7 de jul de 2011

SENTIMENTO DE AMIZADE


                                                         

Amigos não são etenos. Nem o sentimento de amizade. Quando olhamos para trás, algumas pessoas que considerávamos amigas já estão tão apagadas em nossas mentes, que nem seria possível recuperar as suas imagens. E em determinado ponto da vida, existiu amizade entre nós. O distanciamento, os novos conhecimentos, as mudanças naturais de interesses e hábitos vão afastando uns e aconchegando outros. Talvez, tenhamos denominado mal o sentimento, chamando-o de amizade. Ou talvez ele tenha existido, realmente, mas desapareceu no tempo.

Como em tudo na vida, algumas pessoas são mesmo especiais. E assim permanecem porque a convivência não foi cortada. A intimidade depende da presença.  Se reencontrarmos velhos amigos, teremos prazer, mas a satisfação  será diferente. Todos com seus compromissos, suas necessidades e a percepção de que o vínculo se desfez.  Foram importantes, mas seguiram rumos diversos. Percebemos, então, que estamos vivendo momentos diferentes e que já não mais somos indispensáveis uns na vida dos outros.


                                           
                                    (domínio público)
    

Fotos nos fazem lembrar de muitos com os quais caminhamos e chamamos de amigos, nos fazem rir de compartilhamentos, mas não têm o condão de ressuscitar o forte sentimento que um dia nos uniu.

Isso nos mostra que nada é definitivo na vida.  Estamos em constante transformação. Os amigos da adolescência podem até permanecer ao nosso lado durante toda a existência, mas isso dependerá da convivência.
Com a ausência, serão lembranças queridas, mas não pessoas indispensáveis. Aliás, será que alguém tem a capacidade se se tornar indispensável na vida de outrem? Nessa transitoriedade que foge ao nosso controle, tudo passa. Amigos e amores se vão. E nem por isso deixamos de ser inteiros. Substituímos e somos substituídos.  Não podemos sequer dizer que o sentimento não era verdadeiro. Não é essa a questão. Apenas, ficam no passado.

Acredito, até, que nossos verdadeiros amigos são feitos na maturidade, quando separamos o sentimento de tudo o mais. As pessoas que considero amigas, o são, realmente. Não me importo com seus gostos diferentes dos meus, seu estilo de vida, seu comportamento. Mas me interesso em dividir com elas as minhas vitórias e fracassos. São aquelas que nada cobram e nada censuram. Dizem o que pensam, sem receio de exclusão. E recebem tudo isso, em igual proporção. São os ombros amigos e as palavras nem sempre adequadas, mas sinceras.


                                                              

Quando somos bem jovens, queremos que compartilhem nossos sentimentos, sintam as nossas dores e nos apoiem, incondicionalmente. A real amizade não tem essa base. Podemos nos apoiar e consolar, mas esse apoio dependerá do entendimento sobre o que consideramos certo e errado. E prezo muito essa qualidade dos amigos, fundada na autenticidade. Podemos até ficar magoados, mas como temos maturidade, vamos refletir e reconsiderar.

Não estou contradizendo o início de minha postagem. A amizade não é, realmente, eterna. Mas as que ultrapassam os limites do tempo e chegam a essa fase de maior auto-conhecimento e de experiência de vida, não se perderão . Passarão pela transformação à qual todos estamos sujeitos e não quedarão, tão somente, porque escolhemos caminhos diferentes.




12 comentários:

  1. Muito bom seu texto, parabéns e um lindo dia pra você, beijos.

    ResponderExcluir
  2. Sábias palavras amiga! Minhas experiências com amizades ao longo da vida foram muito decepcionantes, infelizmente ... contudo, sobraram pouquíssimas amizades, mas estas realmente verdadeiras e fiéis.
    Bj

    ResponderExcluir
  3. .


    O comentário que você fez para o meu
    texto é simplesmente encantador.
    Digno de mulher bonita.

