13 de out de 2011

QUESTIONAMENTOS



                                                              


Ando preocupada com a minha ignorância. Tenho notado que todos são sábios, inteligentes, bem sucedidos, possuem um arsenal de conselhos para qualquer tipo de situação. Onde vou me encaixar, nesse mundo perfeito?
Minha vida é cheia de questionamentos, pois as respostas não me saltam aos olhos.  Costumo ver e não enxergar, quando a maioria tudo sabe. Será que perdi alguma aula importante? 


Todas as situações que vivencio apresentam várias opções e costumo me perder na escolha.  Percebo isso na simplicidade do dia a dia; nas compras no mercado, onde os produtos com a mesma finalidade aumentam sem parar; na escolha de um veículo satisfatório, pois a mídia me apresenta novos e "maravilhosos" modelos, sem cessar; nos bens que me chamam com a etiqueta de "perfeitos e indispensáveis", no campo da tecnologia; na imensidão de sugestões que me são gritadas a todo instante, por "especialistas". 


Como sou imperfeita! Se digo a alguém que não conheço alguma coisa, que não aprecio certas músicas modernas, que sou amante da simplicidade, que não preciso ter tudo isso que constitui objeto de consumo atual, logo percebo que me olham de esguelha, como se não pertencesse a esse planeta.


                                                                 
                                                            
Se menciono que não tenho interesse em conhecer o mundo inteiro, que as melhores praias estão no Brasil, que somos o melhor povo do universo, ouço risos. Aqueles que já muito viajaram, então, ficam horrorizados. Entram em uma excursão, param apenas horas nos países e começam a fazer comentários depreciativos sobre o Brasil. Lá fora, argumentam, existe cultura, crescimento, quando vivemos em um terceiro mundo carente de tudo. Eu não trocaria meu BRASIL por nenhum lugar do mundo. A cultura dos demais povos, posso conhecer sem estar lá, assim como sua situação econômica, seu progresso ou não, suas vitórias e dificuldades.


Nossa casa pode ser maravilhosa, se cuidamos dela. Se impedimos que sofra pelo desgaste, pelos ataques, pelos problemas que atingem todas elas. E não é com críticas que chegaremos a um resultado satisfatório, mas com ações. Se começarmos a exercer a  conservação pelo nosso espaço, a rua vai ficar mais prazerosa, o bairro mais encantador, a cidade mais propícia para abrigar quem nela deseja viver.


Por isso, prefiro sempre ouvir a falar. Quem sabe adquiro um pouco dessa sabedoria que não estou conseguindo apreender?


Imagens retiradas da internet. Se, eventualmente, estiver ferindo direitos, gentileza avisar, para imediada correção.

16 comentários:

  1. Esses questionamentos todos temos e quanto a não ser desse planeta? tenho certeza de que não sou rsss
    De qualquer forma vivo nele e amo tudo por aqui, quanto a ser perfeito ou não depende...somos perfeitos na essência,mas imperfeitos ainda no sentido de que ainda não resgatamos em nosso interior toda essa perfeição, mas estamos no caminho e um dia chegaremos lá.
    Eu adoro conhecer como os outros pensam, sempre aprendo muito, e também falo do que sei, ou penso que sei rsss assim vamos interagindo e trocando experiências.
    Sempre fui considerada estrannha e hoje não me incomodo mais com isso, melhor que ser igualzinho á todo mundo, é muito entediante.
    Adorei teu texto, beijos pra ti!

    ResponderExcluir
  2. Sabe que mais? É preciso sabedoria para fazer um post com tanto discernimento.
    Gostei da sua visita lá no Sexta. Obrigada. E já li o poema no outro blogue, mas como eu não seii comentar poesia saí sem deixar rasto. Um abraço e vou voltar

    ResponderExcluir
  3. Os questionamentos tem morada na cabeça que não para um minuto mesmo. Muito certo! Já os sentimentos dão mais estbilidade quando equilibrados com a compreensão do amor e moram no coração, que é nosso centro verdadeiro.
    Belíssima reflexão que vale para mim também. Ah e o que a gente perde, já ouvi que não tem tanta importância assim querida. Relaxa!
    Beijos Marilene!

    ResponderExcluir
  4. Mari querida, te entendo, te entendo bem amiga, mas sou um pouco suspeita pra falar nisso...rs, já que moro ha tantos anos fora do Brasil.
    Adoro esse Brasilzao mas fica difícil nao fazer comparações em certas situações.
    Por isso sempre digo que tenho 2 países no meu coração e o Brasil sempre terá lugarzinho garantido dentro dele!!!
    Blog ta de roupa nova é ....gostei!!!!
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  5. Mari querida, a verdade é que cada um aprecia as coisas de uma maneira e se nossa opinião não vai de encontro com a da "maioria" somos loucos.

    Tbm acho que por aqui tem muita coisa linda pra se conhecer. Sonho em dar a volta no mundo, mas antes quero conhecer cantinho por cantinho daqui :)

    bjokitas recheadas de carinho amiga!!!

    ResponderExcluir
  6. Hola Marilene,
    Estoy de acuerdo contigo y comparto cada una de tus palabras, yo también soy amante de las cosas simples, de los pequeños gestos, de las buenas personas sin pretensiones.
    Gracias por tu visita a mi blog, con tu permiso yo también me quedo pero no encontré "seguidores".
    Un abrazo desde Sevilla.

