9 de nov de 2011

O ESPELHO


                                                                                   
Quem é aquela mulher no espelho, que me olha desconfiada? Não a conheço. Tem rosto marcado por traços que não me agradam. Copia meu modo de ser. Se sorrio, sorri de volta. Se a olho com intensidade, retribui da mesma forma. Porque insiste em mostrar o que não desejo ver? Cada traço do rosto tem uma estória, nem sempre agradável de se recordar. 

E se eu corrigisse tudo? Diz a cirurgiã que basta levar uma foto e ela me fará voltar a ter uma pele sem rugas, sem marcas de expressão. Mas será que consegue trazer de volta, para duração eterna, o brilho no olhar? Será que, tirando as marcas, conseguirá apagar lembranças? Será que a juventude no rosto trará de volta a menina sonhadora? Onde mora a esperança, na cirurgia plástica? Na pele esticada? 

Nunca soube de avanço na medicina que conseguisse fazer mudanças na alma. Se houvesse, levaria embora as experiências que nos fizeram fortes, que nos tornaram o que hoje somos? Teríamos que começar tudo de novo, um aprendizado do qual não queremos nos desfazer?
Será que a cirurgia plástica torna alguém mais feliz? Se não nos amam pela companhia que somos, por nossos pensamentos, por nosso modo de ser, passariam sobre tudo isso levando em conta um rosto rejuvenescido, um corpo esculpido artificialmente? Será que nosso íntimo passaria a cantar, a sonhar de maneira diferente?


Aquela mulher no espelho, que pode, em determinado momento, não me agradar, é minha amiga. Traduz a minha realidade. Me faz ver o que realmente sou, como estou. E com a verdade me traz a realidade. As pessoas mudam, não são eternas adolescentes inseguras ou crianças mimadas. Aquela imagem mostra a minha vida, é o resultado das minhas quedas e dos meus sucessos. E se tiver que inspirar qualquer tipo de sentimento, será com ela, pois não altera o passado, não esconde os mistérios que ainda tenho ou o amor que posso dar. Ela é a face que mostra meu olhar, sem obscuridade. Ela sou eu. E ponto final.

13 comentários:

  1. Que bom seria se existisse plástica da alma!
    Mas temos que conviver com aquela outra do espelho! Tem dia que eu nem a reconheço, tem outros que somos amigas...Acho que ninguém acima dos 50 fica totalmente de bem com isto!

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Marilene quando temos conteúdo tudo vai ficando melhor com a idade...mas quando somos vazios...aí ferrou mesmo...pq não sobra PN.
    Bela análise amiga!
    Beijos e boa noite!!

    ResponderExcluir
  3. Marilene

    Sou fã de seus textos!
    Que coisa mais linda, séria e verdadeira!
    Há coisas que só nossa alma pode revelar.
    Escrevi um poema onde falo que as rugas são a cartografia da nossa vida.
    Consigo ver a beleza ali escrita.
    Beijinhos e parabéns!!

    Lucia

    ResponderExcluir
  4. BELÍSSIMA REFLEXÃO!!! QUE TEXTO MAIS LINDO AMIGA!!!

    ResponderExcluir
  5. que post mais lindo! realmente plastica nao muda a lama! amei o texto!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Marilene!
    Adorei este texto! Traduz muito de nossas inseguranças diannte do inevitável, o que vemos dinte do espelho, que nem sempre condiz com o que vai na alma.
    Beijinhos e uma linda tarde!

    ResponderExcluir
  7. Marilene, quanta sabedoria contida nesse texto. Isso prova a mulher centrada, consciente e acima de tudo, inteligente, que você é. É triste ver as pessoas querendo buscar numa cirurgia plástica distorcer no seu tempo de vida, o que de presente a vida nos deixa, as marcas do tempo. Que não são marcas de desprezo e nem da falta de vaidade. Se pode continuar querendo ser cada vez mais atraente ou ficar bonito, sem precisar aprisionar o corpo nas grades de um narcisismo implacável. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  8. GOstei muito do seu blog! Estou seguindo! Aproveito pra te convidar a conhecer o meu blog também e se gostar, me seguir! Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Sabe amiga, o que realmente deveria importar para todos, mas infelizmente não é bem assim, é o interior, rugas são sinais que fazem parte da história das pessoas. Tenho muitas amigas que têm verdadeiro pavor de rugas, e até de gente mais velha, acho o cúmulo...sinceramente Mari, pra mim mesmo que a pessoa tem um físico feio o que me importa, o que tem significado pra mim é sua alma e a maneira que ela toca meu coração. Então acho lindos e lindas todos aqueles que amam.

    O que mais me encanta em vc é o mesmo que na sua mana, o sorriso...mas a alma de vcs me cativaram pra sempre.

    beijokitas com super carinho :)

    ResponderExcluir
  10. Querida Marilene!
    Que texto lindo,amei!
    Mas penso que tem sim plástica na alma.
    Quando amamos e somos amados,nossa alma fica lisinha,apesar das vezes outras que fomos entristecidos e deu uma ruga ou outra lá no fundo da alma,mas este amor alisa de tal maneira que transparece na face.
    Um beijo querida em sua alma e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  11. OLÁ MANA,
    BELO TEXTO!
    É claro que para nossa auto-estima é bom olhar-se no espelho e se considerar fisicamente bem. Mas sabemos o que cada marca representa em nosso físico e a plástica jamais irá apagar as marcas
    que já se fundiram à nossa alma. Portanto, o melhor mesmo é convivermos amigavelmente com o espelho.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Maririlene

    Mereceu-me muita atenção o que escreves sobre cirurgia plástica. Quem a ela recorre diz-se mas feliz. Porém, há o senão que focas, e intimo, pode modificar-se?
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. O médico da alma pode ser o próprio olhar refletido no espelho. Tal como refletiu aqui (divinamente). Abraços, Marilene. Paz e bem.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...