28 de abr de 2011

UM INFARTO FELIZ

                                                                                                                             
Todos temos uma vida atribulada, cheia de responsabilidades. Não conheço uma pessoa sequer que não fique estressada vez ou outra. E não precisa ser com questões profissionais, pode ocorrer no interior dos lares, diante de situações que, para uns são complicadas e nem tanto para outros. Somos diferentes e assim é nosso modo de encarar os desafios.

Não ligo para essas mensagens que circulam na internet e que recebemos inúmeras vezes, com conselhos e alertas. Mas pela maneira com que foi tratada a questão, com um lado até cômico, vou postar os conselhos de um médico, a serem religiosamente seguidos por quem deseja ter um infarto feliz. Quando os li, embora ciente de suas consequências, não pude deixar de rir e de me enquadrar em alguns deles.

"DOZE CONSELHOS (" amigos da onça" )

Dr. Ernesto Artur - Cardiologista

1- Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias.

2- Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos.

3- Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.

4 - Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem.




5- Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.





6- Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranquila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes ...


7- Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. A final, tempo é dinheiro.





8 - Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro. ( e ferro, enferruja !! .. rs)

9 - Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo.

10 - Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.



11 - Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.



12 - E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis.



REPITA PARA SI : EU NÃO PERCO TEMPO COM BOBAGENS.
Duvido que você não tenha um belo infarto se seguir os conselhos acima!!"

Depois de ler esses conselhos, melhor fazer as malas (heheheheheh).

5 comentários:

  1. Essa foi muito boa hein Marilene rsrsrs.. Adorei!

    Uma super beijoca em seu coração..
    Verinha

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, querida amiga Marilene.

    Menina... Eu ri muito, porque já fiz isso tudo...
    Fazia horas extras de graça, levava serviço pra casa, ficava sem férias anos e anos...

    Acho que o que me salvou, foi o desemprego, em 2002. Graças a Deus, senão já teria tido um infarto.

    Adorei a matéria.

    Um grande abraço.
    Felicidades!!

    ResponderExcluir
  3. MUITO DIVERTIDO.
    Já fui campeã em seguir vários destes conselhos. Ainda bem que ficou no passado. Já de outros, ainda pratico. Vou ter que reformular.
    Bejim.

    ResponderExcluir
  4. Oi MARILENA...

    estou absolutamente encantada com seus blos...

    agradeço a visita...

    sempre aqui...

    meu carinho!

    Zil

    ResponderExcluir
  5. Marilene, garanto a você que este teu blog é um ótimo preventivo para se manter a boa saúde, pois, a boa leitura é um dos remédios, e dos bons, para a manutenção do equilibrio emocional. PARABÉNS!! Obrigada!!!
    Pena não tê-lo conhecido, à tempo de evitar meus dois últimos infartos. O primeiro em 20 NOV 2010 (nele perdi 30% de minha função cardíaca por socorro a destempo - os primeiros socorros devem acontecer dentro de no máximo 4 horas antes do dano irreversível cardíaco -) e o segundo em 19 MAR 2011, poucos meses após a colocação de quatro stents. Meus infartos foram deflagrados em razão de grande sofrimento emocional, iniciado por uma "síndrome do coração partido" com angina instalada desde 2007. O artigo, engraçado a primeira leitura, (sempre achamos graça no humor que nos toca por identificação)corrobora o velho dito popular: "é brincando, que se diz grandes verddes", não é mesmo ?!?!
    Como colaboração, advirto seus leitores, que, definitivamente, nenhum infarto acaba feliz. Digo, por experiência própria. Após sua ocorrência, se não batemos as botas, nunca mais seremos os mesmos, no sentido de termos limitações de mais variadas ordens, mormente físicas, com dores fortíssimas no peito (angina) por qualquer maior esforço ou emoção. Mesmo os antes realizados com prazer. Rir ou chorar, cantar ou dançar, correr ou nadar, caminhar, brincar ou brigar, amar ou desamar, ficar feliz ou triste, qualquer palpitar, por medo ou paixão DÓI ...DóI ...DÓI "Pra Xuxú", vocês nem imaginam quão grande é a dor, às vezes de maior intensidade do que a sentida na hora do infarto própriamente dito. Assim, melhor levar o doutor à sério. É mais prudente!!! - rsrs Beijos *Y*M*

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...