9 de ago de 2011

DANÇA DAS CADEIRAS


                                                                  

Não estamos no mês de junho, mas parece que a quadrilha, atualmente, não tem época. Só manteve sua tradição, a fantasia. A dança se desenvolve, freneticamente, e não tem lugar definido. Só é suspensa, momentaneamente, quando o som dos instrumentos fica alto por demais e alguém resolve apontar seu incômodo. Começa, então, a dança das cadeiras. Mal tem eles tempo para se acomodar e a cadeira é retirada. Chegamos a pensar que o dançarino vai cair, mas há muitos braços para ampará-lo. Só se recolhe a um opcional descanso, onde vai refletir sobre como retornar. A platéia pensa que saiu do jogo, mas são astutas raposas, que nada temem. Sabem que o anonimato repentino é o melhor caminho para o esquecimento de seu tombo.


                                                            

O Brasil sempre apreciou a dança. Mas essa é especial. Ela traz divisas aos bolsos de muitos. Pra que se preocupar com as estradas se há outros caminhos para percorrer? Pra que se peocupar com essa insignificância que é a lei, que só serve para dificultar seus propósitos? Há sempre brechas, ocultas para a platéia e gritantes para quem já conhece bem cada pedacinho dessa jornada.

Tenho até me lembrado de uma antiga propaganda de tergal. Senta, levanta, senta, levanta... e permanece com a mesma elegância. Nenhum amarrotado, nenhuma sequela. Todos prontos para uma nova jornada. Como existem janelas abertas para quem sabe lidar com a corrupção! E como são ajudados!


                                                              
Pra que reconstruir o que foi destruído? Que se mudem os que perderam tudo! O país não é tão grande? Os dançarinos não podem perder seus recursos! Vivem da dança e não podemos deixá-los ao sabor do vento. Perder aquelas mansões à beira mar, para quem não teria condições de edificá-las em terreno cedido? As fazendas pelas quais tanto lutaram? Seria uma grande injustiça, pois investiram, tiveram que subornar, tiveram que pagar por informações privilegiadas... e não podem ser prejudicados.

Toquem os instrumentos, sem parar, porque essa dança, tão cedo, não me parece que vai terminar.





Imagens tiradas da internet . Se, inadvetidamente, estiver ferindo direitos, gentileza comunicar, para imediata correção.

9 comentários:

  1. (rsrsrsrsrsrsrs)
    Tive que rir, Marilene. Essa dança parece piada.
    E você a tornou mais hilária, não obstante a
    seriedade do assunto.
    Óleo de peroba neles!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Mari, e essa dança acaba nos deixando até tontos, pq cada hora colocamos um pior no meio dela!!!! Demais isso!!!!

    Querida, to adorando esse seu outro lado aqui nesse bloguito que eu num conhecia, te admiro mais agora, se é que dá!!! rsrs

    bjokitas com master carinho que tenho por ti!!
    :)

    ResponderExcluir
  3. No Brasil a coisa pública é privada (com trocadilhos, rsrs). Adorei as analogias e metáforas, Marilene! Abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  4. Essa dança não é um exclusivo brasileiro... ela está muito popular noutros países... em quase todos, diria...
    Gostei do teu texto, muito a propósito e com sentido de humor.
    Boa semana, querida amiga Marilene.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. E eles se duelam nessa danca, e o mais triste que esse ritmo é apenas a ponta da corrupcao, e como disse Nilson, em todos os países!
    Muito bom texto, Mari!

    ResponderExcluir
  6. OI MARILENE!!!
    INFELIZMENTE, VOCÊS NÃO SÃO OS ÚNICOS, COM O PROLEMA QUE TÃO BEM DESCREVES. POR CÁ, GRASSA ESSA ESCUMALHA. E PARA TERMINAR, MUDAM AS MOSCAS, A CACA É A MESMA, MAS O CHEIRO PODE SER DIFEENTE. COMO JÁ TE DISSE E ESCREVI, ADORO A TUA ESCRITA. ÉS EXIMIA A EMPREGAR AS METÁFORAS. TEM UMA ÓPTIMA SEMANA. BEIJOS MARITIMOS, DESTE LADO DO MAR...

    ResponderExcluir
  7. E esta triste e vergonhosa realidade está muito bem criticada no seu texto Marilene.
    Parabéns!
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  8. Olá,Marilene!!

    É a triste realidade...Mas espero intensamente, que um dia esta dança tenha fim!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  9. MARLENE
    É MUITO TRISTE MAIS CONCERTEZA UM DIA TERA UM FINAL FELIZ.
    "Quando em sua caminhada
    surgir obstáculos,
    e fizer seu futuro estremecer;
    Tenha fé e perseverança em sua caminhada,
    Pois Deus sempre estará com você!!

    Que Deus Abençoe
    a sua vida Hoje e Sempre!

    Bjoss de carinho e amizade
    BRISA

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...