7 de fev de 2014

INTUIÇÃO

(arquivo pessoal)


                                                                         
Nunca dei importância a horóscopos, a leitura de mãos, a tudo que envolve "adivinhação". Quando, bem jovem, ouvia algumas amigas contarem, entusiasmadas, as previsões de cartomantes, eu nada dizia porque se acreditavam e se as notícias eram boas, nenhum mal lhes proporcionariam.

Quando trabalhava em São Paulo, por insistência de uma secretária, fui fazer o tal do mapa astral, com uma psicóloga. No dia do resultado, após suas explicações, comentei que havia passado meu aniversário em Natal. Surpreendi-me quando ela disse que teria que fazer algumas alterações porque esse dado era importante. Nem voltei lá. Uma de suas afirmações, no entanto, foi no sentido de que eu evitava contato com o que não entendia, no campo da sensibilidade, porque possuía uma forte intuição, sem lhe dar a devida importância.

Acredito que todos nós, se ficássemos atentos à intuição, evitaríamos muitos equívocos e até certos "desastres" pessoais. Não sou diferente dos demais. As circunstâncias costumam nos mostrar que vamos nos machucar e não ligamos, percebendo, depois, que uma vozinha interior, a da intuição, nos dera um aviso que deixamos de ouvir.

Fui levada ao tema, hoje, em vista de um incidente que poderia ter evitado. Dirigia-me a uma agência do correio e, ao estacionar, tive uma sensação ruim. Algo me impulsionava a sair dali. Desliguei o carro e fiquei pensando nisso, mas não vi lógica nesse sentimento. De repente, um carro saiu de ré, de uma garagem localizada no outro lado da rua, e esbarrou no meu. Imediatamente me lembrei da intuição. O amassado foi pequeno, sem prejudicar a pintura, mas o carro é novo e me aborreci. Certamente, teria que deixá-lo para conserto e ficar sem condução, o que  é um desastre. O homem que dirigia o outro carro, de uma grosseria ímpar, admitiu estar errado mas entrou, novamente, no local de onde saíra, fazendo-me ir atrás dele. Disse-me, então, que não era bandido e que eu poderia esperar que ele resolvesse seu problema em uma loja de material de construção, antes de examinarmos o nosso.

Com receio de que fugisse, fotografei-o, como ao veículo, local, indicação do nome da rua, e insisti que chegássemos a um acordo porque eu tinha pressa. Pedi seus dados e telefone. Havia muitas testemunhas. Ele trabalha perto dali e o acompanhei , para anotá-los. Sugeri que me pagasse o valor que julgasse adequado e eu cobriria, se fosse o caso, o excedente. Muito nervoso, afirmou que queria justiça e não me dar prejuízo. Argumentei que buscava o mesmo e não pretendia explorá-lo. Não chegamos a um acordo e fui embora, prometendo obter um orçamento e manter contato. Ele é pedreiro, estava sujo de tinta, e atribuí sua indelicadeza ao fato de estar preocupado com a despesa inesperada.

Ao sair dali, procurei uma oficina com "martelinho de ouro", eis que cobram menos que em uma concessionária. Negociei com o dono, expliquei minha urgência e consegui que fizessem o serviço, de imediato, embora houvesse muitos carros lá, para conserto. Esperei por mais de duas horas, mas o carro ficou pronto e me cobraram R$180,00. Sei que na autorizada, uma vez que o tempo de mão de obra é oneroso, sairia muito mais caro.

Talvez nem telefone para o motorista do outro carro. Creio que, para ele, esse valor vai pesar no orçamento, já que ficou extremamente nervoso quando bateu no meu. E os estragos do dele foram bem maiores.

Mas só abordei o assunto por causa da intuição. Se tivesse ouvido o aviso que recebi, teria evitado o aborrecimento. E ele foi gritante, como já me ocorreu outras vezes. Vou procurar atender esses chamados estranhos, quando os ouvir (rss).


                                                                     Marilene


Estarei ausente por uns dias. Quando retornar, visitarei, com prazer, aqueles que passaram por aqui e registraram sua presença.



16 comentários:

  1. Olá, amiga Marilene.
    Isso também acontece comigo, com frequência. Parece que algo quer me avisar, e quando não ligo... quase sempre dá mau resultado.
    Não posso deixar de dizer que achei seu gesto muito bonito. Sendo uma pessoa de condição humilde, o dinheiro deve ser-lhe mais necessário que a você. Meu aplauso!

    Espero que tudo corra bem nessa sua ausência, e ficarei aguardando seu regresso.

    Um beijo do amigo
    Miguel

    ResponderExcluir
  2. Oi Marilene,
    A intuição não costuma falhar...
    (A minha pelo menos não!!).
    E quanto mais o tempo passa, nossa intuição se torna mais refinada, e confiável. Pode acreditar!
    Nunca deixe de ouvir essa voz interior.
    Muitas vezes não damos ouvidos a ela e ignoramos o que ela tenta nos dizer.

