15 de mai de 2015

DEPOIMENTO FRAGMENTADO DE VIDA PROFISSIONAL

(Szymon Roginski)

                                                       
                                                               
Inventei-me para seguir alguns caminhos. Não comportavam meu original esquivo, simples, desconfiado. Me acreditavam melhor assim, uma igual ... vazia, ambiciosa, pronta para abraçar vantagens sem questionamentos. Ainda que descoberta, sem véus ou máscaras, me olhavam como me desejavam ver. Por vezes, pensei que podiam ouvir o riso de minha exposta alma. Mas além de surdos, tinham ainda os olhos vendados.

                                                   ...

Reinventei-me para muitas jornadas. Fui lida pelas roupas e não pelo comportamento. Sofisticada, inteligente, astuta ... palavras escritas na face mas que sequer eram capazes de cobrir a grafia forte de meu verdadeiro ser. Bastaria um mínimo de atenção para que ouvissem os gritos da essência que teimavam em não ver.

                                                  ...

Também fui sombra que vagueia ignorada, o que me possibilitou o trânsito em meio à falsidade, sem contágio. E arco-íris para os lúcidos que ao lado circulavam, temendo as tempestades.  Tornei-me arquivo de injustiças e maldades, pois sombras não têm voz.

                                                  ...

Amigos, de fato, só os que compartilhavam ideais , sem contaminar o simples com interesses escusos; os que ainda preferiam beber a água nas mãos em concha, desprezando as taças de cristal.

                                                  ...

O que vale a imagem? Haveria que ser pouco seu valor físico, mas as passarelas exigem andar seguro, mesmo que se carregue nos ombros o peso de difíceis decisões. Nem sempre pude sorrir em sua travessia, ou rir de olhares tolos, porque ser invisível tem inúmeras vantagens quando se convive com a vaidade extrema de superiores.

                                                 ...

As asas, sempre tive, mas só me permiti usá-las quando me aposentei, deixando para trás a linguagem técnica, as trevas do mundo empresarial ... e os dúbios conceitos éticos que ainda são por muitos abraçados, maculando sonhos e destruindo esperanças. 



                                                           Marilene



37 comentários:

  1. Cara Marilene

    Eis um depoimento que abrange, na realidade, os escolhos por que passamos na vida profissional qualquer que seja a área. Inventar-se e reinventar-se para o desempenho de um papel nem sempre fácil. Pôr de lado, por momentos, alguns ideais. Vestir uma roupagem que nos incomoda, para parecer um "igual". Decisões difíceis.
    Um texto na 1ª pessoa. Admiro a clareza e a lucidez da sua exposição. Muito obrigada.

    Bjo

    Olinda

    ResponderExcluir
  2. Cara Marilene

    Eis um depoimento que abrange, na realidade, os escolhos por que passamos na vida profissional qualquer que seja a área. Inventar-se e reinventar-se para o desempenho de um papel nem sempre fácil. Pôr de lado, por momentos, alguns ideais. Vestir uma roupagem que nos incomoda, para parecer um "igual". Decisões difíceis.
    Um texto na 1ª pessoa. Admiro a clareza e a lucidez da sua exposição. Muito obrigada.

    Bjo

    Olinda

    ResponderExcluir
  3. Belos e profundos fragmentos de uma vida e assim é... Caminhos ora permeados pela justiça, ora ela mesmo injusta... Ora julgados pela sisudez do momento exigido, ora pelo riso espontâneo demais.. Ora entre falsidades, corrupções, mau coleguismo... Tantos momentos...
    Mesmo assim, trilhados até a justa aposentadoria, podendo sair de cabeça erguida, imaculada por tudo de ruim que rodeava...

    Adorei te ler! Lindo! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. A eterna questão de que tantas vezes o nosso avesso, é o nosso lado certo.
    Um texto extraordinariamente bem escrito, acerca dos contorcionismos que temos que fazer, de acordo com o tipo de relacionamento social que estamos a ter. De como o nosso interior, não ficando irremediavelmente anulado (porque com os amigos deixamos de ser sombras), fica guardado e em guarda, à espera de melhores dias.
    Há dias a falar com um amigo de longa data, professor universitário, ele dizia-me, algo semelhante : " Sinto que estou a entrar na 3ª fase da vida, e se tiver sorte ainda terei uma 4ª e última fase. Esta fase que está no início, vai trazer-me grandes desafios, e o maior será o de conseguir centrar-me no essencial. Voltar a aproximar-me do essencial, e deixar de pagar preços muito altos. Viver com mais autenticidade, porque afinal o turbilhão da vida profissional não deveria comandar em demasia os nossos dias".
    Parece que todos passamos por essa fase constrangedora que nos obriga a alhear um pouco de nós mesmos, e claro que nesse aspecto, umas profissões são muito mais absorventes e castradoras do que outras.
    Escreves bem que te fartas, Marilene! Gostei muito. Espero que a aposentação te dê a rédea livre que a tua sensibilidade e o teu carácter precisam para revelar esse ser extraordinário que há em ti.
    Bom fim de semana!
    xx

