25 de nov de 2011

TORTURA PSICOLÓGICA

(imagem retirada da internet)
                           
                                                                                
Pior que uma agressão física  é a tortura psicológica. E ela tem sido usada, com frequência, em nosso mundo atual. As ameaças pairam sobre as cabeças, qual nuvens negras anunciando uma tempestade que, na verdade, não vai chegar. Ou poderia não chegar, se os indivíduos não passassem por esse processo desgastante e devastador. 

-Você é burro, menino, diz o pai, inconsequentemente. Uma vez, duas vezes... rotina. E a criança adquire o medo de arriscar por se sentir incompetente.
- Você não nasceu para dirigir, vai provocar sérios acidentes. E o jovem, de tanto ouvir isso, ao cometer suas primeiras falhas, tem tudo para, realmente, se tornar um motorista perigoso.
- Pra que ficar diante do espelho, isso não a fará bonita, diz a mãe à filha. E ela, que já carrega insegurança, vai fugir do convívio social, se esconder, sem valorizar suas qualidades, sem perceber mudanças, sem conhecer a sensação de se sentir bela e aceita entre seus pares.

                                                               
A vida nos tem mostrado que o estímulo faz milagres. Opera superações que se julgava impossíveis de ocorrer. Um empregado, aparentemente ineficiente, pode se tornar um grande profissional, se receber palavras de apoio que o levem a se aperfeiçoar. Limitações só prejudicarão aqueles que, a todo momento, são lembrados de sua existência, na tortura de sua infindável repetição, na convivência diária.

Educar é um processo que requer sensibilidade. Palavras inadequadas ouvidas, seguidamente, cortarão as raízes de grandes homens. A sabedoria e a coragem não vêm de livros, as vitórias não chegam para quem mais habilidades tem.  A realização pessoal depende de foro íntimo. E só vamos crer, nos tornando fortes para  vencer os desafios que a vida traz, se, a partir de nosso pequeno mundo familiar, formos cientificados de nossa capacidade. 





17 comentários:

  1. MARILENE, muito bem colocado o seu texto. Muitos cometem esses "erros" por falta de conhecimento dos resultados que podem ocorrer. Muitos também fazem por maldade (dentro do coração delas). O pior é quando isso é estudado e planejado. Se você imaginar que a tortura psicológica é bem pior que a agressão física, imagine o "monstro" que planeja destruição de pessoas fazendo isso.
    Eu acho lindo valorizar e até recuperar a "auto-estima" das pessoas. Trabalhei tomando conta de equipes, tanto de homens quanto de mulheres, e consegui reconstruir o ânimo de muitos funcionários que já estavam sendo problemáticos para a empresa. Aquele sujeito displicente, que ri quando você passa (e você não entende do que ele ri), eu escolhia para liderar pequenos trabalhos. Com isso, me aproximava dele e conversando e avaliando de modo positivo o seu potencial, conseguia "milagres" com as pessoas.
    Era muito bom para a empresa, contudo era ótimo para a pessoa. O gostar-se é muito importante. Se eu não consigo gostar de mim, como vou conseguir gostar das outras pessoas?
    Muito legal o seu texto.
    Me desculpe se me alonguei muito. Na realidade escreveria muito mais. Sempre senti uma satisfação muito grande em poder motivar uma outra pessoa e deixá-la feliz com ela mesma.
    Acho que isso é um "Amai-vos uns aos outros", não é?
    Beijo com carinho.
    Manoel.

    ResponderExcluir
  2. Olá MANA,
    Muito bem colocado. Estimular e motivar é de grande importância para a auto-estima. Já tive experiências a respeito e obtive mudanças de comportamento incríveis na época que lecionava.
    Muitos não desenvolvem seus potenciais pelos fatores que você mencionou. Diante dessa tortura psicológica muitos se retraem e deixam de dar o seu melhor na vida. Creio que, ademais, é uma tremenda falta de caridade para com o próximo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oie lindona.

