10 de mar de 2012

MERO DESABAFO


                                                         
O Brasil sempre abriu suas portas para o mundo. Aqui vivem pessoas de todas as nacionalidades é é difícil encontrar um brasileiro que não tenha ascendentes estrangeiros. São respeitados e alguns muito contribuíram para o desenvolvimento desta nação. Não importa como chegaram, se por opção ou fuga, mas se estabeleceram, formaram famílias, e não os distinguimos por raça, cor, religião... São seres humanos que, conosco, partilham suas vidas.  Infelizmente, a recíproca não é verdadeira. E não se pode culpar a crise mundial por isso.

Americanos nos viam como interessados em roubar seus sonhos. Inúmeros obstáculos sempre criaram para nos receber. Mas foram atingidos, sem que acreditassem nessa possibilidade, pela dureza dos problemas econômicos que há muito conhecemos e com os quais já convivemos, em maior escala. E tiveram que admitir que os brasileiros, quando lá estão, os beneficiam. Compram e aumentam suas divisas. Acordando, resolveram desapertar os nós e até fazem mutirões, hoje, para conceder "vistos".

Estranhamente, a Espanha resolveu fechar o cerco. Se o país enfrenta tantos problemas econômicos, com alto índice de desemprego, brasileiros não pretendem, no momento, se estabelecer lá. E o tratamento que estão dando aos turistas é vergonhoso. O que uma senhora de 77 anos vai tirar deles? Nenhuma justificativa pode ser aceita para o tratamento que ela recebeu, permanecendo dias no aeroporto, em condições inaceitáveis. Onde está o lado humano dos dirigentes espanhóis? Essa não é a forma adequada de se lidar com seus problemas internos. Fiquei chocada!

Enfim, dá-se o que se recebe, nas relações internacionais. E aprovo a medidas alusivas à reciprocidade. Se os espanhóis desejarem passear por aqui, haverão que demonstrar que têm lugar determinado para se hospedarem, passagem de ida e volta, dinheiro para gastar e um valor diário para se manterem enquanto aqui permanecerem.

É com tristeza que acompanho tais fatos. Nos meus sonhos, todas as portas mundiais estariam abertas para os turistas. O mundo é único, mas cada pedacinho dele se sente, ilusoriamente, melhor que os demais.
Não são os povos os culpados por isso, mas os governos. Como vamos chegar à paz?  Como vamos chegar ao equilíbrio? Não gostaria de ver o Brasil como uma casa sem portas e janelas. Mas também não desejo vê-lo abrir os braços para quem não nos deseja receber.

                                                                    (Marilene)

(Imagem retirada da internet. Se estiver a ferir direitos, solicito seja avisada, para imediata correção)

25 comentários:

  1. Oi Marilene..td bem?

    Gostei muito da sua cronica.
    É o respeitar para ser respeitado.

    Um beijo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daí a necessidade de implantação da reciprocidade nas relações entre os países.
      Bjs.

      Excluir
  2. Excelente Marilene!

    Na época da globalização, abertura.... e os corações e mentes continuam fechados... mas justiça seja feita mesmo. Concordo!!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas portas fechadas impedem que os homens tenham atitudes humanitárias, em muitos casos. Bjs.

      Excluir
  3. Marilene, concordo com absolutamente cada linha do que escreveu. Fiquei revoltada também. Nada justifica o que aconteceu a essa senhora.
    E a reciprocidade precisa mesmo ser adotada.
    No ano passado entrei na Europa por Barradas( Aeroporto de Madri)e o tratamento dado a nós brasileiros é realmente diferente. Uma pena.
    Um beijo

    Lucia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos brasileiros, em passagem por alguns países, sentem essa carga negativa. E havemos que reconhecer que outros tantos estão fora a contribuir para o desenvolvimento de pesquisas que vão beneficiar todo o mundo. Bjs.

      Excluir
  4. MARILENE, muito importante essa sua abordagem. Nós aqui somos irmãos do mundo todo, porém, para conhecer o mundo todo não somos acolhidos. É forte a discriminação em função de sermos terceiro mundo. Por causa da informática, trabalhei com pessoas de diversos países. Todos tinham nível escolar técnico e em seus países eram da classe média. Nenhum deles sabia da existência do Brasil antes de serem destacados para trabalhar por um tempo aqui. Um deles que ficou muito meu amigo, me disse que tinha certeza de encontrar onças, leões e outras ferinhas de estimação nas ruas de São Paulo. Quando ele viu a região da avenida Paulista ficou muito surpreso.
    Também não tinham noção de como seriam recebidos pelos nossos "índios"...
    E por aí vai! Olhando a coisa por outro lado, na realidade eles tem um certo receio da gente. Não conseguem entender que somos pessoas iguais a eles.
    Isso não justifica, mas demonstra a falha de nossas relações exteriores em mostrar o Brasil apenas como o pais do futebol. Assim mesmo é tão fraca a exposição que quando alguém conhece algum jogador cita o Pelé (aquele Pelé de 1958). Se você pensar que o futebol é o esporte primeiro em poucos países, então a coisa fica ainda pior. Seria o mesmo que falar de golfe no interior do Piauí. O pessoal não daria a menor atenção, não é?
    Claro que esta situação é desagradável, todavia não somos nós, o povo, que vamos abrir ou fechar as portas e sim nossos representantes nas relações exteriores.
    Sinto um pouco disso na carne porque tenho uma filha fazendo doutorado no Canadá na Universidade de Montreal. Está lá faz três anos. Tem um bom relacionamento com o pessoal que estuda com ela (também estrangeiros), porém em cada renovação de visto tem que comer o pão que o diabo amassou. Só falta pedirem "atestado de vida" (aqui já foi abolido faz tempo). E olha que lá é primeiro mundo, mas ela será sempre terceiro mundo.
    Pronto, desabafei...
    Bjos.
    Manoel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico pasma de, ainda hoje, existir essa falta de informação sobre nossa realidade. E entendo essa dificuldade que mencionou, pois já passamos por ela em uma situação familiar. Bjs.