    ResponderExcluir
  5. Com muito carinho e infinita saudades
    hoje mesmo com uma colinha estou passando
    no seu blog . .
    Espero que fique feliz como estou
    por Deus ter me concedido essa força.
    Um abençoado final de semana,
    muitas bençãos para sua vida..
    Beijos meu carinho.
    Evanir..
    Amiga saudades dos velhos tempos!!

    ResponderExcluir
  6. Fragmentos de uma vida que diz e muito bem da vida de todos nós cara amiga Marielene.
    Acabei por me identificar com seus dizeres.
    Um abraço cara amiga e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  7. tantas e tão várias as "personas" em que nos damos...

    ... e no entanto poucos os que se atrevem ao voo.

    belíssimo texto (invejável rss)

    beijo

    ResponderExcluir
  8. Nunca é tarde para usarmos as nossas asas e voarmos livremente para longe das nossas preocupações !
    Um excelente texto !

    ResponderExcluir
  9. Num pequeno depoimento narramos o que sentimos
    ou o que estamos passando é mesmo ter asas para voar
    e a gente vai se identificando aos poucos com algums trachoe

    Bom domingo e um começo de
    semana cheio de muita Paz

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Marilene,
    Um texto transparente e corajoso,
    permeado de verdades...
    Estes fragmentos poderiam ser
    também, o depoimento de incontáveis mulheres.
    Ótimo domingo, bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi Marilene adorei a postagem, texto autêntico e mensagem perfeita!
    Deixo esse pensamento do Pe. Fábio de Melo que diz:
    “A beleza de cada dia
    só existe porque não é duradoura.
    Tudo o que é belo não pode ser aprisionado,
    porque aprisionar a beleza
    é uma forma de desintegrar
    a sua essência."

    Um Domingo abençoado e um início de semana de muita paz e saúde.
    Abraços Lourdes Duarte
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá mana,

    Fragmentos muito bem colocados e que traduzem uma vida até então vivida como mandava o figurino e os padrões da vida profissional. O importante é que a essência, de fato, nunca restou abalada. Que você possa alçar belos e merecidos voos.

    Parabéns pelo brilhantismo do texto.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Na excelência do texto acompanhado de uma imagem linda e reveladora, no qual
    percorremos através da leitura com a descrição dos momentos (estágios) de uma
    profissional ética no desafio com o humano no seu comportamental complexo,
    competitivo e muitas vezes desleal com o uso de máscaras para a dissimulação
    eficiente de objetivos mesquinhos e banais, a ambição alcançada a qualquer preço.
    A beleza da tua alma no brilho dos passos das tuas escolhas possibilitou
    uma trilha luminosa de voo...
    Bravo!!
    Querida Marilene,quero agradecer a tua gentil presença e belos comentários no
    meu espaço, são preciosos para mim..
    Bjos.

    ResponderExcluir
  14. Bem complexo essa forma que, muitas vezes, se antagoniza. A transparência, vezes, é interpretada, julgada, sem que o SER seja realmente visto. Por mais que queiramos as máscaras dos papéis assumem o posto e trazem expectativas sobre o que não podemos ser.
    Belos seus fragmentos aqui apresentados.

    ResponderExcluir
  15. Bela expressão de uma drama íntimo, infelizmente tão comum entre nós! Boa semana, Marilene.

    ResponderExcluir
  16. O mais importante é que transpuseste as barreiras impostas pelo escuso, pelo mau, e hoje, liberta estás para voar ao teu bel prazer e por ares desejáveis. Belo depoimento Marilene.

    Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  17. Parabéns amiga Marilene por nos dar este texto tão lúcido da realidade por detrás das aparências.

    Quero lhe dar um beijinho agradecido pelas suas palavras carinhosas e sentidas .

