4 de out de 2011

O VASO CHINÊS


                                                                               

Andei muito até encontrar a peça de decoração que procurava. Já sabia onde ia colocá-la e, assim, tinha idéia do tamanho e do formato necessários. Visitei muitas lojas do gênero ( tenho encantamento por elas) e, em cada uma, perdi longo tempo, apreciando as belezas expostas.

Quando o olhei, em um canto, foi amor à primeira vista. Altivo, bico fino, alças douradas e trabalhadas, a pintura colorida ... nossa, que deslumbramento! Pedi que a proprietária da loja, já conhecida e amiga, fizesse para ele um arranjo de flores especial e delicado. Observei seu trabalho e, a cada vez que o olhava, mais me agradava.

Não quis programar entrega, eu iria levá-lo, com todo cuidado. Estava com minha irmã e ela ficou no branco de trás, a segurá-lo. Um pouco incômodo, mas ela ajudava com gosto, como sempre faz.

Chegando ao meu prédio, eu me agarrei a ele, enquanto ela colocava os demais objetos que havia comprado dentro do elevador.  Estava ansiosa por vê-lo decorando minha sala. Há um ditado muito antigo que diz "defunto muito recomendado não chega ao céu", ou algo parecido. Ao nos prepararmos para tirar tudo do elevador, peguei o maravilhoso vaso chinês e coloquei junto à parede, para abrir a porta. Um segundo! Uma pequena distração!!!!! E o vi lentamente caindo, sem que conseguíssemos impedir. Minha irmã, conciliadora, logo foi dizendo que havia quebrado apenas na parte de cima, junto às alças, e que os pedaços estavam perfeitos para uma restauração. Eu apenas disse que estava tudo bem, que não me importava, mas ela sabia o quanto ele havia se tornado precioso para mim.


                                                         
                                                                      
Evitei ficar olhando para a peça e colocamos as outras nos lugares escolhidos. Quando ela foi embora, tive a impressão que estava mais triste que eu (rss). No outro dia, logo cedo, me deu endereço e telefone de uma casa que restaurava peças. Como não tinha outra opção (era caro demais para que pudesse comprar outro), fui até lá.

E não é que ficou perfeito?  Todos tomaram conhecimento do ocorrido e sempre brincam comigo sobre o vaso chinês. Meu cunhado, até hoje, diz que pega qualquer peça para mim, mas que não coloca as mãos no bendito vaso. Sempre recomendo à faxineira que não toque nele. Meu lindo vaso chinês ficou famoso entre familiares e amigos. Mas está lá no seu canto, tão imponente e belo como quando o adquiri.

A pressa e a ansiedade não são boas amigas (hehehehe!!!)

Imagens tiradas da internet . Se, inadvetidamente, estiver ferindo direitos, gentileza comunicar, para imediata correção

15 comentários:

  1. Olá MANA,
    Nem me lembre deste triste acontecimento. Parece que estou vendo o vaso deslizar pela parede e chocar-se contra o chão. Fiquei tão arrasada!
    Ainda bem que ele ficou perfeito depois de restaurado!
    BEIJOKAS.

    ResponderExcluir
  2. Marilene

    Sabias que uma peça que seja restaurada ados tem tendência a durar mais? O facto é justificado com maiores cuidados, como é o caso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amiga Marilene, realmente, teu vaso chinês é lindo. Na posição em que foi fotografado, tendo o mar azul ao fundo, está divino.
    Tu tens muito bom gosto!
    Um abração. Tenhas um lindo dia.

    ResponderExcluir
  4. Eita!Eu sou muito ansiosa...kkkkkkkkk dai já viu como é,né?
    Seu jarro deve ser lindo e especial!!!

    Beijos flor!!!

    ResponderExcluir
  5. Heheheh Marielene faz parte do caminho!... Não imagina a quantidade de louça chinesa, japonesa que trouxe de Moçambique…… Ao ponto de estar encaixotada…uma tristeza, eu sei.Bjs

    ResponderExcluir
  6. Perdão Marilene! assim é que é!!!Marilene.

    ResponderExcluir
  7. Que bom que deu pra restaurar, e ainda rendeu um bom texto.
    Bjs pra ti!

    ResponderExcluir
  8. Marilene seu vaso chinês é portador de uma linda história para contar amiga....e não perdeu seu valor... te fez ainda mais lutar por ele... e eu gosto dele viu??
    Bjs

    E obrigada!! Vou participar sim do seu convite "MORE OF ME"...só que na quinta feira tá??
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Já vi que a irmã que viu a cena foi a Verita. Amiga, vc é sortudo pq moro longe de ti, sou uma desastrada rsrs Pensa que quando entro em loja com minha irmã ela fica me plociando pra num virar a bolsa em alguma prateleira rsrs abafa o caso!
    Ainda bem que o lindo vaso sobreviveu :)
    bjokitas com muuuuito carinho Mari querida.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Marilene. Minha mãe gostava de fazer vasos de barro ou de papelão. Um dia, eu já trabalhando, juntei todas as minhas economias e comprei um desses para ela. Como sou meio desastrado com as mãos, deixei-o cair no momento de entragá-la. Acho que condoída comigo (era caro demais para as minhas posses), ela mesmo o restaurou e ele durou ainda uns vinte anos. Depois do acidente ela também evitava deixar que alguém se aproximasse dele e o vaso ficou famoso em família. rsrs. Abraços. paz e bem.

    ResponderExcluir
  11. Uiiii que deu peninha deu, mas pelo menos vc soube levar com tranquilidade o acidente e resolveu, e ainda, deu uma historia para a familia contar, haha

    Fiquei curiosa para ver o vaso, nao e esse o da foto, ne?

    Bom final de semana, amiga! Beijokona!!!!

    ResponderExcluir
  12. Querida Marilene, que história!!!mas o melhor foi a solução..Você tem muito bom gosto...Bjo

    ResponderExcluir
  13. Has escogido un cuadro muy bonito.

    ResponderExcluir
  14. Marilene o tal vaso acabou rendendo uma boa publicação. Aliais, o que seu blog sempre faz muito bem e com grande propriedade. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  15. Olá! antes de deixar seu blog maravilhoso, que eu queria, colocou um pouco apreço
    um verdadeiro prazer para vir a seu blog
    cordialmente da França
    Chris
    http://sweetmelody87.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...