    Bravo ... Bravo ... Bravo

    Perfeito seu texto e colocação, temos que motivar as pessoas pra que elas sempre se tornem melhores e acreditem no seu potencial.

    beijos e meu carinho
    Ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. Isso mesmo Mari!!!!
    Tento estar sempre alerta a isso no dia a dia na educação dos meninos aqui...rs...uffa...suo a camisa!!!
    Bjks!!

    ResponderExcluir
  5. MARILENE, ver os defeitos das pessoas é muito fácil, afinal, todos nós temos. Ver as qualidades é a grande virtude daqueles que sabem garimpar diamantes brutos para depois lapidá-los. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  6. Uma palavra tanto pode matar como salvar e as pessoas pecam demaiiiiiiiiiiiiisss nesse aspecto que foi muito bem lembrado aqui Marilene. Os pais e os educadores, principalmente, deveriam ter esta consciência do que podem causar ao outro....
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Marilene

    Muito bem escrito.
    O poder das palavras é muito grande.
    E dependendo da maturidade da pessoa acreditamos no dito e vestimos o dito.
    A agressão verbal é tão doida quanto a física.

    Beijinhos

    Lucia

    ResponderExcluir
  8. Querida Marilene,

    Te desejo luz no tempo do Advento que começa hoje. Tempo de renovação da fé e da esperança, que o ser humano, um dia, seja capaz de superar as falhas, as doenças físicas e mentais, e deixar nascer o Homem são, capaz de espelhar em si o cosmo, ou seja, torne-se o próprio filho de Deus.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Pior de tudo é saber que essa destruição corriqueira da autoestima das criançãs é muito mais comum do que se pensa!

    ResponderExcluir
  10. Marilene

    O teu oportuno artigo, como sempre no caso, dá como o resultado que penso: Devemos educar no sentido de sermos obedecidos por amor e respeito natural. Nunca por medo, o que acontece muito.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. realmente as palabres definem o psicologico e podem provocar ferimentos profundos...
    bjs

    ResponderExcluir
  12. É um ponto de vista interessante, que me parece correcto, aliás.
    Beijos, querida amiga.

    ResponderExcluir
  13. A pressão psicológica maltrata mais que muitos socos... Olá amiga voltei as ondas e hoje venho te convidar para as brincadeiras BLOGUEIRO OCULTO e o MAGIA DO NATAL que estou lançando no salão azul da Ilha, o convite e o link se encontram lá ♥ ♥ ♥ bjs no coração.

    ResponderExcluir
  14. Efetivamente você me emocionou com esse texto. É mais fácil acreditarmos nas coisas ruins, no nosso inexistente talento, na capacidade do outro do que na nossa própria.
    Realmente, as agressões psicológicas são tão sérias, que se tivéssemos conhecimento no passado, não falaríamos coisas que ferissem tanto, e que pudessem marcar ferozmente.
    Ainda bem que existem pessoas que acreditam em nós, e que faz com que a nossa auto estima melhore aos poucos fazendo crer que somos capazes sim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Esse texto mexeu comigo mais do que possa imaginar!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Receber sua participação é um grande prazer. Esse tipo de tortura causa males que, algumas vezes, o ser humano não consegue superar. Bjs.

      Excluir
  15. Que texto! Nada destrói tanto alguém como bater de frente na base 'daquela psicologia destrutiva', torturante e que faz do outro um eterno incapaz. Difícil 'levantar' com esse tipo de coisa. Isso é nocaute, deixa desacordado muito tempo, o tempo suficiente para acabar com sonhos e a auto-confiança. mas infelizmente acontece muito, e num meio onde deveria se construir, amar, fortalecer o outro. não sei mais se as famílias de hoje ainda são a base forte da sociedade. São a base, mas não mais a forte. Nossas famílias estão viciadas, mais preocupadas com coisas alheias, muito com futilidades.
    Beijos! Gostei do primeiro comentário, do Manoel - perfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Tais, pelo rico comentário. Realmente, o seio familiar não se tem mostrado tão construtivo como deveria. Bjs.

      Excluir

Marque presença! Ficarei feliz com seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...