    ResponderExcluir
  7. Me vi totalmente nesse texto agora.Sabe,as vezes me sinto perdida,um E.T,rsrs.Sou cheia de dúvidas.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  8. MARILENE, as pessoas estão muito tendenciosas a seguirem o pensamento de uma maioria, se furtando ao direito de manifestar o seu real pensamento, sobre tudo e sobre todos, pessoas e coisas. É esse tipo de gente que contribui para um país que não queira lutar por mudanças, pois está submisso à vontade de uma maioria. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  9. Marilene

    Falas dos eternos satisfeitos, sabem sempre tudo, só não enxergam que sabem nada. Devemos ser positivos? Sim! Porém estamos sempre em aprendizagem, procurando o melhor caminho possível, só assim se consegue algo de positivo
    Falar mal do seu país é recorrente, mas haverá algum como o nosso?
    Gostar de conhecer outro, é salutar,estabelecer comparações também.
    Mas é preciso ver que, cada país precisa de ter um povo diligente, e que tenha espírito gregário.
    E isso de cada um e não das das suas basófias improdutivas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Marilene,
    Também sinto certa inadequação frentes a todos os sabichões que estão por aí.
    Até um leigo como eu pode perceber esse fosso, que existe entre a educação tradicional e a educação da "geração digital", por assim dizer. Posto isso, o que me torna cético em relação ao futuro, é se essa geração que ai está, quando herdar as rédeas do Planeta terá condição de manter e até ampliar o conhecimento. Digo isso porque, apesar de nós os velhos sermos "analfabetos digitais", fomos quem criamos toda essa tecnologia nova. A geração que desfruta essa tecnologia sabe resolver uma equação infinitesimal? Essa geração tem conhecimento das leis de Maxwell? Conhece álgebra Booleana? Não sei. Se essa geração quiser construir mais do que já fizemos vai ter que aprender os fundamentos que permitiram que construíssemos a tecnologia que eles agora dispõe. Abraços e mais uma vez parabéns pela bela postagem, JAIR

    ResponderExcluir
  11. Olá MANA,
    Os "sabichões" que andam a propagar seus ditos conhecimentos na verdade não tem a humildade de reconhecer que há muito para aprenderem. Ninguém é dono da verdade. Cada um pode ter lá sua opinião sobre tudo, mas sempre respeitando o entendimento alheio. O que é importante para um não o é para outro. Sabedoria é ter seus próprios princípios, não se deixando levar pela maioria.
    Eu também não tenho interesse em viajar pelo mundo, embora já tive e continuo tendo oportunidades para tal. Acham absurdo? Sim. E daí? Não vou fazer este tipo de viagem somente
    para me incluir, se não me apraz.
    Acho o Brasil um país maravilhoso, embora reconheça que há muito que se fazer por aqui. Mas os outros países também tem seus pontos negativos.
    O importante é continuarmos sendo como somos, autênticos, e não "Maria vai com as outras".
    Seu post é perfeito e demonstra grande sabedoria.
    BEIJOS.

    ResponderExcluir
  12. Oi Marilene, que legal conhecer este seu lado também amiga, não sabia que tinha este blog...este perfil que estarei te acompanhando é de meu outro blog, que assim como voce, escrevo algumas ideáis que me vem na cabeça...adorei.
    Muito legal o seu questionamento, creio que todos nós a algum nível os temos, mas creio que nem devemos nos sentir preocupadas, cada um de nós temos um pouquinho de tudo, na realidade, ninguem é sábio ou ignrante em tudo...sempre temos pontos a melhorar, assim como temos nossos pontos fortes.
    Sei que pensar desta forma me faz diferente e eu sou mesmo, não quero ser igual a ninguem, muito menos o que é tão imposto à massa.
    O jeito é não esquentar com o que os outros possam pensar do que pensamos ou agimos, creio que mais vale sermos muito fieis a nós mesmas, termos coragem de ser quem somos, seguir nosso coração, a nossa simplicidade, também adoro simplicidade e não nos "contaminar" com a opinião de ninguem. Afinal temos que ser feliz com o que nos faz feliz e não o que o outro acha que é felicidade.
    Não me preocupo em seguir a tecnologia de ponta, as tendências mais atuais da moda,etc... até porque se formos ficar atrás disto, não conseguimos fazer mais nada de verdadeiramente essencial.
    Minha querida, ótimo final de semana...beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  13. Amei.
    Também não troco meu Brasil, por lugar nenhum desse mundo.
    E as coisas tendem a melhorar quando não sufocamos o grito, a fala .
    As manifestações quando mínimas já é um passo.
    Interagir ainda é a melhor saída.
    Não consigo só ouvir, quando há injustiças no meio.
    Mas ouvir é ato muito nobre, quando aprendemos com isso.

    Beijo minha linda.

    ResponderExcluir
  14. Oi amiga Marilena!
    Estou voltando aos poucos, passei por maus bocados nos últimos dias, mas não poderia deixar de comentar este post sensacional. A verdade é que a a maioria, se acha dona da razão, falam mais do que ouvem, não respeitam as opiniões, os gostos, as escolhas alheias. E se você, minha amiga, é ignorante, o que eu irei dizer de muita gente que conheço?
    Bj gd.

    ResponderExcluir
  15. A única constatação que uma pessoa inteligente pode fazer é a diferença que há entre locais, países, povos, etc.
    E todos eles são melhores que os outros neste ou naquele aspecto.
    E, para complicar, há coisas que são muito subjectivas.
    Enfim, o melhor bacalhau do mundo é em Portugal, mas o melhor que comi talvez tenha sido em Espanha... rsrs...
    Querida amiga Marilene, tem um bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Não perdeu aula nenhuma. Não existem pessoas perfeitas! Existem pessoas que tentam melhorar… Bjs

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...