    P.S.: ainda bem que o contratempo com o carro já foi resolvido.
    Um abraço e até a volta. \o/

    ResponderExcluir
  3. A minha intuição chega a quase gritar.É muito forte e raramente me engano!1 bjs, Boas férias e aproveitem bem! chica

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Marilene, impressionante. Mas se o cara foi tão grosseiro com vc, acho que tinha que ligar pra ele sim. Mas enfim, pelo menos não foi nada grave. Intuição é fogo mesmo e às vezes quando acontece alguma coisa, lembramos que havíamos 'sonhado' com isso. Nem sei se é algum tipo de intuição também.. bj

    ResponderExcluir

  5. Sou muito intuitiva e sempre a ouço e com isso já escapei até de morrer em acidente por duas vezes, graças a Deus...você agiu com bondade e generosidade, você é uma pessoa de alma linda de verdade.
    Grande beijo no coração.

    ResponderExcluir
  6. Marilene, há muito percebo que és uma mulher clarividente, por isso não te deves importar com pessoas que dizem ter esse dom. Ser clarividente, para nós é importante, porque sabemos nos defender de vários problemas. Agora fazer exploração disso? Por amor de Deus!
    Como podemos crer em signos, se tudo depende muito do berço, da educação familiar, do grau cultural e por ai fora. Ilustro esta charla com o seguinte episódio contado na televisão pelo próprio vidente: Uma fadista, nunca determinava uma digressão, sem a respetiva consulta ao vidente, Prof. Karma; em determinada consulta, diz-lhe: Prof. estou apaixonada!... Ah sim? Posso saber porque quem, esta não se fez rogada: e respondeu; por si. Acabaram por casar. Fica no entanto a questão, então o vidente, nem em caso próprio previu?
    Bom interregno, beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Marilene, hoje estava conversando com o Pedro sobre o quanto as pessoas estão muito mais agressivas no trânsito; ninguém engole nada, ninguém deixa passar pequenas coisas. Há um estresse violento em nossas ruas. E a pressa de chegar a 200 metros à frente, não entendo. Para ir onde? Parar no próximo semáforo? Essa indelicadeza, a grossura que aconteceu com você, infelizmente não é mais exceção. Em pouco tempo será a regra.
    Tenho certas intuições que sempre dão certo... e evito. Nunca se sabe o que vai dar...
    Beijos, boas férias!

    ResponderExcluir
  8. Oi querida, como estás?
    Tenha uma semana maravilhosa!
    Muito amor e luz!

    ResponderExcluir
  9. O assunto é interessante, amiga. Eu, particularmente, acredito muito na intuição; e a sigo, quase sempre. Boa semana!

    ResponderExcluir
  10. Tambem nunca liguei a coisas do tipo horóscopos e leituras de mãos e todas essas coisas!! Eu acho que o que acontece tem uma razão para acontecer e nós temos que encarar a vida de sorriso no rosto e sempre prontos para enfrentar qualquer tipo de problema!! Quero desejar-te uma excelente semana,tudo de bom para ti amiga Marilene,muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  11. Olá, Marilene

    Acredito que há um sexto sentido, essa intuição que muitas vezes nos avisa e quase que não se dá por ela. O importante é sabermos escutar-nos e dar atenção a pequenos sinais.

    Bj

    Olinda

    ResponderExcluir
  12. Marilne querida...quanto teeeempo!!! Ainda lembra de mim??
    Menina...que saco esse negocio do carro, essas batidas sao sempre uma dor de cabeca! Essa "vozinha" que nos agita tem mais poderes que o credito que a damos ne? Muitas vezes nao acreditamos e nos arrependemos depois. Mas que bom que acabou dando certo e nao foi nada grave!!
    Eu li um comentario seu antigo no meu blog e vim correndo te visitar pra ver se ainda estava na blogosfera, fiquei tao feliz quando vi teu post de Fev 2014...rs!!!
    To tentando voltar....estou nas visitas agora,
    Tava com saudades!!!
    Bjks!!

    ResponderExcluir
  13. Que hayas pasado un hermoso 14 de Febrero, saludos.

    ResponderExcluir
  14. Olá Marilene!!
    Seu post sobre intuição caiu como uma luva sobre mim..hoje se estivesse ouvido minha intuição não estaria triste como estou agora e chateada também.
    Parabéns pelas postagens que nos levam à reflexão..já estou te seguindo.
    Abraços,
    Sandra

    ResponderExcluir
  15. Oi mana,
    Nunca ignore estes alertas ditados pela intuição. Quando rodei o carro numa curva, vindo de Lafaiete, antes de entrar nela pressenti o perigo, mas ignorei, pois era dia de jogo do Brasil e queria chegar a tempo de assisti-lo. Atualmente, vivo em estado de alerta e presto atenção a qualquer sinal, ainda que aparentemente falho.
    Ainda bem que foi coisa pequena e o conserto do carro ficou perfeito. Claro que chateia, mas é louvável de sua parte não cobrar do senhor que provocou a batida já que, pelo visto, pesaria no orçamento dele.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...