9 de jul de 2011

DOMÉSTICAS

                                                                  


Não nasci para mandar. Não gosto de ter subordinados. Sempre tive o péssimo hábito de ser centralizadora e não saber delegar. Quem age assim carrega, sem necessidade, uma carga que não é sua, que poderia ser dividida com sabedoria.

Por incrível que pareça, acontece até com auxiliares domésticas. Eu as trato bem, acabo de afeiçoando e me preocupando com seus problemas. Mas a recíproca nunca é verdadeira. Já se foi o tempo em que as pessoas contratavam uma doméstica e essa permanecia, por longos anos prestando serviços à mesma família, ajudando na criação dos filhos e sentindo amor pelos patrões.

As domésticas foram adquirindo justos direitos mas se esquecem de seus deveres. Conheço pessoas que as tratam com indiferença, dirigindo-lhes a palavra tão somente para dar ordens. Infelizmente, acabo concluindo que esse é o melhor jeito de lidar com empregados. Sem vínculos de ordem emocional. Se cedemos e ajudamos, vão ocupando um espaço e se aproveitando da situação. Se quebram alguma coisa e você não cobra, passam a não se preocupar com ocorrências futuras da mesma natureza. Se você libera para exames médicos e cuidados com filhos, passam a não comparecer ao trabalho dando essas justificativas, sem se preocupar com as necessidades da família para quem prestam serviços.



                                                              

Já tive muitas auxiliares domésticas e, por morar só,  elas me trouxeram  experiências negativas. Por mais que porteiros sejam alertados, elas acabam levando desconhecidos a sua residência, em uma exposição de grande risco.

Quando morava em SP, minha mãe tinha o péssimo hábito de, ao saber que estava só, contratar essas meninas do interior e mandá-las para trabalhar comigo. Não adiantava dizer que não as desejava. Minha mãe , simplesmente, ligava e dizia quando a empregada ia chegar. E eu me via na obrigação de ir buscá-las na rodoviária, sem ao memos ter conhecimento de suas eventuais qualidades para o trabalho.  Assim, me vi recebendo, em meu apartamento, "louquinhas" que buscavam uma vida melhor na "cidade grande", sem qualquer tipo de preparo. E acabavam me trazendo ônus. Muitas vezes nem pude viajar para não deixá-las sozinhas, pois não tinham onde ficar. Parece loucura, mas é a pura verdade.  E quantas vezes tive que levá-las ao médico, assumindo a responsabilidade, porque não conseguiam consultas pelo SUS.

Não preciso ter uma empregada. Uma faxineira basta. Mas como minha mãe veio passar uns dias comigo e já faz quase dois anos que está aqui, tenho que manter uma. Problema sério. Registro, respeito todos os direitos, mas não adianta. Começam a faltar e me fazem de refém, coisa que me traz grande irritação. Não posso despedir uma sem ter contratado outra, por causa de minha mãe. Elas sabem e se aproveitam disso.


                                                                 

Lei e justiça não caminham juntas. E há sempre um advogado inescrupuloso pronto para garantir a elas que têm muito a receber se entrarem com uma reclamação trabalhista.  Já passei por isso e confesso que fiquei satisfeita quando o Juiz deu uma bronca em minha ex-empregada, pois havia rcebido tudo que lhe era devido. Elas nem se preocupam em ler os recibos que assinam ( não contratro analfabetas). Se o fizessem, talvez nem caíssem nessa conversa mole de maus profissionais do direito.

Seus direitos estão a aumentar, com FGTS e seguro desemprego. Isso já sabem, mas se esquecem do fato de que, equiparadas aos demais trabalhadores, têm jornada de trabalho a cumprir, onde está incluído o sábado. E nenhuma delas quer prestar serviços nesse dia.

Acredito que a tendência é essa profissão deixar de existir. E uma doméstica ganha mais que a empregada de uma loja, tendo esta que permanecer todo o dia sem se sentar e ainda pagar seu almoço e lanche, cujos valores superam o do auxílio-alimentação, quando devido.



                                                       
                                                         
Quero uma empregada como aquelas que vejo nos filmes e novelas. Aquelas que trabalham até tarde e ainda se preocupam se você chegou com fome, independente da hora. Que não vão se "recolher" antes de autorizadas para isso. Que sabem preparar um belo almoço ou jantar se você tem convidados. Não importa que preço tenha essa comodidade(heheheh). E nem assim consigo. Por que???  Para que se submeter a esse tipo de trabalho se podem receber todas as bolsas que o governo concede?  Talvez, se o governo oferecesse emprego ao invés de gratuidade na obtenção de necessidades básicas, nosso país pudesse resolver uma grande parte de seus problemas. Aqui, a solução tem sido concessão de benefícos, sem valorização do ser humano, porque só quem obtém a satisfação de suas necessidades através de um trabalho digno, poderá se sentir, verdadeiramente, um cidadão.




11 comentários:

  1. Se eu encontrar uma como essa aí que disse, também quero!!!!
    Muito difícil encontrar uma assim, até porque elas já chegam exigindo mais do que os contratantes. Aqui então é pior, porque elas nao sabem limpar.
    Muda de país mas tem coisas nao mudam quase nada... ;(

    Imagino que ter a mae pra cuidar nao deve ser fácil, elas ficam chantagistas emocionais com a idade hehehe tadinhas, mas ruim com elas, pior sem, pode acreditar.


    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Esta é a realidade que estamos nela hoje, graças aos dois mandatos do Presidente Lulambão que entre outras irresponsabilidades criou a cultura dos benefícios sociais que na prática agem como compra de votos.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  3. Concordo com os dois comentários acima, eu não tenho empregada, meu salário de professora não dá, moro sozinha também e faço um pouco por dia, senão fica ruim...
    Contar um caso aqui, minha mãe tinha uma empregada, que era a amante do meu pai, culpa dele, que era um galinha rsrs
    Existem ótimas empregadas,que acabam fazendo parte da família.
    Beijos, Mery.Visite-me, amiga.

