12 de jun de 2011

O PESO DAS DIFERENÇAS

                                                                

Sempre ouvi dizer que os opostos se atraem. As experiências pessoais, no entanto, me mostraram que essa atração não resiste às diferenças, por um longo tempo de convivência. No mundo moderno, aprendemos a nos valorizar e não desejamos ficar dizendo amém, satisfazendo a vontade do parceiro e engolindo nossos desejos. As pessoas têm cultura e educação diferentes e são as semelhanças que propiciam o bom entendimento. Como é gostoso compartilhar um estilo de filme, de música, visitar lugares em que ambos desejamos estar, ter similaridade de desejos ao escolher lugar para passar férias, ter opiniões semelhantes na educação dos filhos.

Essas diferenças que atraíram os parceiros podem ser encantadoras no  namoro, no começo do relacionamento. Depois, certamente, um dos dois estará abrindo mão de suas vontades para satisfazer o outro, se não estiver sendo obrigado a isso.  Passado um tempo, ou um dos dois perde a personalidade e passa a viver no desencanto, ou se firma, se faz impor... ou vai embora.

                                                          

Já me apaixonei pelas diferenças, pelas maravilhas do desconhecido. Sem qualquer experiência de vida, no entanto, fiquei deslumbrada. A jovem simples do interior, que se alimentava de arroz, feijão, carne, verduras, legumes, frutas... que cresceu gostando de jogar bola na rua, que nada entendia de sofisticação e tinha um mundo pequeno e conhecido, acabou esbarrando em alguém totalmente diferente.  Deixou-se levar por promessas, por uma vida pintada com cores reluzentes e desconhecidas, e abraçou o novo, cheio de contradições.

Certo dia, viu-se no Fasano, com o noivo e a sogra. Tímida, nem sabia o que escolher naquele sofisticado (e carésimo) restaurante. O noivo, sem atentar para essas diferenças, nem a consultou e pediu de entrada, para todos, coquetel de camarão. Gente, eu tinha vontade de sair correndo dali. Nem peixe comia, além de sardinha frita. Aquela linda taça com aquele "bicho" dentro, cheio de pernas, era aterrorizante. Em seu apavoramento nada podia fazer além de observar o que faziam e engolir como se fossem pregos aquela "coisa assustadora".  Podem rir, mas a minha vontade, naquela hora, era desaparecer. Fiquei tão traumatizada que, até hoje, não como camarão, não feito daquela forma.


                                                      

Em outra oportunidade, com um grupo de amigos, saiu para jantar. Mais uma vez não foi consultada sobre sua preferência. O noivo pediu, para ambos, sopa de cebola. Mas ela não comia cebola. Só que, mais corajosa, recusou e ouviu comentários desagradáveis. Um dos amigos tomou suas dores e disse que ela comeria o que desejasse, pois ele não tinha o direito de fazer suas escolhas. Para amaninar a situação, a esposa de um amigo propôs que dividissem uma picanha. E assim, em meio a caras fechadas e clima ruim, jantaram.
                                                          

Poderia citar inúmeras outras oportunidades de desencanto. Sobrevivi porque cansei. Me armei de coragem e disse : CHEGA!  Fui viver minha vida sem ele. Aprendi, amadureci, e passei a valorizar a harmonia de pensamentos. Entendo que essas diferenças só são lindas em livros. Na vida, quanto mais coincidências houver nos gostos, maior a capacidade de entrarmos em um relacionamento feliz e duradouro.



13 comentários:

  1. Una vez lei en un libro que es falso eso de que los opuestos se atraen. al final mientras más parecidos es mejor. Slaudos.

