22 de out de 2011

SOLIDARIEDADE


O atropelamento e a falta de socorro envolvendo a menina chinesa YUE YUE já foi objeto de várias manifestações de indignação em blogs. O que me chamou a atenção, hoje, foi a situação legal que envolveu essa falta de socorro. O medo das pessoas que presenciaram a ocorrência, de providenciar assistência e serem punidas, em vista da legislação traçar sérias normas a propósito da forma de se lidar com vítimas de acidentes. Assistindo, porém, à gravação das câmaras de segurança, observamos que ninguém parou. Podem as leis impedir que as pessoas se sensibilizem, ou elas já perderam o senso de humanidade?

Cogita-se, agora, por lá, de proceder alteração na legislação. O objetivo? "Forçar a solidariedade ao obrigar as pessoas a ajudar outras em situação de sofrimento".

A que ponto chegamos! Sentimentos não podem ser impostos por leis. Não se obriga alguém a amar, a ajudar, a ser solidário. Tudo isso já deve  estar plantado dentro do indivíduo, para produzir efeitos.  A obrigação legal só pode recair sobre aquele que praticou o ato, independente de ter sido ele culposo ou doloso. A atitude dos demais vem de sua sensibilidade, de seu amor ao próximo, de sua capacidade de doação, de seu senso de justiça. 

E quando tomamos ciência de fatos da natureza, percebemos que o ser humano está deixando de lado tudo aquilo que o torna humano, literalmente.

10 comentários:

  1. Concordo com você e o fato me chocou muito.
    Como dizes: "sentimentos* não podem ser impostos por Lei"...
    O amor ao próximo* é um dos mandamento de Deus, e quem não o segue não é um ser humano*.
    É o que penso...estarrecida.
    ótima noite, abraços.

    ResponderExcluir
  2. Marilene eu fiquei tão estarrecida com o vídeo!!!
    A que ponto mesmo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Marilene, eu vi aquela cena, mas achei que estava enganado: não era uma pessoa pela maneira insensível que os transeuntes desprezavam a criança, mas era uma pessoa.
    Aqui você faz as indagações certas sobre como a humanidade está involuindo.
    Realmente a solidariedade e o amor ao próximo nos são inatos e não impostos.
    Espero que isso seja apenas um fato isolado.

    Abraços do amigo de sempre!

    ResponderExcluir
  4. Sem dúvida, estarrecedor!
    A que ponto a humanidade está chegando...
    Uma lei para impor o cumprimento de um dever cristão?
    Decididamente, há carência de amor no mundo!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Marilene Excelente entrada um deleite passar por seu blog. domingo Feliz
    Atenciosamente Jose Ramon partir de ...
    Texto do resumo e Reflexão.

    ResponderExcluir
  6. vivimos tiempos en que más que nunca reina el egoísmo. Es hora de dar mucho amor a quienes nos rodean.

    ResponderExcluir
  7. Marilene

    Vim retribuir a muito bem vinda visita.
    Estamos passando por uma séria crise de valores. Solidariedade, respeito...
    E sua última frase é muito verdadeira.
    Um abraço

    Lucia

    ResponderExcluir
  8. Sua última frase para mim resume muito bem a sensação que tenho, Marilene! Tudo o que diz respeito a estimular ou reforçar o nosso lado humano sensível vem, paulatinamente, sendo maquinizado, mercantilizado, desestimulado. Acho até que as leis aparecem (muitas delas) nesse vácuo de sentidos e sentimentos, numa tentativa desesperada de manter de pé os laços civilizatórios. Às vezes é um tiro no pé. Sem ser muito pessimista, se tivesse sido no Brasil atual, acho que se fosse com um cão a grita teria sido maior.
    Com o dizia o Che "hay que endurecerse pero sin perder la ternura jamas."

    Abraços e ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. Marilene

    Finalmente, te posso deixar comentário. Apenas entra, para ti, Vera e outros mais no portátil, por um problema, que me levou ao técnico. Esteve avariado o fim de semana.
    Em relação ao teu post, em virtude da legislação aqui vigente é ao infractor (ou não) a quem cabe promover a assistência. A outros apenas por uma questão de humanidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Marilene, fico imaginando diante de fatos dessa natureza, triste, desumana e deprimente, como será essa humanidade no futuro. Futuro que pertencerá a uma nova geração. Será que o amor e a sensibilidade serão sentimentos frios? Que futuro a humanidade está construindo? Compartilho também de sua indignação diante de tão lamentável fato. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...