mas é como diz, em vez de ficarmos presos a esse passado que ele nos sirva para trilhar caminhos com mais segurança e vontade de enfrentar as dificuldades que se nos apresentem. E também sabedoria para aproveitarmos em pleno os momentos bons.

    Bjs

    Olinda

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...