    ResponderExcluir
  4. hoje resolvi conhecer
    o diário feminino
    e adorei!.
    espero que arrume uma
    pessoa de confiança
    que responda as suas
    expectativas.
    um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Nem me fale amiga...mas tenho sorte pois a Diana (minha secretária) foi um anjo caído do céu, que ela não saiba kkk Olá querida, último dia da Copa Blog, só para lembrar kkkkkkk tenho que rir um frio do dédeu aqui na terra do sol e nem correndo atrás de votos esquenta. Um domingo bem aconchegante tenhas!

    ResponderExcluir
  6. oi amiga olha eu aqui de novo eita sereia chata kkkkk às 8 da noite de hoje se encerra a copa blog, um evento que estou participando será que dava para depositar uns votinhos e pedir para os amigos do orkut, facebook, msn sei lá para tb depositarem? Kkkkk é só entrar na http://dado.pag.zip.net/ vai sair uma janela dizendo que é a final clica em ok e ai abre uma janela com meu nome Lindalva e o da amiga concorrente (na verdade 2 bannerzinhos o meu Ilha da Lindalva) BASTA DÁ UM CLIQUE EM MEU NOME Lindalva e sai a confirmação do voto.
    PS: quando a página abre tem um comunicado importante do administrador do site desce a barra porque os banner para votar estão logo abaixo e é só clicar no bannerzinho azul. E o voto não é por computador, mas por IP então podes votar algumas vezes durante o dia :-)
    Fuiiiiiiiiiiiii desculpe a pressa estou atras de votos kkkkk. beijos

    ResponderExcluir
  7. Marilene,
    Até eu gostaria de ter uma "secretária" assim, tipo governanta.
    Na verdade, temos que nos adaptar a essa nova fase das domésticas. Elas ditam o horário e os dias de folga. Pegamos ou largamos. E quem paga?
    É mole?
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  8. .


    No lado esquerdo do meu peito, digo, do
    meu blog tem um coração, quero dizer, um
    selo que eu fiz para os cinco melhores
    amigos que rezam versos em minha alma.

    Eu ficaria feliz se o aceitasse...

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  9. Isso tb é um problema na minha vida!
    Ser refém. Antes de ter filho, era fácil, uma diarista duas vezes por semana me deixava em paz... Agora... E o pior é o vínculo emocional, já chorei quando a babá da filhota foi embora, mesmo já tendo uma substituta para o cargo.
    Tento no momento ser imparcial, mas é difícil mesmo. Só vou descordar quanto as questões das "bolsas auto-ajuda", acho que isso foi sim criado para ser algo positivo, infelizmente o "povo brasileiro" é abusivo e falta noção sobre o real valor do benefício.

    p.s
    É contra a corrente, mas continuo acreditando no Lula sim!

    Bjsss!

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, Marilene. Passeando pelo seu blog como de costume, resolvi conhecer essa postagem. A minha opinião é um pouco divergente. Eu respeito essa classe trabalhadora, que muitas vezes é explorada sofrendo maus tratos.
    Vínculo empregatício dá direitos e deveres, mas um dever que rigorosamente tem de ser cumprido, é o do bom tratamento ao empregado.
    Têm empregadores que pensam que podem gritar, falar alto, e explorar os empregados domésticos. Sou totalmente contra a atitude dessas pessoas, pois ninguém é melhor do que ninguém, e se alguém é mais favorecido econômica e culturalmente, tem de ter educação e respeito antes de qualquer coisa e não se privilegiar disso.
    Existem bons e maus profissionais em todo segmento, e todos sabemos disso.
    Há sim, maus empregados, desrespeitosos, e que usam de má fé para faltarem ao trabalho ou não cumprirem direito com as suas obrigações,
    Se quem não está satisfeito, ao invés de tratar mal, deve despedir até encontrar outra pessoa que atenda às suas necessidades.
    Encontrar uma empregada tal qual existe em novelas, é demasiadamente cruel, pois elas não têm vida própria. Se nós temos, por que elas não podem ter?
    Quanto ao Lula, eu gosto muito dele, gostei do seu governo, e sei que existiram coisas erradas como em qualquer governo, seja de que partido for.
    Ajudar as pessoas não é crime, mas penso que as políticas de emprego, qualificação profissional têm de ser melhoradas, a fim de que as pessoas possam ter oportunidades de ter uma vida guiada por seus próprios pés.
    Sei que têm pessoas que se aproveitam das ações sociais, mas o que fazer se existem pessoas realmente necessitadas? O Governo deveria deixá-las passando fome? Não, não creio que seja a melhor solução!
    Todos os políticos aproveitam a sua imagem usando os programas sociais, e que com certeza beneficiam milhares de pessoas.
    Eu só não sou favorável ao comodismo das mesmas!
    Eu adoro o Lula, o PT desde que eu era adolescente, e sempre torci para que o Lula fosse presidente, e se observarem bem, muitas coisas boas aconteceram no mandato dele.
    Ele não governou sozinho, por isso nem tudo podia se do modo como alguns quisessem, só sei que a população menos favorecida teve o seu poder de compra aumentado.
    Cada um tem o direito de votar em quem quer, o voto é um direito do cidadão, mas o povo não é inteligente, caso contrário não teriam votado no Collor, e nem no FHC, na minha opinião!
    O último, um sociólogo, e não governou para a classe menos favorecida, e sim para os ricos. O que adiantou o seu diploma? NADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    BEIJO, E FIQUE NA PAZ!

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...