      Excluir
  5. Nossa fiquei também muito chocada..
    Vejo no seu, um desabafo de toda nação brasileira!
    Creio que não há país neste mundo mais receptivo que o Brasil em todos os aspectos; a medida com os turistas espanhois vai vim a calhar e espero que surta efeito.
    Ninguém merece, idoso ou jovem passar pelo que aquela senhora passou. Foi de uma desumanidade bestial!

    Um mundo sem fronteiras, tão limitado de humanidade!

    Beijo, Mari!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que as nações só se unem quando enfrentam dificuldades que requerem auxílio de outras. Fora isso, permanecem os governantes sem o sentido humanitário. Bjs.

      Excluir
  6. Existe egoismo por todo o lado.
    Normalmente, os países só facilitam e imigração quando precisam de mão de obra barata...
    Concordo contigo, por isso.
    Beijos, querida amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilson, até entendo as restrições alusivas à imigração, mas não consigo aceitar os procedimentos para simples visitas turísticas. Bjs.

      Excluir
  7. Um absurdo mesmo! E a senhora disse que ficou 3 dias sem tomar banho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que mal poderia ela fazer àquele país? O lado humano foi esquecido, na maneira como foi tratada. Bjs.

      Excluir
  8. Marilene, boa noite!
    Acontecimentos tristes, porém para quem nunca está satisfeito com o Brasil, é um momento oportuno para rever seus conceitos, e parar de falar mal do nosso país, pois infelizmente o brasileiro não é patriota. Muito bom seu texto. Uma grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos tudo, graças a Deus. E precisamos reconhecer nossos méritos e valores. Bjs.

      Excluir
  9. Bom dia, Marilene. Muito triste a realidade que vivem os brasileiros em países estrangeiros. Não culpo a população também, pois não é ela quem governa a Nação, e achei muito pertinente a sua lógica de relatar que não somos ameaça alguma para os países em crise, afinal, o nosso Brasil está crescendo, se desenvolvendo e mudando bem mais a sua política.
    Penso que temos muito a melhorar em todos os sentidos, e sinto que isso ocorrerá aos poucos, comomo uma reeducação política e social.
    O Brasil sempre foi um País hospitaleiro, e o nosso povo bastante acolhedor.
    Os outros países poderiam e deveriam ser mais humanos, lembrando que o nosso País é sério, que nossa economia está crescendo, e aqui é muito mais do que carnaval e futebol.
    Países unidos fortalecem as bases e o crescimento das nações trazendo paz.
    Maus tratos, como o que essa senhora sofreu, é no mínimo repugnante!
    Um beijo na alma, e linda semana pra ti.

    ResponderExcluir
  10. OI MANA,

    Também fiquei chocada e pela mesma forma achei justa a medida adotada pelo Brasil.
    Creio que eles pensaram que a senhora poderia querer se estabelecer de maneira irregular naquele país, já que ela tem parentes lá de maneira irregular. Mas isto
    jamais justificaria o procedimento desumano que lhe foi aplicado.

    Para que a paz se estabeleça é preciso respeito e solidariedade entre os povos.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  11. Marilene, me junto a você nesta indignação! Vendo aos noticiários já fui ficando perplexa de ver tal fato acontecer.

    Sempre me questiono quanto ao modo dos brasileiros agirem, pois acho que são extremamente hospitaleiros, acolhedores por demais, mas é com tristeza que não vejo isso acontecer, quando brasileiros viajam para vários países do exterior. Parece que somos "criminosos" querendo invadir algum país, fora que descaradamente muitos desprezam os brasileiros, um povo aberto, simples, amoroso.

    Afinal, muitos viajam e gastam muito dinheiro nestes locais de turismo, o Brasil hoje sendo visto como uma economia estável, emergente, enquanto tantos países poderosos e ricos no passado, estão numa situação delicadíssima, deveriam apreciar sim, pois somos todos iguais, estou cansada de ver países se comportarem como superiores diante dos demais. Ninguém o é, não importa se o pais é rico ou pobre, todos merecem respeito e sinceramente no meu coração somos cidadãos do mundo e está mais do que na hora do respeito imperar entre a humanidade.

    Boa semana amiga, beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  12. Oi Marilene!
    É um abuso ver cenas como esta ocorrer em um mundo dito globalizado. Devemos tomar a rédea e fazê-los passar pelo mesmo, pena o Brasil ter tantas portas abertas.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  13. Sabe Marilene vc ´q uma mulher de luz querida... muita... traz luz sempre para todas as questões. Eu adoro!
    Obrigada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Marilene

    A verdade é que aspecto humano, do Brasil se pode dizer: o mapa do mundo, é composto de muitas raças que engrandeceram o pais. Dele hoje ser diz ter uma economia emergente. Falar da América, não fecha portas a Brasileiros mas a muito mundo, parece que menos ao muçulmano. Falando de Portugal, terá havido sempre uma boa relação, em aspectos de emigração. Se antes os portugueses embarcavam para o grande Brasil, hoje se dá a inversa. E há a vantagem de ficar com as de toda e Europa abertas.
    beijos

    ResponderExcluir
  15. Marilene, parabéns pela maneira inteligente, consciente e também pela visão realista de sua crônica Eu assino por baixo. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  16. Obrigada pela visita de todos vocês. As palavras aqui deixadas me alegram o coração. Bjs.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...