    Beijos,

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  4. Marilene,
    Pensando bem, você tem certa razão.
    Analiso por mim. Tive duas amigas inseparáveis no passado. A vida nos separou. Os contatos foram se reduzindo e hoje já não existem. Uma faleceu, infelizmente. Mas acredito que se me deparasse com uma delas hoje sentiria uma imensa felicidade e teríamos muito a compartilhar.
    Assim, entendo que o vínculo afetivo não acaba.
    Acaba o compartilhamento, dado o afastamento por força das contingências da vida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Sabe Mari, creio que a amizade é eterna se o sentimento for verdadeiro. Para ser chamada amizade deve haver um amor entre os amigos, sabe?! Ao menos pra mim, senão um amor, um gostar, uma admiração. Eu não sei se é típico da idade, se vai mudar com o tempo, se vai permanecer, mas eu amo os meus amigos, e se eles estiverem dispostos, a amizade será eterna, sim. Porque amor é amor, sentimento que se existir, não muda, permanece, a não ser que haja decepções maiores, grandes perdas. Eu sou novinha, é verdade. Mas desejo profundamente que os anos não mudem a forma que vejo os meus amigos. Esse texto me fez lembrar de amigos que se foram, realmente. Dos quais tenho lembranças, e ainda admiro, mas que não amo mais, amigos de infância mesmo, que não vejo, não sei se ainda existem, eu os amei quando criança, hoje, nem sei quem são. Mas os amigos que fiz, e que amei, depois que cresci um pouco mais, ainda amo. Até aqueles que me machucaram profundamente. Nesses assuntos, a gente acaba se contradizendo, talvez porque cada caso é um caso, como dizem. Cada pessoa com um espaço, sabe? Eu estava distante de uma amiga, por falta de tempo das duas, por inúmeros fatores, mas depois que nos reencontremos, retomamos do ponto em que havíamos parado, digamos assim. Foi muito legal, saímos, rimos, nos divertimos, relembramos, aprendemos, desabafamos, choramos, tudo! E ela é a minha amiga, independente do tempo, da distância... Já outra, que passei até menos tempo sem ver e sem falar, se comparado a essa última, foi fria, distante. E quando a chamei de amiga, ela não hesitou: "Naquela época, nós eramos amigas. Hoje somos colegas. O tempo passa, as coisas mudam. E tanto tempo distantes... Você não esperava que tudo estivesse do mesmo jeito não é?". Imagina como eu fiquei?! Constrangida, triste, surpresa, tudo junto. Um dia, a mesma pessoa me tachava como a sua melhor amiga, e agora, uma colega, no máximo. Cada cabeça, um mundo. Para mim, o sentimento pode não mudar com o tempo, para outros, intensifica, outros acham que enfraquece, e ainda há outros que acham que deixa de existir. Enfim!
    Eu dizia que amor que é amor, é eterno. Hoje penso diferente. É eterno enquanto dura, como diria o Vinicius de Moraes. Se durar para sempre, ótimo, mas se não durar, ótimo também. Que encontremos um novo amor. Tudo nessa vida é aprendizado. O tempo que dura não faz ser mais ou menos amor. Há fatalidades na vida, e o fim é inevitável, seja pelo motivo que for. É bom que nos habituemos, será menos doloroso se conseguirmos. Nas amizades, é o mesmo. Pode durar até o dia da nossa morte, mas pode durar até amanhã, até daqui a cinco minutos, os relacionamentos são assim, porque há dois lados, e nós só podemos responder por nós mesmos, e garantir por nós, o agora. Porque até o amanhã do nosso lado, é impossível de ser sabido. Eu quero hoje, amanhã não. E o outro então, vai saber! Altos e baixos são comuns, são precisos.

    Amei a postagem Mari.
    E que saudade!
    Beijos,
    Dé.

    ResponderExcluir
  6. Acho teus textos bem fundamentados, Mari. Aliás, e falando em amizade, você e Veritia devem ser aquelas pessoas que vale a pena conhecer. Cada uma com sua peculiaridade, mas as duas especiais (e nao é melaçao, é constatacao).

    "A intimidade depende da presenca"
    Até com irmaos é assim... vejo isso ainda mais agora que estou distante dos meus. Parece que "um dia" tive irmaos, e que agora só ficaram lembrancas, e os lacos de sangue, claro, esses nao acabam.

    "Acredito, até, que nossos verdadeiros amigos são feitos na maturidade, quando separamos o sentimento de tudo o mais."

    Compartilho desse pensamento também... piamente. "Sentimento de amizade" tao extravado, parece, algumas vezes, meio oposto ao que se sente.

    Boa sexta!

    # eu vi que tirou o lance dos comentários, ficou supimpa, nao que nao fosse. Se quiser postar músicas, eu fiz um post também lá no Cris Style, aqui: http://cris-style.nets.at/2011/06/06/como-postar-o-gadget-com-musica/

    ResponderExcluir
  7. Marilene também concordo com a necessidade da con vivência para fortificar laços e até mesmo para não deixá-mos morrerem. A amizade é uma plantinha que precisa de cuidados. Como o amor.
    Belo texto!!
    Beijos!!
    Boa noite!
    Carla

    ResponderExcluir
  8. Marilene
    amigos realmente agente escolhe nos dedos.
    Amigos para mim são anjos em nossas vidas um bj

    ResponderExcluir
  9. Sabe que um dia desses uma amiga disse: depois dos 30 não se faz mais grandes amigos. Achei tão triste... Pensei que eu não penso assim sabe? E quando cheguei aqui e li que os melhores amigos fazemos na maturidade me encontrei. Estou aqui esperando que os anos tragam mais e mais amigos para sempre!

    Beijos adorei.

    ResponderExcluir
  10. Sábias palavras!
    Beijinho e boa semana.

    ResponderExcluir
  11. Gosto de ler tuas opiniões sobre os mais variados temas. É forma de se conhecer e reconhecer onde tua razão e onde teu sentimento. Ando te conhecendo melhor por aqui, mas a admiração só cresceu apesar da distância de tempo e espaço e nossa pouca convivência no passado. Bate de encontro ao que tanto gostei de ler por aqui??!?! Paradoxo ?!?! Não, também podemos gostar de opiniões que diferem das nossas, pelo respeito que se tem pelo outro. Doutora, a senhora é muito respeitável e embora eu aqui tão distante (no tempo e no espaço) tenho aumentado o meu gostar de você. Beijos *Yara Maria*

    ResponderExcluir
  12. SIMPLESMENTE...
    A d o r e i este post, Mari!
    é muito verdade isso, tbm tive varios amigos de coração, cuja separação acabou resultando em não se ter mais noticias de ambos!
    Mas, mesmo hoje, ainda os lembro em meus pensamentos... sinto saudades...
    e qndo nos encontramos, por msn, pelo menos;
    conversamos como se nos vissemos todos os dias...e relembramos os momentos que nunca vamos querer esquecer!
    ficaram, ETERNOS em nos! :)
    Beijo Flor...

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...