    ResponderExcluir
  18. Oi, Marilene!
    O princípio da impessoalidade é uma diretriz para muitos, mas nem todos conseguem se esconder por detrás de normas comportamentais. Mas em um mundo onde a competividade profissional descarta aqueles que agem fora dos padrões, ter a própria marca pode ser encarada com surpresa pelos robotizados do sistema. Não se vive mais de uma vez! Por isso digo: Ainda bem que existe a aposentadoria :D
    Beijus,

    ResponderExcluir
  19. Breve, porém intensa biografia d'alma,essa que oprimida pelo meio lutou bravamente por sua integridade e ganhou a batalha final, preservou sua essência, sua sensibilidade e aflora pungente e livre.Um Viva por isto!
    Bjos Mari,
    Calu

    ResponderExcluir
  20. Depois de te ler revi-me, pessoalizei-me, tornei-me parte do teu depoimento.
    Só te quero dizer que sei o que falas, do que falas e porque falas assim.
    Fica em paz.



    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  21. Marilene, tenho lido muita coisa boa por aqui, sentimentos brotados lá do fundo da alma são vários, mas esse, amiga, tanta sinceridade, um apanhado geral do que cala fundo em todos. Tanta verdade contida e que serve de retrato para muitas vidas. É como se estivéssemos numa sessão de psicoterapia onde cada um pode desvendar sua vida, seus mistérios.
    Admiro você, amiga!
    Aplaudo.

    ResponderExcluir
  22. Magnifico um belo trabalho que gostei de ler.
    Um abraço e bom Domingo.

    ResponderExcluir
  23. Bom dia
    Sempre no reinventamos para seguir o ritmo da vida.
    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá Marilene!

    Um texto inteligente, muito bem construído e cheio de verdades. Às vezes é difícil inventar-se e reinventar-se, mais a vida profissional obriga a ser dessa forma. Que seus voos sejam só de coisas boas agora.

    Andei um pouco ausente por isso a demora em aparecer por aqui.
    Um abraço e ótima semana!

    Blog da Smareis- É só clicar aqui!

    ResponderExcluir
  25. Boa semana, Marilene; aguardo o próximo post!

    ResponderExcluir
  26. Olá Marilene! Passando para agradecer a tua visita e teu amável comentário, assim como desejar uma ótima semana, com muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  27. Y esas alas siempre te mantendrán alejado del mundo de negocios.

    ResponderExcluir
  28. Que enriquecedoras mensagens, repletas de verdades, Marilene. Um post de desabafo muito bem escrito e adorei lê-lo. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  29. Querida Marilene: cada parágrafo é um tratado, sendo que, este excelente texto, se pode dividir, grosso modo, em duas partes - o antes e o depois; o que se "era obrigado a ser" e o que se ousou ser.
    Revi-me, quase na íntegra, neste teu "depoimento"; ousei ser mais "eu" ainda antes de me aposentar; a escrita foi o motor de arranque e -vê lá - a criação do meu blogue com um erro ortográfico (era ainda professora e de português) foi mesmo provocação; profissionalmente, era um modelo, mas havia que "estilhaçar" a imagem de uma pessoa muito certinha :).
    Permite-me deixar os links onde falo um pouco disto mesmo:
    http://portate-mal.blogspot.pt/2010/04/era-uma-vez.html#comment-form (entretanto mudei a foto)
    http://portate-mal.blogspot.pt/2010/04/portate-malporque.html
    Bjo meu :)

    ResponderExcluir
  30. ... Voltei para te afirmar que hás feito um desabafo muito inteligente.



    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  31. Marlene um relato de uma vida inteira dedicada
    absolutamente a tudo que se propôs a fazer.
    Marlene texto um dos mais lindos que já pude ler.
    um beijo meu eterno carinho e admiração.
    Feliz final de semana beijos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  32. Oi Marilene!

    Passei pra reler novamente teu texto e te desejar uma ótima semana!
    Um ótimo mês.
    Um abraço, e um sorriso!
    Blog da Smareis

    ResponderExcluir
  33. Olá Marilene! Passando para agradecer a visita e amável comentário, assim como desejar uma ótima semana para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  34. Fantástica releitura de si mesma. Côncavo e convexo. No segundo( Convexo ) deixando escorrer o que poderia somar ao profissional e talvez diminuir ao
    ser , roubando a essência ou o voto ao seu verdadeiro eu. No primeiro (Côncavo) abrigada em si mesma, deleita-se no dever cumprido sem "mácula" e acolhe agora num tempo real as convicções do coração, da alma não mais sucinta, mas plena em realização.Um grande abraço. Maravilhoso!!

    ResponderExcluir
  35. Em busca de si mesmo... o melhor que há!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  36. Parabéns, Marlene, pelo belo "Depoimento Fragmentado de Vida Profissional" que é ao mesmo tempo um maravilhoso poema em prosa numa profunda reflexão.
    ZCH

    ResponderExcluir
  37. Realmente a vida as vezes exige que se invente e reinvente. Belo pensar

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...