21 de jun de 2011

FRACASSADOS

(imagem de domínio público)
                                                                         

Algumas pessoas estão neste mundo para ser infelizes. Só sabem dizer que tudo é difícil, que nada conseguirão, que há muitos na sua frente, que há um culpado por todos os seus fracassos. Mas que fracassos, se nem tentaram? Subestimam-se e esperam que alguém resolva todos os seus problemas. O pior é que, na maioria das vezes, ajudamos essas pessoas. Ou pensamos que ajudamos, porque não lhes damos a oportunidade para crescer, para se descobrirem, para conseguirem algo por seus próprios méritos. Não há alguém mais fadado ao fracasso do que aquele que já o tem na mente e no coração. São pessoas que não saboreiam ou compartilham a vitória de outros, que não conseguem parabenizar, que não enxergam a batalha que travaram os chamados vencedores.

E a vida está cheia de pessoas assim. Reclamam por não ter trabalho, mas não aceitam serviços para os quais se sentem superiores. Reclamam de salário mas não tentam se aperfeiçoar, a fim de poder competir com os mais preparados. Reclamam que nada possuem, mas não enfrentam lutas e fogem diante do primeiro desafio. Não caminham, estão sempre sobre as costas de outrem que mal consegue andar com tanto peso.


(imagem de domínio púbico)

Muitas vezes, a família é culpada por alguns de seus membros adotarem esse tipo de comportamento. Vão dando o que desejam, desde cedo, sem lhes ensinar a conseguir o que querem de forma não gratuíta. Não estimulam a busca por caminhos ou os escolhem por eles, sem verificar se se sentirão felizes na jornada imposta. E como não aprenderam a usar a voz, vão eles aceitando tudo, até que, chegando à insatisfação, não encontrarão um meio para vencê-la.  E ficam por aí, fazendo de todos um muro de lamentações.

É horrível conviver com quem tem pena de si mesmo. Desde criança, o ser humano tem que aprender a se amar, a adquirir confiança, e a não se sentir o último dos indivíduos quando "fracassa".  Perder não significa ser derrotado e pode até ser um meio de direcionamento novo, a abrir horizontes e possibilitar investidas diferenciadas.


(imagem de domínio público)
                                                                                                                                                                                             
Quem só reclama, se sente injustiçado, não tem prazer em dividir a alegria alheia... não chegará ao amor. Não o sente por si, como vai poder oferecê-lo a alguém? Tristeza, mau humor, infelicidade, são sentimentos que podemos suportar algumas vezes, tentando ajudar amigos e parentes. Mas quando são constância, todos vão se afastando, porque contagiam, tiram o prazer da vida. São cargas muito pesadas para as abraçarmos. E nem temos esse dever. Assumí-lo é negar ajuda, é contribuir para que não saiam do quarto escuro onde entraram por vontade própria e sequer procuraram abrir a janela.

Ser um fracassado é uma infeliz opção de vida. É falta de absorção de conceitos básicos de sobrevivência. Não vamos contribuir para isso! Se caem, podem ser ajudados a sair do buraco, mas o banho e a nova caminhada está por conta deles.  Não vamos deixar que nossos filhos sejam um peso para nós, pois, certamente, viverão como um peso nas costas de quem um dia deixá-los subir. Acabarão por se transformar em novos fracassados, não por falta de condições para vencer, mas porque não aprenderam a lutar.



9 comentários:

  1. Passei para desejar um maravilhoso solstício de inverno para vc!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  2. Mari, meu bem! Que saudade! Amei esta página do teu brilhante diário. Você tem razão. O início de um fracasso é o instante em que se diz: Não vou conseguir. Há uma frase do Norman Vicente Peale que diz assim: O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina, o vencedor nunca desiste. É isso. Parabéns por ser uma vencedora, minha amiga! Minha admiração.

    Um beijo,
    Débora.

    ResponderExcluir
  3. São pessoas amarguradas, que acham mais fácil jogar no próximo a responsabilidade por sua infelicidade.
    Você resumiu muito bem nesta frase : "Não há alguém mais fadado ao fracasso do que aquele que o tem na mente e no coração".
    Excelente post.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Autopiedade, falta de determinação, pessoas negativas que muitas vezes nos fazem mal.
    Parabens pelo texto.

    ResponderExcluir
  5. MARILENE,

    Sou seu mais novo seguidor e por uma simples razão:nada mais excita-me a criatividade do que a inteligência de pessoas como você.

    Que postagem de fôlego!

    Pedagógica,educativa,oportuna e pricipalmente de uma competância no trato dos relacionamentos humanos, irretorquível.

    Você Marilene,descreceu pessoas com a Síndrome da Autopiedade,que são mutiladas na sua essência pelos mais elementares impulsos desejáveis de romperem os casulos escuros e desconfortáveis da lagarta e romperem este maravihoso ciclo da vida, a única forma de dar oportunidade ao nascimento da borboleta!

    Sabe Marilene,as vezes este sentimento de autopiedade é tão irracional, que é comum ouvir-se pessoas dizerem que só porque estão com um ferimento no braço, por exemplo, toda hora elas batem com o braço nas coisas.

    E não é isso , absolutamente.

    A verdade é que , nós sempre esbarramos o braço nas coisas, no entanto ,quando ele está com uma ferida aberta, aí então sentimos dor,e é esta que nos alerta que houve uma esbarrada.

    E na vida podemos classificar as aptidões para a superação dos obstáculos, em pessoas que sabem que a culpa não é do "acaso", de algo "proposital" que arma-se contra ele, de sua "falta de sorte", e de outras que sabem que existe uma ferida no seu braço e portanto, devem superar o risco de bater com ele naquilo que o rodeia.

    O primeiro olha somente as molduras,a cortina, a cor das cortina e os vidros de uma janela.

    Já o segundo está olhando sempre muito mais longe,pois vê a realidade, através da janela.

    Belíssimo o seu texto.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  6. Marilene,já estou sendo sua seguidora.
    Este post dis tanta coisa,deve ser terrivel a pessoa caminhar com pernas alheia.Deve ser triste uma pessoa se sentir um nada.Queira ou não mas tudo isto vem de uma boa formação.Senão a tiver com certeza os problemas,as dificuldades virão.
    Bem amei o seu blog como disse ácima sou sua seguidora.
    Desejo um lindo final de semana com muita paz e felicidades.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  7. Oi Marilene, você tem toda a razão, o convívio com pessoas assim, é terrível!
    Torna-se insuportável conviver com pessoas negativas, que só se lamentam, vêem fracasso em tudo e não tomam nenhuma atitude.
    Mais uma vez parabéns pelo post!
    Bj

    ResponderExcluir
  8. .

    Jesus, quanta verdade.

    silvioafonso







    .

    ResponderExcluir
  9. Oi Marilene!!!
    Nossa...nem me fala, sempre conhecemos alguem assim.
    Eu então que tenho 2 filhos, luto e me policio constantemente para educa-los sem a tal super proteção materna. Luta diária, amiga!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...