1 de nov de 2011

EDUCAÇÃO E VIDA


                                                                  
As crianças ouvem, desde cedo, que querer é poder. Que basta sonhar para se conseguir um objetivo. E costumam crescer acreditando que o mundo gira em volta delas e que são o centro de tudo, como no âmbito familiar. A realidade caminha distante de tudo isso. Precisamos saber, desde cedo que, para realizar um sonho, ele deve ser alimentado dentro de nossas reais possibilidades. Que uma profissão, para ser exercida com sucesso, não está atrelada , tão somente, a um diploma. Que o conhecimento, o ideal, devem sempre estar presentes. Que, até para sonhar, temos que ter "juízo".

Muitas verdades não são passadas às crianças. E o fato é que convivem melhor com elas que os adultos. Superação não significa que quem perdeu uma perna vai caminhar como os demais, mas que a limitação não impede que andem, se se dispuserem, com força e confiança, a isso.

Algumas frustrações que levam a caminhos equivocados vêm de uma formação, também, equivocada. Se as crianças desejam um objeto que os pais não têm condições de oferecer, há que serem cientificadas de que, para adquirir, é necessário um suporte financeiro, decorrente de árduo trabalho. O dar sem poder é como um empurrão para a falsa idéia de que tudo se pode ter. E quando não houver mais a figura do doador, quem não aprendeu a conquistar por mérito próprio, vai se sentir infeliz diante dos demais e buscar, por meios escusos, sua satisfação.

                                                       
Não estou sendo pessimista quanto a isso. Estou me baseando em muitos fatos que a realidade apresenta. Aqueles que, desde cedo, aprendem a batalhar para vencer, vencerão. Aqueles que recebem, gratuitamente, sem conhecer as dificuldades da doação, ficarão com a falsa impressão de que são credores e que o mundo lhes deve tudo.

Negar é difícil, mas é ato de sabedoria que impõe limites. E estes são o respaldo para o respeito e para a ordem. Nenhuma escola será capaz de passar esse entendimento e essa aceitação. Para chegarmos ao mundo que idealizamos, haveremos que preparar, para ele, as crianças. 

                                                           
Não é o mundo que está a necessitar de mudanças, mas os seres humanos. E todos têm sua parcela de responsabilidade, não só nos atos que praticam, mas no preparo que oferecem a quem, logo, logo, estará a dirigir os interesses de todo o povo e não só o de si mesmos.

(Imagens retiradas da inetrnet. Na hipótese de, inadvertidamente, estar a ferir direitos, gentileza avisar, para imediara regularização)

9 comentários:

  1. OLÁ MANA,
    Concordo integralmente e por isso mesmo chego à conclusão de que fiz a opção certa em não ter filhos. Não consigo negar nada para a criançada da família e se fizesse isso como mãe erraria feio.
    Por outro lado, não tenho dúvidas de que somente com a nossa mudança teremos condições de legar um mundo melhor às crianças de hoje.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Marilene

    Naturalmente falas com conhecimento de causa, porque de facto, muitos filhos sonham mas não se assumem. Como vivem à conta do pais podem sonhar à custa deles. É erro dos próprios progenitores em
    Primeira análise. A própria sociedade fica defraudada com pesos mortos.
    Vou dar um exemplo: o Administrador principal, de um dos maiores bancos portugueses, o Banqueiro, seu pai, o primeiro cargo que lhe deu, foi ser atendedor de balcão, daí foi subindo sempre. Na altura própria tomou o lugar do pai.
    O sonho comanda a vida, como está escrito num poema de António Gedeão. Digo eu, vale a pena sonhar, mas aos poucos e sempre em patamares a que se vai subindo. Sendo assim, muito naturalmente o sonho realiza-se.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Bom dia !

    Marilene,
    acho importante isentiva uma criança
    a conseguir os seus objetivos,
    porem mas importante do que o isentivo
    é mostrar a realidade na medida do possível,mostrar que sem disciplina,educação,
    esforço não se conseguem nada.
    fazer com a criança saiba valorizar o que ganha,
    e que pra toda ação tem uma reação.
    adorei o poster!
    parabéns!
    beijos!

    ResponderExcluir
  4. minha primeira vez aqui, amei seu blog, e seu post tem idéias bem interessantes!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Hello, MARILENE.

    The graceful sense wraps your artworks.
    It's excellent and lovely...

    The season of colored leaves, heartwarming atmosphere.

    The traditional celebration, kimono infants.

    The prayer for all peace.

    Greetings.
    From Japan, ruma ❀

    ResponderExcluir
  6. Concordo plenamente Marilene. A responsabilidade social nos insere em um contesto real e leal com os outros e conosco mesmo.
    Beijos querida!!
    °º✿♪♫
    º° ✿✿♫

    ResponderExcluir
  7. Mensagem profunda e verdadeira. E cabe a cada um de nós educarmos nossos filhos para encararem a vida como ela é!

    ResponderExcluir
  8. Marilene, como sempre suas colocações muito bem acompanhadas de sabedoria, verdades e um apuradíssimo censo crítico. A formação da personalidade de um ser está em sua base, ou seja, família Esse é o início de tudo. É preciso ensinar aos pequenos desde cedo que nem tudo se pode ter ou leva um tempo para se ter. Você foi felicíssima em todas as linhas desse texto. Deixo os meus parabéns e um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...