    ResponderExcluir
  2. Olá querida, tudo bem?
    Adorei seu blog, parabéns!!!
    Viva a diversidade as diferenças, ninguém é igual a ninguém o que importa nessa vida é amar verdadeiramente.
    Estou te seguindo, espero que me siga também.
    Gostaria de te convidar a conhecer meu blog e minha personagem cômica,
    conhecer meus vídeos, são vários, esse é um o mais recente.
    Fica com Deus e bom final de semana.Divirta-se!!! bjs
    www.meninalimaoem.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi querida amiga, muito obrigada.
    Vim retribuir a sua visita, sempre que possível estarei aqui dando uma espiadinha no seu blog.
    Vc viu meus vídeos? Se não, depois dá uma olhada quando vc puder e me fala o que vc achou
    sua opinião é importante pra mim.
    Feliz dia dos namorados!!!
    Bom Domingo,
    fica com Deus,
    beijos
    www.meninalimaoem.blogspost.com

    ResponderExcluir
  4. Coincidência , minha postagem de hoje AMANTES PARA SEMPRE, aborda assunto mais ou menos parecido.
    Texto excelente, parabens
    GRAÇA MEREU

    ResponderExcluir
  5. Concordo que a afinidade de interesses é bem satisfatória em um relacionamento e que o excesso de divergências é bastante prejudicial, podendo mesmo levar a um rompimento.
    Mas, cá entre nós, ideal mesmo é um meio termo, um equilíbrio. Dá um tempero especial à relação.
    Bitocas.

    ResponderExcluir
  6. Marilene! Estou de volta, estava curtindo umas fériazinhas :) Fiquei feliz ao chegar e ver teus comentários!! Hoje estou "devorando" os blogs que mais gosto!
    Concordo contigo, quando as diferenças sao grandes é muito complicado. A primeira impressão: tanta coisa nova, diferente, tanto a aprender! Acho que se os dois estao dispostos a trocar experiências, isso pode ser muito valioso, mas se apenas a vida de um serve como "exemplo a ser seguido", isso acabará machucando a realidade do outro. Eu sou casada com um cara que nasceu no mesmo dia que eu! 40 minutos de diferença! Posso garantir que nao é fácil... o mesmo mapa astral, as mesmas manias! Praticamente casada comigo mesma!! Tudo igual! No final das contas, entre mitos e frases montadas... o relacionamento é sempre difícil, é uma busca de equilíbrio constante...
    Beijo querida!

    ResponderExcluir
  7. Não tem o que dizer.Vc disse tudo nesse texto corretíssimo.O difícil é que só a idade e o tempo que nos ensina td isso.
    Boa semana,menina
    Um abraço e um pão de queijo,se vc gostar é claro...rsrs

    ResponderExcluir
  8. Olha eu aqui, voltei!
    Querida Marilene, ser a cópia fiel do outro, ou completamente o oposto, são fórmulas incompatíveis ao meu ver.
    Acredito mesmo, na receita simples, de que devemos ter muitas características em comum com o parceiro para nos encaixarmos e tantas outras diferentes, para nos desafiarmos, nos provocarmos e nos completarmos, sem monotonia.
    Bj.

    ResponderExcluir
  9. .

    Meu amor, não era para você entender
    dessa forma. Os opostos são atraentes,
    sim. Caso não fossem, nós viveríamos
    na eterna mesmice. Portanto, prenda
    minha; quando um sábio se acercar de
    você, aborde-o com suas dúvidas e
    ele a transformará em um ser oposto,
    como é.
    De outra maneira, você é o oposto dos
    seus admiradores e se também não fosse,
    você não teria a legião de seguidores
    como eu.

    silvioafonso




    .

    ResponderExcluir
  10. Boa noite!
    Concordo com tudo mesmo. Acho muito difícil conviver com pessoas que não tem nada a ver conosco. Assim a vida seria uma renúncia sem fim. Adoeceríamos em pouco tempo.
    Aprovada por ter tomado a decisão correta. Amiga também tô fora!!
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  11. Há um prêmio para o Diário Feminino na página Selos & Afagos do Cotidiano Agridoce.

    *Voltarei aqui com menos pressa.
    Beijos,
    Débora.

    ResponderExcluir
  12. Tirar o fôlego!
    Todos nós estamos aqui para apoiá-lo.

    ResponderExcluir
  13. Bem, o marido é um "pouco" diferente de mim, não pelos gostos excêntricos graças a Deus, mas pela calmaria que me assombra, rs!
    Realmente tem muita coisa que só cabe mesmo em livro, #fato!
    Bjk!

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...